A ciência e a internet (V.2, N. 7, 2016)

Recebo regularmente a revista Pesquisa FAPESP (revistapesquisa.fapesp.br) e na edição 195 (maio/2012) li uma matéria muito interessante sobre o papel das redes sociais no trabalho do cientista (Curtir e compartilhar, migre.me/9TMIS). Tento utilizar ferramentas de colaboração on-line há uns 4 anos, sempre sem sucesso. Eu me cadastrei na época no Stoa (stoa.usp.br), a rede social da universidade de São Paulo, mas nunca consegui utilizar adequadamente a ferramenta, muito embora o Stoa tenha uma infinidade de recursos extremamente úteis.

Assim que iniciei o meu pós-doutorado e comecei a orientar efetivamente, senti muita falta de uma ferramenta de colaboração onde os resultados de meus alunos ficassem disponíveis on-line, para poder trabalhar neles fora de nossas reuniões semanais e discutir os projetos de pesquisa conforme iam sendo realizados.  Tentamos utilizar o google docs (docs.google.com) para manter as planilhas de resultados sempre on-line, mas algumas funcionalidades não funcionavam bem quando eu precisava utilizar as planilhas em um programa como o Excel ou o Origin.

Dessa forma, assim que eu li a matéria, me animei novamente e abri um perfil no ResearchGate (www.researchgate.net), mas novamente não consegui utilizar a ferramenta. Na realidade, comecei a me perguntar qual era o problema de tantas ferramentas de colaboração não estarem funcionando comigo. Sou um pesquisador jovem e, neste momento, produção científica intensa é muito importante para minha carreira, e uma utilização eficiente dessas ferramentas aumentaria minha velocidade na produção científica. Desta forma, tracei um perfil de tudo o que eu poderia esperar de uma ferramenta de colaboração e que me ajudaria nas discussões de meu trabalho:

  • Uma ferramenta eficiente de computação em nuvem, que permita a realização de edição de texto e trabalho matemático nos resultados obtidos;
  • Um fórum de discussão onde estes resultados possam ser acessados e discutidos abertamente;
  • Um repositório de arquivos, para alocação de artigos relevantes a cada pesquisa e também como armazenamento de todos os resultados trabalhados e já discutidos;
  • Um agregador de colaboradores internacionais;Uma “vitrine” das discussões, de maneira que todos os interessados da comunidade científica  pudessem visualizar, discutir e criticar as discussões em andamento.

De uma certa maneira, cada ferramenta desempenha um papel, em meu grande erro foi esperar que apenas uma ferramenta pudesse resolver todas essas minhas pretensões. A princípio achei que ter de lidar com várias ferramentas pudesse ser uma desvantagem, mas considerando melhor, esta infinidade de recursos dá flexibilidade na utilização, que é extremamente necessária para atender diversos perfis de pesquisadores, em diferentes momentos de suas carreiras. Ainda sim, identifico alguns problemas que limitam um pouco a utilização adequada dessas ferramentas:

  • Alguns pesquisadores são refratários a utilização dessas ferramentas, o que faz com que tenha que se buscar alternativas diferentes e especiais para se trabalhar com estes cientistas;
  • A falta de disciplina na checagem dos resultados nos aplicativos em nuvem;
  • A grande variedade de ferramentas e aplicativos disponíveis nos dá a falsa impressão que se não utilizarmos todos os recursos, estaremos negligenciando algum aspecto que poderia otimizar ainda mais nosso trabalho, quando na verdade, se escolhermos uma ferramenta inadequada para nossas necessidades corremos o risco de estarmos sendo contraproducentes.

Pensando em utilizar melhor essas ferramentas, estamos iniciando este blog com o duplo objetivo de criar um fórum adequado para discussão de nossas pesquisas e como um agregador de todas as outras ferramentas, tal que possam ser acessadas de um mesmo lugar.

Você pode gostar...

Skip to content