Dicas para plantar árvores em cidades

Fiz um post para o Blog do Planeta sobre as espécies invasoras e exóticas na Mata Atlântica. Conversei com Helena de Godoy Bergallo, pesquisadora da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ). Ela mostrou que algumas ações, que as pessoas fazem achando que irão preservar o meio ambiente, acabam prejudicando-o. Como, por exemplo, alimentar cachorros de rua e deixar os gatos de estimação passear telhados afora.

Esse bate-papo me fez lembrar a questão das árvores na cidade. Desde a colonização do Brasil, é comum as pessoas plantarem em frente às suas casas e nos quintais espécies provenientes de outras partes do país e do mundo. Por exemplo, a cantada mangueira – “quando eu piso em folhas secas, caídas de uma mangueira” – é asiática. No entanto, há anos foi escolhida pela própria prefeitura para ornamentar vias públicas. Veja o risco disso lá no post.
Quais árvores podem ser empregadas na arborização urbana? Ué, as endêmicas (nativas) da área em questão. Vale ressaltar um detalhe. Minha amada Araucária, exemplificando, é nativa da Mata Atlântica. Mas não é vista no litoral de São Paulo. Então, ela não deve ser plantada na praia. Tenha em mente que o bioma também tem suas particularidades.
Pois é… Urbanização e paisagismo são um pouquinho complicados. Na hora de plantar sua sementinha ou muda, entre em contato com a Secretaria de Meio Ambiente da sua cidade. Exija ajuda para escolher a espécie correta. Eles podem – e deveriam – fornecer uma lista de endêmicas. Além disso, se for plantar na calçada, saiba que existem medidas urbanas técnicas que devem ser respeitadas. Em Sampa, a largura mínima que ela deve ter é de 1,20 m. A árvore não pode atrapalhar essa medida. Sei que na prática…
Bom, deixo aqui algumas observações sobre as árvores nas cidades. Divirta-se:

  • Devem ter porte adequado para o espaço disponível;
  • De preferência que deem frutos pequenos para não causar acidentes;
  • A copa deve ser compatível com o espaço, permitindo livre trânsito e evitando danos às fachadas;
  • Nas calçadas, prefira espécies de enraizamento profundo para não estragar o passeio público;
  • Escolha espécies resistentes a pragas e doenças, é desaconselhável o uso de fungicidas e inseticidas;
  • Cuidado com a fiação, canos de água, esgoto e gás e placas de sinalização. Elas não podem interferir ou danificar esses patrimônios;
  • Confira se não irá prejudicar a iluminação natural dos imóveis e a iluminação artificial;
  • É interessante evitar espécies com espinhos nos troncos ou ramos;
  • Quando caem, as folhas podem entupir calhas e bueiros, prefira aquelas com folhas pequenas.

Obs.: A Prefeitura de São Paulo está com o concurso de fotografia “Árvores da Cidade de São Paulo” aberto. Veja aqui. Todos que tiverem uma foto bem linda, poética, conceitual, sei lá, de uma árvore inserida na caótica metrópole pode participar. Eu vou inscrever as minhas – a foto acima tirei da janela de casa. Beijo. Boa sexta.

5 comentários em “Dicas para plantar árvores em cidades”

  1. É bem interessante antes de plantar, escolher espécies nativas.
    Mas prefiro ao invés de adequar suas plantas e árvores ao projeto, tentar torná-lo natural nele. Como se fosse um pequena Natureza dentro de uma casa e não apenas árvores e plantas, belas, mas deslocadas de seu lugar.
    Abraço

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *