É carnaval: Olha O Bloco Das Mirtáceas na Avenida!

Está chegando a maior festa popular brasileira e vamos conhecer um dos maiores blocos de frutas dessa grande celebração: as mirtáceas!

Antes disso, pense rápido, quais são as três primeiras frutas que vêm à sua cabeça? É bem provável que seja maçã, laranja, banana, manga, melancia ou outras frutas estrangeiras. Acertei?

Agora pense em uma lista de três frutas brasileiras. Ficou mais complicado? Vamos lá: jabuticaba, goiaba, pitanga, araçá, gabiroba, cambuci, etc..

Você sabe o que elas têm em comum? Todas desfilam no “bloco das mirtáceas”. 

As mirtáceas

Esse bloco de frutas pertence à família botânica Myrtaceae, e elas crescem principalmente nas regiões tropicais e subtropicais. 

São destaques famosos do carro abre-alas:

  1. O cravo-da-índia (na verdade indonésio) que é usado na culinária; 
  2. O jambo, já presente há muito tempo no Brasil como fruta de mesa;
  3. O eucalipto, usado para construções e matéria prima na produção de papel, essências e carvão. 

O eucalipto é a terceira árvore mais alta do mundo, com um espécime alcançando mais de 100 metros, na Tasmânia.

Diversidade de espécies

O “bloco das mirtáceas” é um show de diversidade, e traz para a avenida do samba mais de mil espécies, sendo que há 6000 catalogadas no mundo.

E, no Brasil, elas têm um diferencial: a grande maioria produz frutos comestíveis, o que as ajuda na dispersão de suas sementes por animais. Bem diferente da maioria das espécies da Oceania, que têm frutos secos e dispersam suas sementes pelo vento.

Características das Mirtáceas

Agora que você já sabe que existem centenas de mirtáceas, vamos falar sobre suas fantasias e seus adereços. Elas são grandes ou pequenas? Produzem muitas flores coloridas? 

As mirtáceas são plantas elegantes, com porte típico, variando de pequeno a médio nas espécies nacionais, e com grande potencial paisagístico

As flores das espécies brasileiras são geralmente brancas e pequenas, mas há várias espécies da Oceania que são vistosas e/ou coloridas, como a melaleuca (Melaleuca sp.), a escovinha de garrafa (Callistemon sp.) e o eucalipto-vermelho (Corymbia ficifolia), que se adaptaram muito bem ao clima das terras brasileiras. 

                                                        Melaleuca sp

Callistemon sp. 

Eugenia pyriformis

Cultivo de Mirtáceas

Se você deseja cultivar alguma mirtácea dentro de casa, não se preocupe, pois existem espécies que toleram o cultivo em vasos, como a mini-pitanga e a jabuticaba. Elas podem ser encontradas também na forma de bonsais, em floriculturas e até em pet shops.

Um caso curioso é a “rainha de bateria” feijoa ou goiaba-serrana brasileira (Acca sellowiana), que tem as pétalas das flores comestíveis e adocicadas. 

É uma mirtácea originária do Sul do Brasil e arredores, e vem sendo melhorada há décadas nos EUA e Nova Zelândia, onde é uma fruta explorada comercialmente e cultivada como ornamental. 

Boas Para a Saúde

Uma ala interessante do “bloco” é composta pelas espécies Pedra-hume-caá (Myrcia sphaerocarpa), um fitoterápico capaz de reduzir a glicemia e auxiliar no controle da diabetes; e o camu-camu (Myrciaria dubia), fruta amazônica que tem até 30 vezes mais vitamina C que a laranja e ocupa o segundo lugar no ranking mundial.

Da próxima vez que te perguntarem quais frutas você conhece, inclua algumas mirtáceas na sua lista!

Fruto da Acca sellowiana

Fruto Acca sellowiana

Flores da Acca sellowiana

Flor da Acca sellowiana

Autor: João Paulo Piazza

Sobre o autor: JP Piazza é cientista da computação por formação, mas biólogo de coração. Sua coleção de mirtáceas no interior de São Paulo conta com mais de 100 espécies nativas e não para de crescer.

Sobre Descascando a ciência 65 Artigos
O objetivo do Descascando é deixar conteúdos sobre o mundo agrícola e a ciência mais fáceis de serem entendidos. Queremos facilitar o "cientifiquês", para que todos tenham acesso à informação.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*