Gripe Suína (gripe A; vírus H1N1) atinge até a alma!

padre gripe suina.jpeg

Notícia no jornal Estado de S. Paulo:
Religi√Ķes adaptam tradi√ßoes √† gripe su√≠na

Esta gripe A n√£o √© mole n√£o. Mais poderosa na mente e no social que efetivamente no corpo das pessoas, ela atingiu org√£os sociais diversos. A via usada para a infec√ß√£o foi a m√≠dia, sempre aberta e com poucas defesas para este tipo de ataque. Por irrigar todo o corpo social, logo o v√≠rus p√īde se alastrar por todo o mundo, atingindo outros org√£os.
Org√£os p√ļblicos por exemplo. Minist√©rios da sa√ļde se mobilizaram em dizer que estavam preparados; pol√≠cias e vigil√Ęncia sanit√°ria de olho nas fronteiras; hospitais e cient√≠stas atentos.

Vírus da alma

Até a alma deste corpo social se debilitou, ou pelo menos se compadeceu, pelo ataque viral.
As igrejas est√£o tendo que adaptar suas tradi√ß√Ķes para minimizar o alastramento da doen√ßa.
√Č a primeira vez que a OMS e organiza√ß√Ķes religiosas conversam.
E n√£o √© pra menos. Imaginem a peregrina√ß√£o para Meca, tradi√ß√£o obrigat√≥ria dos mu√ßulmanos e que re√ļne 3 milh√Ķes de pessoas de todo o mundo! Por isso representantes do isl√£ j√° recomendam que, se com medo da gripe, melhor evitar a visita ao cubo negro em Meca e Medina. Missas cat√≥licas todos os domingos com um padre argentino colocando a h√≥stia na sua boca?! Melhor n√£o. A argentina est√° com o um n√ļmero imenso de infectados. Por isso sua igreja Cat√≥lica recomendou cautela: sem h√≥stia na boca e sem abra√ßo da paz. E na Inglaterra a igreja Anglicana at√© √°gua benta cortou. “Mas e as b√™n√ß√£os?” Ora, Deus entende. (da√≠ a pergunta que fica √© “pra qu√™ a √°gua benta antes, ent√£o?”mas deixa pra l√°)
Tem ateu at√© achando alguma vantagem na gripe pra mostrar que as pr√≥prias igrejas perecebem que n√£o d√£o mais o conforto necess√°rio a seus seguidores. Afinal, durante a peste negra, na Idade M√©dia, e a gripe espanhola as igrejas foram as √ļnicas institui√ß√Ķes que n√£o fecharam, mas hoje “elas se renderam.”
Mas acho que o caso n√£o √© pra tanto. Pelo menos mostra que as tradi√ß√Ķes podem ser adaptadas aos maus do corpo terreno. Est√° reconhecida a import√Ęncia da dignidade neste mundo de carne e osso. O que ainda n√£o invalida acreditar em que quer que seja no al√©m.
E dizem at√© que crer pode ser um santo rem√©dio, aumentando longevidade e resist√™ncia a infec√ß√Ķes (procurarei mais artigos s√©rios sobre isto).
Assim ficamos num político 1 X 1. Ponto para os ateus e ponto para os religiosos.
(E eu escolhi neste post o “caminho do meio”, mesmo n√£o sendo budista)