Como pagar ‘barato’ nos self-service por quilo

Sempre detestei restaurantes por quilo. Acreditava que a opção ‘a vontade’ era melhor, afinal, você pode comer o tanto quanto quiser até se sentir satisfeito, enquanto na opção por quilo, mau coloco duas conchas de arroz, uma salada e um bife, que meu prato já ta custando uma fortuna.

Acho que muita gente também pensa assim, contudo a quase um mês tive uma revelação dentro de um self-service por quilo. E percebi que realmente há uma fórmula matemática para pagar mais ‘barato’ do que as coisas realmente custam nesses lugares.

Vamos pensar nisso com um olhar matemático, no lugar onde estava com meu amigo aos domingos o preço do kg era 54,90$, assim vamos chamar os itens que eu utilizei para formar meu prato de a1, a2, a3, …, an, onde n é um número Natural, e o peso de cada item em kg e representado por x1, x2, x3, …, xn. Assim, o valor do meu prato sairá:

(a1.x1 + a2.x2 + a3.x3 + a4.x4 + a5.x5)*54,90$ = 27,45$

Meu amigo fez o seguinte prato:

(a1.x7 + a5.x8 + a6.x9 + a7.x10 + a8.x11)*54,90$ = 27,45$

No caso, alguns itens se repetem, mas as quantidades variam. Aparentemente nossos pratos tem o mesmo valor, mas a questão é, quem esta pagando mais barato pelas comidas escolhidas?

Se supormos qual seria o valor por quilo de cada item disposto nos pratos, chegamos que:

a1/kg = 60$a1/kg = 60$
a2/kg = 40$a5/kg = 70$
a3/kg = 35$a6/kg = 15$
a4/kg = 80$a7/kg = 8$
a5/kg = 70$a8/kg = 12$

Sabemos que a soma de todos os itens deu o mesmo peso, ou seja, meio quilo, agora substituindo esses valores nas equações, teremos que o custo real do nosso prato (caso fosse comprado item por item) seriam:

Meu prato: 60.x1 + 40.x2 + 35.x3 + 80.x4 + 70.x5

Prato do meu amigo: 60.x7 + 70.x8 + 15.x9 + 8.x10 + 12.x11

Observe que x1+x2+x3+x4+x5+x6 = 0,5 = x7+x8+x9+x10+x11+x12, todos números reais maiores do que 0. Com isso, meu prato sairá mais ‘barato’ do que o restaurante cobra por kg se:

60.x1 + 40.x2 + 35.x3 + 80.x4 + 70.x5 > 27,45

Com isso, o prato do meu amigo sairá ‘mais barato’ do que o restaurante cobra por kg se:

60.x7 + 70.x8 + 15.x9 + 8.x10 + 12.x11 > 27,45

Nessa lógica, veja que se todos os itens escolhidos tivessem seus valores por quilo maiores que o preço do restaurante (54,90$), então para qualquer quantidade escolhida, estaríamos sempre pagando mais ‘barato’, por exemplo, um prato formado por a1, a4 e a5, com quantidades x12, x13, x14.

Prato hipotético sempre barato: a1.x12 + a4.x13 + a5.x14 > 27,45 para qualquer x12, x13 e x14 > 0.

Por outro lado, um prato formado apenas por itens cujos valores por quilo são menores que o preço do restaurante (54,90$), então para qualquer quantidade escolhida, estaríamos sempre pagando mais ‘caro’, por exemplo, um prato formado por a2, a3, a6, a7 e a8, com quantidades x15, x16, x17, x18 e x19.

Prato hipotético sempre caro: a2.x15 + a3.x16 + a6.x17 + a7.x18 + a8.x19 < 27,45 para qualquer x15, x16, x17, x18 e x19 > 0.

Em contextos intermediários, nos quais alguns itens por quilo custariam mais de 54,90$ e outros menos (como na situação comigo e meu amigo), a quantidade de cada item influenciará se o valor total do prato sairá ‘barato’ ou ‘caro’. Por exemplo, se ambos pegarmos 100 gramas de cada item, teremos:

Custo real do meu prato: 6 + 4 + 3,5 + 8 + 7 = 28,5$

Custo real do prato do meu amigo: 6 + 7 + 1,5 + 0,8 + 1,2 = 16,5$

Nesse contexto, meu prato já está saindo mais barato do que vale, enquanto o do meu amigo está saindo mais caro. Para corrigir isso, ele precisaria investir mais em a1 e a5, e menos em a6, a7 e a8.

Em uma nova formulação, supondo que ele pegue 110 gramas de a1, 300 gramas de a5, e 30 gramas de a6, a7 e a8, seu prato sairia:

6,60 + 21 + 0,45 + 0,24 + 0,36 = 28,65$

A situação melhorou, embora os outros itens ainda estejam pesando contra, o fato de investir nos itens a1 e a5 permitiram seu prato ficar mais ‘barato’ do que os produtos custariam.

De forma mais simples para entender esse raciocínio, se hipoteticamente duas pessoas fazem pratos 100 gramas cada. Uma apenas batata-doce e a outra apenas com salmão. Ambos estarão pagando 5,49$ pelos seus produtos, a diferença é que 100 gramas de batata-doce por esse valor está ‘caro’, enquanto 100 gramas de salmão por esse valor está ‘barato’.

Será que suas escolhas de pratos nesses restaurantes seriam as mesmas se houvessem em cima de cada estufa o quanto este produto sairia por quilo? Quem sabe um ‘coração de alcachofra’ cujo quilo é 270$ não começa a parecer mais saboroso que uma porção de batatas fritas cujo quilo é 15$?

Imagem editada de Jörg Möller por Pixabay

Créditos para imagem de capa Mark Wilson por Pixabay

2 thoughts on “Como pagar ‘barato’ nos self-service por quilo

  • 15 de dezembro de 2020 em 01:46
    Permalink

    Pensamento interessante o seu, suponho que se mais pessoas tivessem noção dessa situação, teriam uma postura diferente na hora de montar um prato, e quem sabe, alguém até mudaria as condições desse tipo de venda. Na próxima vez que eu for em um restaurante por kilo, com certeza lembrarei disso 😆😆😆

    Resposta
    • 15 de dezembro de 2020 em 14:06
      Permalink

      Que bom que gostou Leticia, depois comenta aqui como foi a experiência de ter ido com essa ideia em mente 🙂

      Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *