O meio ambiente é um grande negócio

Um produto deveria ter qualidade, marca conhecida e ser barato. A ordem era essa. Agora, também precisa ser “ecologicamente correto”. As empresas que ainda não perceberam a nova característica e valor agregados, a cada dia serão mais “excluídas” do mercado consumidor. E não é apenas uma fase não. Depois, não diga que não avisei…
Veja três novíssimas campanhas ecos de empresas e instituições:

  •  A multinacional 3M do Brasil lança a promoção EcoNomad. Inédita, a campanha facilita a troca de tapetes Nomad usados por novos. Ao adquirir um tapete Nomad, a 3M – por meio de seus distribuidores – comprará, dos estabelecimentos clientes, os tapetes antigos e usados por R$ 27,00 o m², caso sejam tapetes Nomad e por R$ 24,00 o m² os outros. Os produtos recolhidos serão vendidos para empresas de reciclagem, que poderão utilizá-los como matéria-prima para a produção de sacolas plásticas, tubos de PVC, mangueiras, entre outros. A receita gerada pela compra dos tapetes usados será revertida em brinquedos educativos, confeccionados com tapetes Nomad novos. Amarelinhas, jogos da velha e jogos de letras são alguns exemplos doados para a Associação dos Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE). Veja mais no site: www.ecoNomad.com.br . A campanha começa em 1º de julho e vai até 31 de dezembro de 2008.

 

  • O Instituto Brasileiro de Turismo (Embratur) está promovendo o Brasil durante o Brazilian Film Festival em Roma, na Itália, que faz parte do Circuito Inffinito de Festivais 2008 e apresenta o que há de novo no cinema nacional. Durante o evento, que acabou ontem, foram distribuídas sacolas personalizadas com a Marca Brasil produzidas com papel reciclado.

 

  • Dia 18, sexta-feira, o Ministério do Meio Ambiente (MMA),o  governo do Pará e o setor madeireiro que opera no estado assinou o “Pacto pela Madeira Legal e Sustentável”. Ele visa banir madeira ilegal e de desmatamento de parte da cadeia produtiva do estado. A medida, de caráter ainda local, fortalece iniciativas internacionais, como o atual processo em discussão pela União Européia para barrar a entrada de madeira ilegal no mercado europeu. Estima-se que entre 63% e 80% de toda a madeira produzida na Amazônia seja ilegal.

Ao menos é um bom costume. Quem sabe, assim, não diminuímos nossas pegadas na natureza?
COMENTE TAMBÉM AQUI.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *