“Quer percebamos ou não, nossa vida e rotina estão conectadas diariamente ao oceano. Nosso clima, alimento, história e economia – entre muitas outras coisas – são diretamente influenciados pelo oceano. E isso é verdade para todos, tanto para aqueles que moram nas áreas costeiras quanto para aqueles que moram longe da costa.”

Essa é a primeira coisa que lemos na página que a UNESCO dedicou ao lançamento de sua iniciativa sobre a Cultura Oceânica, um compromisso voluntário global para promover a conscientização sobre as ameaças que afetam o nosso oceano.

O movimento incorpora a ideia de que, quanto mais instruídos em relação ao oceano, mais os indivíduos e as sociedades vão respeitar seus limites e cuidar melhor de seus ecossistemas.

Tudo começou em 2002, nos Estados Unidos, quando um grupo formado por cientistas oceânicos e profissionais da educação percebeu que as escolas não ofereciam disciplinas relacionadas ao oceano e criaram um projeto para incorporar essas matérias nos currículos escolares.

Desde então, o movimento foi adotado pela Unesco e se espalhou pelo mundo, incluindo profissionais de escolas e universidades, pesquisadores de várias subdisciplinas das ciências oceânicas, autoridades em políticas educacionais, coordenadores de departamento de educação, educadores informais e representantes de agências federais envolvidos em educação e divulgação.

A cultura oceânica ganha significados diferentes de acordo com os países, refletindo as culturas com que tinha contato. Após chegar no Canadá e na Europa, por exemplo, a definição de cultura oceânica passou a ser “a influência do oceano em nós e nossa influência no oceano”.

Segundo a UNESCO, a Cultura Oceânica se baseia em 7 princípios:

  • A Terra tem um Oceano global e muito diverso: a divisão do oceano em 5 é apenas geográfica, na realidade o oceano é um só e tem um sistema de circulação interligado. Ou seja, as correntes oceânicas transportam calor e energia ao redor do mundo;
  • O Oceano e a vida marinha têm uma forte ação na dinâmica da Terra: as mudanças no nível do mar e a ação de ondas e marés são responsáveis por moldar as áreas costeiras ao redor do mundo;
  • O Oceano exerce uma influência importante no clima: o oceano tem a capacidade de absorver o dióxido de carbono da atmosfera, armazenando calor que pode ser distribuído ao redor do planeta através de suas correntes, fazendo dele um elemento chave no sistema climático global;
  • O Oceano permite que a Terra seja habitável: acredita-se que o fitoplâncton (organismos microscópicos capazes de fazer fotossíntese) produza cerca de 98% do oxigênio atmosférico, tornando o oceano o “pulmão do mundo”. Além disso, o oceano ainda fornece alimento (tantos por cento da população mundial consome proteína vinda do oceano), água (pelo regime de chuvas) e modera o clima;
  • O Oceano suporta uma imensa diversidade de vida e de ecossistemas: os ecossistemas oceânicos são e vão de regiões polares a recifes de corais. Algumas regiões oceânicas são tão ricas em espécies que são consideradas pontos críticos de biodiversidade e outras áreas de berçário importantes para a manutenção de muitas espécies;
  • O Oceano e a humanidade estão fortemente interligados: além da regulação do clima que permite a vida na Terra e do fornecimento de alimento, o oceano ainda é fonte de medicamentos, serve como estrada para o transporte de mercadorias e pessoas, é fonte de inspiração e recreação e faz parte da herança de muitas culturas;
  • Há muito por descobrir e explorar no Oceano: apesar do  fundo do oceano ter sido mapeado com uma resolução de 5 km, menos de 0,05% do fundo do oceano foi mapeado em detalhe que mostrem características oceânicas importantes, como as torres de aberturas vulcânicas submarinas. Ou seja, o mapa global do fundo do oceano é menos detalhado do que os mapas de Marte, da Lua ou de Vênus.

Entender a influência do oceano em nós e nossa influência no oceano significa entender que somos responsáveis pela saúde de um ambiente essencial a vida humana, repensar nossos comportamentos e propor ações que garantam qualidade de vida para todos.

Para incentivar a Cultura Oceânica, a Unesco criou um portal online, um kit pedagógico e uma parceria com o Programa Maré de Ciência. Para saber mais, é só clicar nos links abaixo:

Categorias: Oceane-se

Blogs Unicamp

Bióloga, doutoranda em Biologia Tecidual e ilustradora. Experiência com materiais de divulgação de eventos acadêmicos, ilustrações didáticas e científicas.

0 comentário

Deixe um comentário

Avatar placeholder

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Skip to content