Muitos mundos

Toda decisão que tomamos não tem sentido.
Porque em algum lugar, em uma Terra paralela, já fizemos a escolha oposta.

Esta é uma célebre frase da animação “Liga da Justiça: Crise em duas Terras”. No contexto da animação, o personagem Coruja defende que qualquer decisão é desprovida de valor, dado que em algum outro universo fizemos a decisão oposta. Desse modo, só no nosso contemporâneo, temos bilhões de pessoas tomando diariamente milhares de decisões, cada uma levando a formação de novos universos.

Apesar de vários elementos dramáticos e fantasiosos deste universo, a ideia em si de que para cada escolha que tomamos, em um universo paralelo tomamos outra escolha, é tratado na mecânica quântica como “Interpretação de muitos mundos”. Ela justifica entre outros aspectos o experimento das duas fendas e é tratada de forma bem didática nos capítulos finais da obra “As Aventuras Científicas de Sherlock Holmes: O paradoxo de Einstein e outros mistérios” do autor Colin Bruce. Neste contexto, os personagens após a realização de um experimento que constatou a partir da Interpretação de muitos mundos, que uma bomba deveria estar ativa, os mesmos inferem que pela validade deste resultado, o mesmo experimento em um outro universo deve ter terminado tragicamente.

Em ambas as perspectivas, cada decisão está atrelada ao complementar destas decisões. Assim, decisões binárias (do tipo uma coisa ou outra), dividiriam os universos em dois. De forma geral, o número de opções para uma decisão, implica na quantidade de universos a serem divididos.

A simples ação de puxar uma carta ao acaso de um baralho convencional com 52 cartas, geraria 52 universos.
Puxar uma carta e depois outra, gerariam 2.652 universos.
Puxar uma carta e depois outra e depois outra, gerariam 132.600 universos.

Puxar carta por carta ao acaso até que o baralho termine, geraria quase 10⁶⁸ universos…

Se ficou interessado neste tema, talvez com vontade de saber mais sobre como as permutações dizem respeito a quantos destinos possíveis podemos ter ou contar aos seus alunos sobre isto, espere um pouco. Temos um material bem especial para ser visto antes dessa aventura. O repositório do M³ dispõe de um vídeo sobre uma menina que quer ser uma cartomante como sua tia e para tanto deve aprender um pouco sobre combinatórios, arranjos, fatorial e permutações. O repositório conta também com um guia do professor, para ajudá-lo no universo que surgirá quando você decidir acessar este conteúdo. Estes e muitos outros materiais podem ser encontrados no repositório do M³, mas para facilitar sua busca, abaixo está o link para estes materiais em específico.

https://m3.ime.unicamp.br/recursos/1065

Se gostou, tem alguma dúvida ou crítica, poste nos comentários, ficaremos felizes em respondê-los 🙂

Imagem de capa adaptada de OpenClipart-Vectors por Pixabay

Autor: Zero

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *