Tecnologia + ecologia = contador de árvores

O governo do estado do Rio de Janeiro lançou uma ferramenta – desenvolvida pelo Centro de Tecnologia da Informação e Comunicação do Estado do Rio de Janeiro (Proderj) – que possibilitará à Secretaria do Ambiente quantificar o número de árvores plantadas em cada município, saber quais são as entidades e cidadãos preocupados com a preservação ambiental, o tamanho da área reflorestada, o total investido, estabelecer um ranking com imagens das dez principais espécies plantadas e o cadastramento de duas fotos do local.
No site da Secretaria do Ambiente é possível acessar esse “contador de árvores da Mata Atlântica”, clique aqui. A busca é feita por cidade. Procurei por Búzios – ai que encantadora com ar francês e brasiliense… -, mas não achei. Então, optei por Angra dos Reis – outro lugar fantástico. Veja como aparece tosco, mas interessante:

Consulta por Município
Patrocinador : Prefeitura de Angra dos Reis CNPJ : ../-
Executor : Prefeitura de Angra dos Reis CNPJ : ../-
Município : Angra dos Reis
Região Hidrográfica : RH-I Baía da Iha Grande
Localidade: Faixa Marginal
Endereço : APP Lindeira ao Rio Jucuecanga
CEP : .-
Total de Mudas : 300
Área total plantada :   2700            Unidade de medida :     metro quadrado
Total investido : 0,00
Principais espécies
Nome Científico Nome Popular
Chorisia speciosa Paineira
Caesalpinia echinata Pau brasil
Tibouchina granulosa Quaresmeira
 

A Secretaria do Ambiente ficará responsável por catalogar as informações sobre os plantios e disponibilizá-las. Em comemoração ao Dia da Árvore, dia 21 de setembro, foi instalado no Jardim Botânico do Rio de Janeiro um relógio digital que mostrará a cada 15 dias quantas árvores e de quais espécies serão plantadas. A meta da Secretaria é atingir, até 2010, a marca de 20 milhões de árvores plantadas em todo o estado.  
Obs. 1: É um absurdo não existir uma ferramenta dessa antes. Como o governo ou prefeituras saem plantando árvores por aí sem ter o menor controle interno?
Obs. 2: Certa vez entrevistei a urbanista responsável pela capital fluminense. Ela mostrou que lá é uma das cidades brasileiras onde mais se plantam árvores. Por ser muito quente, essa é uma maneira de diminuir a sensação térmica de forno. Também disse que, dependendo do tamanho do prédio ou casa que agora são construídos, o proprietário é obrigado a plantar árvores no terreno ou nas vias públicas. Não lembro a proporção metro x planta. Ah, e todas as árvores que morrem ou são retiradas das calçadas e praças devem ser substituídas por outras.

3 comentários em “Tecnologia + ecologia = contador de árvores”

  1. Muito bonito! (Principalmente em véspera de eleição…) Só que não adianta apenas plantar árvores: há que cuidar delas… As Prefeituras Municipais são totalmente omissas: são especializadas em criar jardins novos, mas manter os existentes, neca!…
    O governo estadual só faz discurso sobre o assunto… O Horto Estadual, em São Sebastião do Alto, é uma herança do governo do RJ-sem Distrito Federal e está às moscas…
    Restam o Jardim Botânico e a Universidade Federal Rural do RJ para a produção de mudas (fora uma meia dúzia de botânicos empreendedores, que ganham bom dinheiro público suprindo as omissões dos órgãos estaduais e municipais).
    Realmente existe a legislação que exige a substituição das árvores mortas… só falta cumprí-la… (mas os fiscais são poucos, a verba é curta, etc… até a véspera de eleições).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *