Editorial – Equipe Administrativa

Editorial

Breves relatos da Equipe de voluntários da Rede, que cuidam da administração do projeto, sobre a temática do especial “Mês das Mulheres – Protagonismo Feminino na Ciência”


Carol Frandsen

No universo da ciência e da academia, nós mulheres já somos maioria em algumas áreas [1]. Mas isso não quer dizer que consigamos ascender e chegar em cargos de liderança na carreira [2]. Segundo o Plano Nacional de Qualificação de 2016 [3], nós também recebemos menos do que homens. Durante a elaboração de um instrumento de pesquisa da minha tese, descobri que 20% dos médicos brasileiros do sexo masculino recebiam mais de R$24.000 como remuneração mensal (dados de 2015). Mas, adivinhe? Menos de 5% das médicas estão nesta faixa salarial [4].

Dinheiro não é tudo? No universo da literatura, menos mulheres são publicadas (~70% autores contra 30% de autoras em 2004, espero que já tenhamos melhorado esta estatística) [5][6]. No cinema, mulheres têm menos tempo de fala do que homens [6]. Isso só pincelando sobre representatividade no entretenimento, não vamos nem falar sobre violência. Em 2018, parece desnecessário dizer, mas precisamos dizer: mulheres precisam ser ouvidas, precisam de espaço, precisam de equidade. Precisam de protagonismo. Nós precisamos ouvir e confiar em nossas próprias vozes. “No momento em que as mulheres começam a tomar parte na elaboração do mundo, esse mundo é ainda um mundo que pertence aos homens“, já disse Beauvoir em 1949. Segundo o CNPq, em 2015, apenas 35,5% do total das bolsas de produtividade em pesquisa foram concedidas a mãos femininas [8]. É muita assimetria [9] quando consideramos que praticamente metade da publicação científica nacional (49%) é feita por mulheres [10]. Falar mais sobre a nossa produção, sobre nossas contribuições para a ciência, é um pequeno passo. Quanto mais modelos femininos tivermos na ciência para inspirar as futuras pesquisadoras, melhor. Para que nós possamos finalmente gastar mais energia fazendo descobertas do que tendo que provar nosso valor todos os dias.


Erica Mariosa

Sou muito agradecida por fazer parte dessa iniciativa de Divulgação Científica, foi trabalhando ao lado dessas grandes mentes que pude descobrir e desenvolver um lado científico que até então, nem eu sabia que existia. Tomar a decisão de divulgar ciência em um país onde o conhecimento não é valorizado foi uma decisão difícil, significava que eu assumiria a missão de lutar dia após dia por um conhecimento nem sempre apreciado nas rodas de conversa, mas ser mulher não é essencialmente lutar pelo seu espaço desde sempre? Assim como um dia houve alguém que se dedicou em me abrir os olhos para a mulher cientista que eu já era, espero que esse especial contribua para a construção de uma história fundamental dessas pioneiras que acreditaram que lutar pela ciência valia a pena. Nesse primeiro especial do Blogs de Ciência da Unicamp apresentamos o Protagonismo Feminino na Ciência através do olhar dessa equipe essencialmente feminina.


Carolina Mantovani

Lembro com muita clareza que o primeiro blog que me levou a conhecer a Rede de Blogs de Ciência da Unicamp foi o “Ciência pelos Olhos Delas”, que conta diversas histórias sobre contribuições femininas para a ciência. Assim que descobri essa iniciativa, posso dizer que me senti representada, inspirada e motivada a contribuir de alguma forma para a rede também! Decidi então buscar mais informações e me inscrevi para participar dos encontros de integração. Fui muito bem acolhida por todos e pude iniciar minha contribuição criando o blog “Nas Asas do Dragão”, sonhando também em inspirar meus leitores! Depois de alguns meses, tive a oportunidade de conviver mais de perto com a equipe de voluntários que administra a rede, e a cada dia fui ficando mais e mais impressionada pela extrema dedicação e entusiasmo com que todos trabalham para fazer essa iniciativa crescer! Este especial sobre o protagonismo feminino na ciência é resultado de mais um dos incríveis trabalhos dessa equipe, que contou com a participação de muitos integrantes da rede, e agora fica aqui registrado como homenagem a todas as mulheres guerreiras que dedicaram e continuam dedicando suas vidas à ciência! Espero que as histórias reunidas aqui neste especial possam ser motivo de inspiração a todos! Ao mesmo tempo, espero (enquanto também tento fazer minha parte) que o reconhecimento do valor das iniciativas e conquistas femininas seja cada vez mais comum e natural nas mais diversas áreas da ciência!


Cássio Riedo

O trabalho de nossas colaboradoras foi e continuam sendo essencial para a continuidade dos blogs. Eu aproveito o momento e ressalto a garra e dedicação de toda a equipe no projeto e neste especial. Acho realmente incrível a garra com que as mulheres, não só da nossa equipe, enfrentaram as profissões antigamente tidas como masculina, assumindo posições anteriormente consideradas “masculinas”. Entretanto, mesmo com toda evolução e mudança, parece que é muito mais difícil para os homens assumirem profissões ditas femininas. Por exemplo, em muitos países, o Ensino Infantil continua sendo principalmente uma profissão feminina. Então, deixo esta rápida reflexão e parabenizo todas as mulheres, e principalmente as professoras, sempre tão presentes em nossas vidas, pois todos sempre tem o que aprender. Que venham muitos especiais e que, um dia, convivendo com a igualdade, não precisemos mais lembrar do Dia da Mulher, pois o ano todo deve ser delas. E de todos!


André Garcia

Posso dizer, sem sombra de dúvida, que foi justamente por causa do protagonismo feminino que o projeto de Blogs de Ciência da Unicamp chegou onde está hoje. Como membro da equipe de voluntários e que acompanha, dia-a-dia, o desenrolar dos trabalhos internos, posso dizer com certeza que, grande parte das iniciativas, conquistas e realizações do projeto foi fruto do esforço, dedicação e visão das mulheres integrantes da equipe. O agradecimento a elas não deve se limitar apenas à um especial ou a uma coleção de textos que apresentam apenas facetas desse universo, mas deve ser crescente, dado que, se esperamos por um mundo melhor, precisamos todos lutar para que esse protagonismo prospere.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.