Poluição mata 20 pessoas por dia na Grande São Paulo

Estava voltando da Europa, triste por ter deixado o nostálgico velho continente. Foi um mochilão e tanto – suspiro! Ao meu lado, um engenheiro indiano. Ele visitava o país tupiniquim pela terceira vez.
Meu vôo partiu de Lisboa. Charmosa a cidade provinciana, vista do alto. No caminho, muitas águas e ilhas. Até que… nove horas depois… terra à vista. Bem-vindo ao Brasil. Aliás, o indiano e eu falávamos do meu – nosso – belo país nesse exato momento.
Quando então… Viro para a direita e observo, da janela, o céu nitidamente separado em dois! Aperto no peito. Era a metropolitana São Paulo. Fiquei chocada. Nunca vi, com essa tênue linha, a nojenta poluição. Parti para a agressividade contra cidade que me acolheu.
Aos poucos, o avião mergulha nesse ar poluído. E as partes tornando-se uma no horizonte. “Mas São Paulo é maravilhosa. O Brasil é demais. Eu moraria aqui com prazer. Seria um sonho”, me consolava o indiano, forçando um português enrolado com inglês.
Para ele, as partículas marrons pairando ao nosso lado eram ínfimas. Era “nanomente” menor do que a oportunidade que oferecemos. Afinal, lá na Índia, quem pode ser milionário?
O número – que coloquei no título – foi obtido por um estudo realizado no Laboratório de Poluição da Universidade de São Paulo (USP). Em 2000, ocorreram oito mortes devido à poluição por dia e, em 2006, 12. “Outras investigações estão em curso, como a relação dos poluentes e a diminuição capacidade cognitiva”, afirmou aqui o  pediatra Alfésio Braga, da Universidade Santo Amaro, que estuda o tema.
De acordo com a matéria, em um ano, menos de dois meses tiveram a qualidade do ar aprovada por todas as estações de medição. Qual o maior poluidor? Os veículos! “Prova disso é que, dos 41 dias totalmente bons, 17 ocorreram em sábados ou domingos, dias em que a circulação de carros diminui. Além disso, 10 destes dias estão concentrados em janeiro, mês de férias, em que a frota de São Paulo cai 40%”, diz a matéria.
O curioso é que, segundo outra pesquisa brasileira que li, em lugares mais poluídos nascem mais bebês do sexo feminino! Haja mulher para São Paulo. Mais: para saber quais foram os dez maiores problemas relacionados com a poluição em 2008, indico este site – em inglês.

6 comentários em “Poluição mata 20 pessoas por dia na Grande São Paulo”

  1. Isis,
    A questão é:
    O que cada um de nós está fazendo para diminuir a poluição na cidade onde mora ?
    Eu moro no Rio e com certeza, o Rio tem ou o mesmo ou um pouco menor de índice de poluição. A diferença seria em função da quantidade carros, que aqui é menor.
    Eu veria como uma solução bem viável o carro elétrico!
    É sabido que este tem duas desvantagens ainda não resolvidas.
    1) Pouca autonomia. Cerca de 200 Km.
    2) tempo de reabastecimento. Cerca de 6 a 8 horas.
    Mas por exemplo, para mim, o carro elétrico seria perfeito, pois era só uma questão de mudança de costume, pois assim que eu chegasse em casa eu teria que reabastece-lo na tomada e no dia seguinte ele estaria recarregado. Moro cerca de 5 Km do meu trabalho.
    Mas cadê o carro elétrico ?
    A outra solução seria eu utilizar um transporte público. No meu caso o Metrô ou o ônibus. Bem aqui mora a MINHA comodidade…O metrô no Rio é IMPRATICÁVEL nas horas de rush. Não gosto de ser tratado como uma sardinha em lata e desta forma, abdico do transporte público e vou de carro para o trabalho.
    Alguma sugestão ?
    Abrantes.

  2. O investimentyo pode ser necessário, mas depende do que você faz por isso. Não é simplesmente falar que não fazem nada e esperar que a cidade construa meios para você. Caso não queira, vá reivindicar maior atuação, reclamar do transporte público ao invés de esperar que alguém resolva melhorá-lo. Acredito que devemos ter maior atuação.
    Aliás, o carro elétrico não é nem um pouco a melhor situação. Afinal como ela é produzida? Alagando áreas de florestas e biodiversidade. Esquecem de considerar estes e outros gastos.
    Em várias cidades do mundo o uso de bicicleta é difidundido para distâncias de km. É algo realmente viável e barato de implementar. Além de saudável.
    Abraço do Búfalo

  3. Xis, eu trabalho com poluição aquática, mas conheço a maior parte dos grupos de SP que trabalham com poluição. Na capital, a grande maioria deles trabalha com poluição do ar e o grande vilão são pequeníssimas partículas que, ainda que não sejam diretamente tóxicas (como o CO ou os HPAs) causam inflamação nas vias aéreas simplesmente por serem tão pequenas que conseguem entrar nas células (e acabam se tornando um problema maior que a toxicidade direta). Em geral esse povo é conservador nas estimativas e acredito que esse número ainda deva estar subestimado. E se for considerar os efeitos indiretos da poluição do ar (como incidência de Câncer) e também os efeitos de outros tipos de poluição… ai que todo mundo se muda pro Rio mesmo! 😉

  4. …eu ponderaria o uso de veiculos elétricos, mas o Búfalo já o fez bem… posso acrescentar, que com um quadro de aquecimento global, onde as temperaturas tendem a subir gradativamente, e que por causa disso, segundo inumeros artigos cientificos, as geleiras que abastecem muitos rios mundo afora estão derretendo, com o passar do tempo após as inundações deve vir a seca, inclusive de grades rios… geleiras nos Andes também estão derretendo. .. e então especulo, planos do governo de aumentar a capacidade elétrica com hidrelétricas que contariam com correnteza vinda dos andes (nascentes do Amazonas), seria a melhor alternativa (além do obvio prejuizo ambiental que causarão)? .. No futuro com a escassez de agua, mesmo no Brasil que tem muito desse recurso, teriamos que voltar aos combustiveis fósseis. Porque então não se investe em tecnologias de limpeza do ar? .. Tecnologias limpas de geração de energia. Tudo que vejo por ai são intenções soltas e pequenas iniciativas, mas nada concreto de amplitude nacional…
    Sou adepto do ciclismo também, ..mas sou cético de pensar que algo assim substituiria ao menos em parte o transito de veiculos motorizados. Pois a população ainda não tem a menor consciencia, e aqueles que até apresentam um dicurso eco-moda, na maioria nem entendem direito o que estão defendendo… Ainda se teria que lutar contra toda a industria construida em torno do automovel tradicional…Triste!

  5. Luiz, eu voto no transporte público. Mas decente, de qualidade.
    Samuel, neste momento, inclusive, estamos pagando um preço. Prejudicando nossa saúde…
    Búfalo, já disse aqui que meu sonho era poder percorrer a cidade de bicicleta. Concordo que é até mais prático. Basta “ajeitar” ciclovias. Porque aqui em Sampa há, se não me engano, mais de quatro mortes de ciclistas por semana. Absurdo.
    Mauro, eu quero morar no Rio! rs Não sabia que trabalhava com esse tipo de poulição, interessante.
    Alex, mas se apresentassem segurança – tanto com relação a acidentes quanto a roubo -, acredito que muita gente se adaptaria para andar de bicicleta. É beeeeem mais rápido e barato. Além de colaborar diretamente com a melhoria da saúde.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.