Destino ilegal de lixo supera 30 milhões de toneladas por ano

São resíduos como lixo doméstico, da limpeza pública em geral – varrição e limpeza de ruas – e industrial. A estimativa foi feita pela Associação Brasileira de Empresas de Tratamento de Resíduos (Abetre) – entidade que representa as empresas especializadas em tecnologias de proteção ambiental em resíduos sólidos.
São gerados aproximadamente 53 milhões de toneladas por ano de resíduos urbanos. Quanto é isso? Um milhão de toneladas equivale a um estádio do Maracanã, preenchido desde o gramado até a marquise superior.
Desse total, apenas 48% são destinados a aterros sanitários públicos (35%) e privados (13%), que tem as condições adequadas de proteção do solo, tratamento de chorume – aquele líquido que vaza do lixo -, gás e monitoramento. Do restante, cerca de 27 milhões de toneladas, 40% estão espalhados em lixões e em aterros controlados – nome dado aos lixões que foram parcialmente adequados, passando a adotar algumas medidas de mitigação, mas que não estão dentro do que exige a legislação ambiental. Aproximadamente, 12% sequer são coletados. Entenda aqui a diferença entre lixão e aterro.
O lixo hospitalar, que gera preocupação por seu caráter perigoso, está na mesma condição. A quantidade de resíduos de serviços de saúde coletada pelos municípios é de 209 mil toneladas por ano, porém 43% desse total é destinado a lixões ou a locais ignorados sem nenhum tipo de controle sanitário.
“A legislação enquadra a destinação inadequada como crime ambiental desde 1998, Lei. 9.605/98, Art. 54, par. 2º, inciso V. Mas ela tem persistido devido às deficiências de controle e fiscalização, além da tolerância representada por sucessivas renovações de Termos de Ajustamento de Conduta (TACs)”, diz Diógenes Del Bel, diretor-presidente da Abetre. “Enquanto não houver a definição de uma data-limite para fechamento dos lixões e aterros controlados, o problema vai persistir”, acredita.
Segundo levantamento da Abetre, mais de 320 dispositivos regulam o setor entre leis, decretos e resoluções federais ou estaduais, além de normas técnicas diversas. Pelo que vemos, não basta.

2 comentários em “Destino ilegal de lixo supera 30 milhões de toneladas por ano”

  1. O lixo será um dos grandes problemas a enfrentar neste século. Aterros sanitários em grandes cidades tem sido um problema no mundo inteiro! Veja o problema recente que aconteceu na Itália.
    A idéia de extrair gás do aterro sanitário é interessante, mas o aterro fica em produção durante anos. Desta forma é preciso outro aterro para a necessidade de uma cidade.
    Ninguém quer um aterro sanitário como vizinho. Isso é outro complicador. Pois estes aterros estão ficando mais longes dos grandes centros. Desta forma fica cada vez mais caro ter um aterro, pois os caminhões gastam mais para chegar aos grandes aterros.
    A reciclagem ajuda, mas ainda não é bem vista pela sociedade. Eu me refiro que se uma pessoa disser que trabalha na reciclagem de lixo, é vista com outros olhos…
    Ainda vai demorar um tempo até que entendamos essa relação com o lixo, que é um problema de cada um de nós! Ele não termina quando simplesmente jogamos nosso saquinho de lixo na grande lixeira de nossos condomínios.
    Bom feriado a todos!
    Abrantes

  2. Já é um problema. Se não me engano, viajavam cerca de 80 caminhões todos os dias para levar o lixo de São Paulo para um aterro beeeem distante. Mas as pessoas abusam, porque acham que o Brasil tem espaço de sobra.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *