Adolescente se mata por medo de Big Bang do LHC

Educação é tudo! Ciência é tudo em segundo lugar! Eu falo que falta de informação científica pode prejudicar diretamente a vida das pessoas… Segundo a agência Reuters da América Latina, uma adolescente indiana se matou ontem traumatizada. Leu que o LHC irá recriar minúsculos buracos negros e que isso poderia significar o fim do mundo.
Chayya tinha 16 anos e morava no estado de Madhya Pradesh. Tomou um pesticida. Em seguida, foi levada a um hospital, mas faleceu rapidamente. Seu pai disse que ela ficou assustada com as previsões fatalistas de alguns telejornais do local. Na Índia, milhares de pessoas foram rezar em templos, enquanto outras saborearam seus pratos favoritos antes de “morrerem” devido ao Big Bang. Leia notícia em espanhol aqui.
Concomitantemente, o site alemão Deutsche Welle publica entrevista com o norte-americano Frank Wilczek, Prêmio Nobel da Física e professor no Massachusetts Institute of Technology (MIT). A entrevista inteira está aqui – não se preocupe, em português. Veja trechos interessantíssimos que selecionei:
“Os meios de comunicação confirmam que o senhor recebeu ameaças de morte em relação ao projeto LHC. Por que estas ameaças se dirigem especificamente ao senhor, e não a outros cientistas? ‘Não estou seguro de ser o único. Há temores distintos quanto aos desastres que o LHC poderia causar. (…) Assim, de alguma maneira me transformei num símbolo para alguns e considero uma pena que as primeiras perguntas da mídia se refiram precisamente a estas ameaças. O LHC é um projeto científico emocionante, e me envergonha um pouco toda esta celeuma.
Como explica o tom marcadamente emocional com que se tem recebido o projeto? ‘Em geral, o ser humano teme o desconhecido. (…) Também é certo que, desde o final da Segunda Guerra Mundial, a gente associa os cientistas com temas como a bomba atômica e a era nuclear. O que nós, físicos, fazemos é algo muito diferente, mas as pessoas fora do campo científico não diferenciam estes detalhes. Aqui não está em jogo a construção de nenhuma bomba. (…) Buracos negros pequenos e grandes são coisas basicamente distintas. Os que se poderiam produzir no LHC são muito menores do que um átomo, ainda menores do que um simples próton, e absorvem menos energia do que um grama de matéria. Ademais, são totalmente instáveis, vibram por um lapso muito mais curto do que um segundo. Nós os chamamos ‘buracos negros’, porém nada têm a ver com os que seriam capazes de absorver tudo ou produzir algum tipo de catástrofe.'”
E ontem eu ainda conversava com conhecidos – mesmo papo que já tive com uma física renomada… Se o LHC não confirmar o Bóson de Higgs – leia post anterior – os cientistas ficarão frustrados. Mas, tudo bem, terão que fazer mais pesquisas, outras e de nova direção. Se o “achado” se confirmar, ótimo, o dinheiro investido teve retorno imediato. Se, ao colidir as partículas não acontecer nada de espetacular – o que seria impossível – aí sim os cientistas irão querer se matar. Porém, sempre, forever and ever, um experimento dessa magnitude traz inovações tecnológicas e mais perguntas. Que, alguém, sempre tentará responder.

9 comentários em “Adolescente se mata por medo de Big Bang do LHC”

  1. Desculpe a grosseria, mas…menos um idiota no mundo!… Outra coisa sobre todo esse “hype” acerca do LHC: vai acabar sendo um fiasco como o Cometa de Halley… Quando e se aparecer algo novo, vai depender de, pelo menos, um ano de estudos para cada evento… E eu sou um que aposta que o Higgs não vai aparecer – pelo menos, não vai ser exatamente o que o Modelo Padrão prevê…

  2. Tava desconfiado que podia acontecer uma coisa dessas…… no nosso tópico do Torque Team (não sei se é verdade), mas uma mulher chamada ROSA comentou que falou pro marido todas as traições que ela cometeu achando q o mundo ia acabar………..
    Pode ser brincadeira, mas com certeza deve ter gente que fez isso ou algo similar….. é estupido saber que em um mundo com tanta informalção e tecnologia, existem pessoas com a mentalidade tão fraca….

  3. Pessoal, que arrogância!
    É certo que a falta de informação é lastimável, mas não nos esqueçamos de onde isso aconteceu, na Índia. A população além de ser muito pobre, tem aspectos culturais que, geralmente, dificultam o acesso de meninas à escola. A garota não tinha culpa nenhuma, coitada. O problema é essa mídia sensacionalista, que, provavelmente, sabe muito bem que essa estória de fim do mundo é absurda, mas prefere noticiar fatos que causem impacto e elevem o ibope. Nossa função, enquanto cientistas ou divulgadores da ciência não é taxar as pessoas de ignorantes e sim trabalhar para diminuir esse abismo que existe entre a produção acadêmica e as informações que chegam até a sociedade!

  4. porque eles nao si mantao so eles nao nos esses filha de uma p*** nao tem oque fazer e fica enventando essas b****
    simatao so filhas de uma p*** p***

  5. Céus.
    Estou tentando montar uma pequena série sobre o LHC, CERN, mini buracos, etc. Mas tá difícil. E, claro, pouca atenção se dá ao assunto. Provavelmente ano que vem teremos outro boom de gente rezando e cometendo todo tipo de besteira, de novo e sem qualquer esclarecimento.
    Não sei até que ponto a culpa é dos cientistas, nisso… eles poderiam divulgar mais, mas quando o fazem, quem procura?
    Gostei do trabalho por aqui, volto com mais cuidado…

  6. LHC pode sim formar um “mini buraco negro”, mas a maioria dos físicos provaram que mesmo que ele formace, seria de fato muito pequeno, e nao conseguiria se expandir.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.