Saiba como é feito o teste rápido de Aids

spfw
Estava pilhada. Sexta fui à São Paulo Fashion Week (SPFW) e aproveitei, ou melhor, tentei fazer o teste de HIV. Eles já haviam encerrado, hunf. Mesmo assim, entrei no lounge para conversar com um amigo que fez o exame. É fantástico.
Ele disse que você senta no banquinho, mostra o dedo, limpa com álcool e com uma picada tira uma gota de sangue. Basta! Depois de meia hora sai o resultado, entregue por uma psicóloga. Se você – como eu – não conseguiu fazer pela SPFW, saiba que existem locais gratuitos espalhados por todo o Brasil. Veja aqui a lista – no canto direto acima.
Ahá! O teste, chamado Bio-Manguinhos, usado durante o SPFW foi desenvolvido por pesquisadores brasileiros da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).
Como funcionateste hiv
Cada “tirinha” só pode ser usada uma vez – sequencia ao lado. Coloca-se um coquetel de antígenos – responsáveis por gerar resposta imune – que detectam se há anticorpos contra HIV no soro, plasma ou sangue de humano. Se aparecer uma linha duas linhas nas cores roxa ou rosa no kit significa que há anticorpo contra o vírus ou que a pessoa tem Aids HIV. Quanto mais forte a cor, maior a quantidade de anticorpos.
Caso positivo, o psicólogo encaminha para fazer um teste mais criterioso.Mas um resultado negativo não exclui totalmente a possibilidade de estar infectado. Então, que vantagem Maria leva? Bom, se der positivo, é quase certeza que se tem a doença. Assim, ele é ideal para ser usado em lugares longínquos do Brasil ou em caso de emergência.
Existe um outro teste que funciona da mesma maneira e também foi desenvolvido por brasileiros: o Rapid Check. Invenção da Universidade Federal do Espírito Santo (UFES). É comum o Bio-Manguinhos e o Rapid Check serem usados por uma mesma pessoa para ter mais garantia do resultado.
O antigo
spfwlixo
Elisa é o nome do teste mais conhecido. A idéia é a mesma. Ele procura anticorpos, que se desenvolvem para proteger o corpo do HIV, no sangue. A diferença é que seu resultado demora 30 dias para ficar pronto e precisa de uma amostra maior de sangue para ser feito. Além disso, pode dar um falso positivo. Dizer que a pessoa tem Aids o vírus HIV, mas na realidade ela não foi contaminada.
Se isso acontecer, repete-se o teste. Ou… usa um mais sensível intitulado Western Blot. Como é mais caro e complicado, geralmente é usado apenas para acabar com a dúvida. Vale lembrar que existe um período – a “janela imunológica” – em que a pessoa pode estar infectada, mas a taxa de anticorpos é tão baixa que os testes não pegam. Mesmo assim, essa pessoa pode transmitir o vírus. Quer saber mais sobre o teste da Fiocruz? Clique aqui.
Obs.: A foto acima mostra as lixeiras descartáveis do SPFW. Nessa edição, colocaram uma para cada material ao lado da outra. Antes

8 comentários em “Saiba como é feito o teste rápido de Aids”

  1. Oi Ísis, ótimo texto. Só para deixar mais acurado, o teste revela se a pessoa está infectada com o vírus HIV, ou seja, se é HIV positivo. AIDS é quando a pessoa desenvolve a imunodeficiência, estágio mais avançado onde aparecem doenças oportunistas como pneumonia e tuberculose. 😉

  2. Isis, o teste somente é considerado positivo se aparecerem duas linhas roxas ou rosas e não uma linha. Aparece uma linha na direção da letra C (controle) e uma linha na direção T(teste), se caso for positivo, e uma única linha na direção C (controle), caso seja negativo.

  3. Isis, fiz o teste ontem, e pelo o que a médica disse o NEGATIVO é definitivo. Já o positivo possui possibilidade de ser falso. Ou seja, esse teste rápido é para triagem de POSSÍVEIS positivos. O negativo é negativo. Já no caso positivo, é necessário um teste mais acurado como o ELISA. Abraço!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *