Fotos da sonda Kepler, em busca de ETs

Há quatro dias a Nasa lançou a sonda Kepler. Primeira declarada missão em busca de planetas iguaizinhos à Terra. Para tal, seu telescópio observará cerca de 100 mil estrelas durante três anos e meio. Estrelas? Claro, os planetas giram em torno delas…
Eles deverão ser mais ou menos do tamanho da Terra, com mais ou menos nossa temperatura e ter água em estado líquido. Em um universo tão gigante, quem sabe encontramos vida dando sopa por aí?
Certa vez, fiz uma matéria sobre o tema. Conversei com o astrofísico Carlos Alexandre Wuensche. Ele é otimista. Acredita que ao menos uma bactéria extraterrestre será descoberta logo, logo. Leia matéria completa aqui.
Hoje, eu parti em busca de fotitos tiradas pelo Kepler. A apressada ainda não achou nada disponível… Apenas imagens dele sendo montado, do seu impressionante espelho ou a que usei para ilustrar que mostra o local no universo a ser rastreado. Outra dica bacana são as animações que pesquisadores fizeram para explicar o tema. Aliás, criaram até joguinhos! Clique nos respectivos links.
Curiosidade. Sabe por que Nasa a batizou de “Kepler”? Em homenagem ao astrônomo alemão Johannes Kepler que viveu no século XVII. Ele descobriu que os planetas giram em torno do Sol em elipses e não em círculos perfeitos. Leia aqui outra matéria que fiz sobre exoplanetas – aqueles que “moram” fora do nosso Sistema Solar. Desejo boas observações!

6 comentários em “Fotos da sonda Kepler, em busca de ETs”

  1. Isis
    Kepler é um grande ídolo. Estudei Música por 8 anos antes da Física. E, quando ingressei no IFGW/Unicamp, em clima de pesquisa, fui logo saber daquele “papo da relação entre as órbitas planetárias e a Música”. Resumindo: foi meu assunto de Iniciação Científica e que me rendeu muitas horas do mais puro divertimento! Foi um grande barato refazer os cálculos do mestre Kepler e ampliá-los para as outras órbitas além de Saturno.
    E as órbitas são mesmo muito musicais! Incrível! Claro que os planetas não cantam! Mas penso que a Música seja uma maneira “sonora” de explicitar uma estética que, por algum motivo, o Universo esbanja em várias escalas e em vários fenômenos.
    Infelizmente, na correria aqui, entre pacotes de provas e tantas aulas, ainda não bloguei sobre a sonda Kepler. No meu caso, pela intimidade com Kepler, com quem tenho um dívida pessoal, isso é (quase) um pecado! 🙂
    Abraço ASTRONÔMICO!

  2. Felipe e Ale, vou continuar de olho no resultado!
    Prof. Dulcidio, que barbaro! Eu amo música, fez faculdade? Também acredito que Kepler e música são um par perfeito. Lendo seu comentário, lembrei de 2001: Uma odisséia no espaço.

  3. Fiz conservatório. Violão erudito. Dos 10 aos 18 anos. Aí entrei na Física. Parei de estudar Música sistematicamente. Mas continuei estudando e pesquisando Música “no paralelo” e também fazendo a ponte com a Física. Neste período universitário participei de inúmeros festivais, inclusive do badalado Festival Universitário da RTC (atual TV Cultura). Foi uma experiência incrível.
    Nos anos 90 cheguei a ter um estúdio onde produzia jingles, trilhas pra rádio, TV, teatro, vídeo… (apaixonante!).
    Mas tive que focar nas minhas atividades de educador (professor e autor de material didático) e parei com a Música profissionalmente. Hoje quase não faço música, quase nem toco. Mas escuto música a todo momento (no carro, em casa, no trabalho…)! Sem música a vida não tem graça nenhuma! Né? 😉

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.