A conjectura de Goldbach

Quando pensamos no trabalho dos matemáticos, por vezes imaginamos problemas de formulação super complexa (e de maneira quase irônica nos colocamos a imaginar a possibilidade de soluções brilhantemente simples).

Contudo, os problemas mais tenebrosos são também os mais “básicos”. Tal como a conjectura de Goldbach, que afirma:

qualquer número par maior que 4 pode ser escrito como a soma de dois números primos

Ficou com coceira para tentar resolver, quem sabe se usarmos uma variável auxiliar, ou se definirmos os pares como 2.n e listarmos os primos p1, p2, p3, … são muitas tentações para começarmos a atacar este problema, mas cabe ressaltar que esta afirmação proposta pelo matemático prussiano Christian Goldbach, fez seu 278o aniversário neste último dia 7 de junho de 2020. Sim, ela esta sem resposta a quase 300 anos, e não é por falta de ataques recebidos e nem qualificação daqueles que se debruçaram sobre ela.

Sua existência e frustração levou até a elaboração de um drama ficcional envolvendo um brilhante matemático grego moderno chamado Petros Papachristos, que dedicou-se a vida inteira para resolver um problema que cunharia com ouro seu nome na história dos grandes matemáticos, a Conjectura de Goldbach. Esta história nos é contada na obra “Tio Petros e a Conjectura de Goldbach” do autor Apostolos Doxiadis (recomendo, é uma leitura gostosa, li esperando na rodoviária em apenas 5 horas).

Se ficou interessado neste tema, talvez com vontade de rascunhar alguma estratégia para demonstrar esta afirmação ou contar aos seus alunos sobre isto, espere um pouco. Temos um material bem especial para ser visto (ou melhor, ouvido) antes dessa aventura. O repositório do M³ dispõe de dois áudios sobre esta conjectura e também um guia do professor, para ajudá-lo no caminho das pedras. Estes e muitos outros materiais podem ser encontrados no repositório do M³, mas para facilitar sua busca, abaixo está o link para estes materiais em específico.

https://m3.ime.unicamp.br/recursos/1362

Se gostou, tem alguma dúvida ou crítica, poste nos comentários, ficaremos felizes em respondê-los 🙂

Imagem de capa adaptada de Thanks for your Like • donations welcome por Pixabay

Autor: Zero

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *