Rios da Amazônia na terra – e no ar

IMG_1724.JPGMinha empolgação para ir ao Caribe era grande, claro. Porém, para chegar lá, temos que sobrevoar uma região brasileira que também sonho em conhecer – onde morei quando era bebê, o que não conta -, a Amazônia! Como a viagem não tinha escalas, decidi observar a vasta floresta – e as imensas nuvens – do avião, mesmo.
Estava ansiosa para ver com meus próprios olhos aquele bando de água evaporada da mata que desce para o Sul e Sudeste trazendo, assim, as nossas conhecidas chuvas. Que hora causam transtorno, outras ajudam a fertilizar a terra.
Sem querer, acordei no momento certo – durmo como pedra em qualquer coisa que se movimente. Quando olho pela janela, um bando de nuvens atrapalha a visão da paisagem. “Estamos perto ou sobre ela”, pensei. De repente, entre as nuvens gigantescas e assustadoras e cinzas, observo um tapete verde. “Olha a Amazônia!”, aporrinhei.
O que eu não imaginava era ver, do alto, os rios amazônicos. Um barco, neles, era tão, mas tão pequeno, que difícil encontrar. Entendi quando minha mãe dizia que os rios da Amazônia parecem mar: “Não conseguimos ver a margem do outro lado”. Sério, o avião estava – sei lá – acho que voando a cerca de 12 mil metros de altitude – em relação ao nível mar. Mesmo assim os rios eram imponentes.
Veja nas fotos a seguir – lembre-se que a janela do avião é minúscula:
IMG_1717.JPG
IMG_1720.JPG
IMG_1728.JPG
IMG_1733.JPG
IMG_1735.JPG
Obs.: Alguém sabe identificar que rio é esse?

2 comentários em “Rios da Amazônia na terra – e no ar”

  1. Incrível, não? minha definição de “rio” mudou depois de vir morar na terra destes gigantes. Hoje vejo os supostos rios onde trabalhei no mestrado e me parecem córregos.

  2. Que beleza! Que imensa sorte a sua de acordar para essa paisagem! Adoro ver a Amazônia de cima! Mas,digo, bem legal também é singrar esses rios, conhecer os habitantes de suas margens – muitas, muitas, pequenas comunidades com grandes habitantes – e se apaixonar imensamente por esse sistema (floresta, rios e povo amazônico) e suas peculiaridades…Vale a pena conhecer!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *