Author: Atila Iamarino

  • Ci√™ncia tem que ser aberta

    Ciência tem que ser aberta

    Devolver para a sociedade o que produzimos em ci√™ncia n√£o acaba na publica√ß√£o de um artigo. Disponibilizar os dados, figuras, publicar os resultados em reposit√≥rios de acesso aberto e at√© mesmo traduzir as implica√ß√Ķes em um reposit√≥rio como a Wikipedia s√£o t√£o importantes quanto. Por isso, eu,¬†que ando dando cada vez mais import√Ęncia para o…

  • Garanta o futuro de sua carreira cient√≠fica: crie um curr√≠culo online

    Garanta o futuro de sua carreira científica: crie um currículo online

    Um dos motivos recentes para a falta da atualiza√ß√Ķes aqui foi uma disciplina de Organiza√ß√£o e Escrita que estava preparando. Durante o preparo das aulas, reparei em algo que esperava dos alunos e n√£o encontrei: um curr√≠culo online. E n√£o me refiro √† um perfil no LinkedIn ou qualquer rede do g√™nero, me refiro a…

  • A natureza da homossexualidade e os coment√°rios de @EliVieira e @IzzyNobre

    A natureza da homossexualidade e os coment√°rios de @EliVieira e @IzzyNobre

    Foi imposs√≠vel n√£o tomar conhecimento (e n√£o me indignar) de uma grande exposi√ß√£o de opini√£o preconceituosa e ignorante contra homossexuais veiculada recentemente. O cerne da discuss√£o foi a no√ß√£o de que homossexualidade √© um comportamento adquirido, e n√£o herdado, e como tal poderia ser evitado ou prevenido. Como se isso fizesse alguma diferen√ßa ou, pior…

  • Walt Disney, Mot√∂rhead e Fungos – interCi√™ncia

    Este post participa da blogagem coletiva “interCi√™ncia“, uma farofa um Amigo Oculto dos Blogs de Ci√™ncia Brasileiros. Algum blogueiro muito paciente topou mandar um texto de microbiologia (este post) para o Rainha Vermelha, e agora temos que adivinhar (deduzir pelo estilo) quem ele foi dentre os participantes que ser√£o divulgados no Raio-X. Ainda d√° tempo…

  • A aranha mais nerd

    A aranha mais nerd

    Salticidae √© uma fam√≠lia de aranhas muito inteligentes (para algu√©m com o c√©rebro daquele tamanho). S√£o ca√ßadoras ativas, quase nunca tecem teia, preferem ca√ßar ativamente as presas. Por conta disso, dependem muito da vis√£o, da√≠ os olhos enormes, e acabam adotando comportamentos bem ricos. Agora, se elas j√° s√£o predadores bastante inteligentes, como seria uma…

  • Quer assustar seus predadores? Fa√ßa uma aranha gigante.

    Quer assustar seus predadores? Faça uma aranha gigante.

    Esta semana topei com um exemplo fant√°stico de mimetismo em aranhas. Exemplo bem deliberado e feito com cuidado. Algumas aranhas s√£o capazes de criar disfarces, imagens delas mesmas, verdadeiros espantalhos feitos de sujeira, restos de presas e bolsas de ovos que elas deixam na teia para (imagina-se) distrair predadores. Mas nunca havia visto um disfarce…

  • Esquilo suicida? Nem perto

    Esquilo suicida? Nem perto

      Se voc√™ achou muito extrema a atitude tomada pelo esquilo aos 20 segundos e, como alguns dos que vi compartilhando o v√≠deo, pensou que o esquilo estivesse tentando se matar, fique tranquilo. Como descrevi neste post, a gravidade √© um problema mortal apenas para os grandes animais. Os pequenos podem at√© aproveitar a queda…

  • Como encontrar artigos cient√≠ficos

    Como encontrar artigos científicos

    Recentemente, recebi um email me perguntando como encontrar bibliografia pertinente para algu√©m que est√° come√ßando a pesquisa. Aproveitando a t√©cnica do blogueiro acad√™mico pregui√ßoso ocupado, melhor transformar a resposta em um post e aproveitar o contexto de redes sociais e publica√ß√£o cient√≠fica que tenho tratado. Adianto desde j√°: o melhor √© aproveitar o filtro social.…

  • Mais aranhas pav√£o (e pr0n de aranhas)

    Sim, mais um v√≠deo com aranhas pav√£o macho. Simplesmente por que n√£o resisto a aranhas saltadoras tentando impressionar as f√™meas, ainda mais quando s√£o t√£o coloridas. Desta vez temos mais a√ß√£o. Fruto do trabalho de¬†J√ľrgen Otto (autor do v√≠deo) e David Hill, que estudam este g√™nero de aranhas australianas. No come√ßo, v√°rios machos mostrando seus…

  • Redes sociais, artigos cient√≠ficos e novas m√©tricas

    Redes sociais, artigos científicos e novas métricas

    No post anterior, discuti um pouco sobre as novas formas de compartilhar e medir o impacto da pesquisa. Agora, o SciELO publicou o v√≠deo do semin√°rio. Ou melhor, os v√≠deos, pois ele foi quebrado em seis partes. Para organizar as ideias todas em um mesmo lugar, seguem os v√≠deos (a apresenta√ß√£o come√ßa mesmo aos 8…