A árvore que refloresta é a mesma que polui

Ironia do destino. Geralmente, quando você compra uma arvorezinha, a raíz dela e a terra que a cerca estão fixadas por um saco plástico preto. As mudas utilizadas em reflorestamento também são “empacotadas” em sacos. Agora, imagine quanto plástico é jogado fora após o plantio – eles não são reutilizados em novas mudas para evitar contaminação.
Pensando nisso… Cientistas da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), em parceria com a Corn Products Brasil e a BASF, criaram um plástico rígido “ecologicamente correto” que pode ser usado na fabricação de tubetes – nome desses sacos plásticos.
O novo material é feito com EcobrasTM – um plástico biodegradável e compostável da BASF que possui polímero vegetal a base de milho – e fibras vegetais como casca de mandioca em pó ou fibras de coco. Sua decomposição que ocorre ao entrar em contato com os microorganismos do solo gera água, CO2 e biomassa.
Segundo Elias Hage Júnior, professor coordenador do projeto, a parceria entre a UFSCar e as multinacionais deveu-se ao fato do EcobrasTM ser flexível e não permitir a fabricação de peças moldadas suficientemente rígidas. Ele afirma que o novo composto pode gerar qualquer peça moldada – a casca de mandioca tem a função da rigidez e a fibra de oferece resistência mecânica, deixando o material menos suscetível a ruptura – com uso descartável como bandejas de embalagens.
A primeira etapa do projeto, responsável por adequar o uso da casca de mandioca e fibra de coco, acabou no início de 2009. A partir de agora será necessário otimizar o processo e melhorar o produto. Depois, gerar em larga escala.
A ideia é boa. Mas há uma discussão. Alguns especialistas afirmam que o plástico biodegradável se decompõe mais rápido por virar pedacinhos bem pequenininhos. Isso poderia poluir rios. Outros afirmam que o fato dele se “despedaçar” facilita ainda mais na decomposição e a não prejudicar o meio ambiente. Ai como, ultimamente, estou crítica.

3 comentários em “A árvore que refloresta é a mesma que polui”

  1. Além disso, tem toda a parte sustentável até se produzir o plástico biodegradável: a plantação, desmatamento de áreas paraúnica plantação desses vegetais, destruindo o solo, uso de produtos químicos para que cresçam.
    E ainda tem um problema. O que fazer com os tubetes rígicos que já foram produzidos? Além daqueles saquinhos plásticos que vem as plantas também usam tubetes rígidos. E já foram produzidos. Seria intressante um program de reaproveitamento.
    Talvez até um programa como das garrafas de vidro, dando desconto ao que devolverem os antigos tubetes. Ou mesmo utilizando vasos de madeira que pode ser reaproveitados.
    Abraço

  2. Faço compras aqui no Rio no Supermercado Extra e gosto da seção de Plantas, que dão um toque especial ao meu apto.
    Uma das flores que mais compro são as orquídeas que vem num vaso em plástico.
    A vida útil destas flores é relativamente baixa, pois requerem MUITO cuidado.
    Enfim…
    Tenho uma coleção de vasos de plástico, uns 30…Não joguei nenhuma fora.
    Procurei saber quem as fazia e acabei encontrando. Fica no Sul do Brasil.
    Pois bem…
    Entrei em contato com um e-mail do SAC para tentar devolver os vasos.
    A resposta foi: que não existe um programa da empresa para recolher estes vasos plásticos em convênio com os supermercados…
    Então eu propus que me dessem um endereço para que eu devolvesse os vasos plásticos. Eu pagaria o correio!
    Sabe qual foi a resposta ?
    Nenhuma…
    Lamentável…
    Ainda falta muito para a população e a sociedade entender o que é cuidar da Natureza…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *