Entrevista com o Beakman!

Entrevistei o BEAKMAN!!! Na verdade o ator que o interpreta.
Falamos de divulgação científica, YouTube, crise no Brasil e perguntei até se ele acha que FOI GOLPE OU NÃO (resposta não foi surpreendente, claro).

Teve recado para os divulgadores de ciência: é preciso da força do povo e CONTINUAR LUTANDO!

Problemas técnicos foram enfrentados, mas a oportunidade não foi perdida e ficou o registro.

Agradecimento ao Campinas Anime Fest:
http://www.campinasanimefest.com.br/

TED Talk do Jok Church, o gênio por trás do Mundo de Beakman:
https://www.ted.com/talks/jok_church_…

L√° vem o T√≠bio e o Per√īnio!

Falei com o T√≠bio e Per√īnio, dois CR√Ā√Ā√ĀSSICOS da minha inf√Ęncia e dois dos poucos cientistas da TV infantil nacional.

Só para vocês saberem, o Flávio de Souza, que interpreta o Tíbio, é o roteirista do Castelo Rá-Tim-Bum, do Mundo da Lua e do antigo Rá-Tim-Bum! Fera demais!

Além de algumas brincadeiras, falei com eles sobre roteiros para internet e TV Рqual a diferença?

[youtube_sc url=”https://www.youtube.com/watch?v=mwaVyHwehfI” title=”Falei%20com%20o%20T√≠bio%20e%20Per√īnio,%20dois%20CR√Ā√Ā√ĀSSICOS%20da%20minha%20inf√Ęncia%20e%20dois%20dos%20poucos%20cientistas%20da%20TV%20infantil%20nacional.”]

Agrade√ßo a GE pelo convite para o Roda-Viva especial de lan√ßamento da webs√©rie ‚ÄúExperimento Ol√≠mpico‚ÄĚ, com #T√≠bioePer√īnio.
Roda-Viva Especial: https://www.youtube.com/watch?v=iGEFt…
1¬ļ epis√≥dio da webs√©rie em 360¬ļ no YouTube: https://www.youtube.com/watch?v=dmhFj…

Agradeço ao Pirula pela filmagem.
E eu filmei para o Pirula tamb√©m: https://www.youtube.com/watch?v=JNKJX…

Programa “Anota a√≠” citado: https://www.youtube.com/playlist?list…

roda vivaEu e o Tatatossauro

021Pirula, Luciano Amaral (Lucas Silva e Silva), e Iberê do Manual do Mundo.

O que você NÃO precisa aprender na escola

[youtube_sc url=”https://www.youtube.com/watch?v=h6TCzlMPxPo”]

 

Rá, yeyé, pegadinha do malandro!!!!

Fingi que eu estava surtando dando aula, e que um aluno estava filmando meio escondido, só pra testar uma ideia: um canal com uma anti-aula, ou seja, uma aula que ensina o que você NÃO precisa saber do que se aprende na escola.

Curr√≠culo escolar √© uma discuss√£o sem fim. Primeiro porque os conhecimentos mudam, ainda mais em ci√™ncias. Segundo porque as opini√Ķes do que √© importante variam muito, e terceiro porque h√° interesses ¬†econ√īmicos e ideol√≥gicos envolvidos.

O que temos agora como grande definidor de conte√ļdos √© o vestibular, ou seja, um mar de conhecimentos com um palmo de profundidade, e o aluno termina o 3o ano sabendo quase nada de quase tudo.¬†Quando o aluno passa para alguma universidade tem que aprender novamente¬†o que realmente tem a ver com a carreira escolhida. Todo o resto do tempo gasto na escola aprendendo outras coisas foi jogado no lixo. E quem n√£o vai prestar vestibular (sim, existe vida fora da academia) perdeu mais tempo ainda.

Agora a onda √© ensinar habilidades e compet√™ncias. O problema √© que n√£o tem tempo para ensinar isso sendo que o aluno tem que¬†resolver a lista de exerc√≠cios semanal em formato de FUVEST desde a 6a S√ČRIE, como alguns col√©gios fazem! Vamos ver quantos anos v√£o se passar at√© habilidades e compet√™ncias realmente entrarem nos curr√≠culos, ou at√© ¬†trazerem a nova moda da educa√ß√£o, j√° que a cada per√≠odo uma nova mudan√ßa estrutural grande √© proposta e acaba sendo aplicada parcialmente ou n√£o aplicada, para dar espa√ßo a uma outra reestrutura√ß√£o, que por sua vez n√£o vai at√© o fim porque agora v√£o trazer outra estrutura… Bom, voc√™ entendeu.

Com isso na cabe√ßa, vou come√ßar uma s√©rie de v√≠deos me baseando nos conte√ļdos de uma apostila muito utilizada no Brasil. Preferi n√£o dizer qual √© para evitar qualquer liga√ß√£o de advogados de grandes empresas de educa√ß√£o, mas √© muito conhecida e se parece com muitas outras utilizadas por a√≠.

O meu ponto vai ser: esquecendo o vestibular, o que¬†precisamos aprender¬†na escola? O que realmente √© √ļtil no nosso dia a dia?
Claro que essa vai ser a minha vis√£o pessoal.

Isso vai dar um rolo…

Nobel de química 2015 em infográficos

nobel-quimica-pt12911

Muita coisa depende do DNA. Ele guarda informa√ß√£o para fazer prote√≠nas, e isso ele faz nossa vida inteira. E al√©m de ter que durar muito ele ainda se estressa demais, porque cada vez que a c√©lula vai se duplicar, o DNA tem que separar as suas fitas e fazer uma c√≥pia de cada. Quando vai mandar a mensagem pra fazer prote√≠nas, ela se abre para copiar o peda√ßo que interessa. Esse abre e fecha vai danificando o pobre do DNA. Al√©m disso ainda tem radicais livres e radia√ß√Ķes como a UV que detonam ainda mais a pobre da mol√©cula.

Se n√£o tivesse como arrumar, o DNA se desfaria rapidinho. E quando isso acontece os resultados podem ser dois: c√Ęncer ou envelhecimento precoce.

Mas calma, temos os ganhadores do Nobel de química de 2015 para nos ajudar! Eles descobriram mecanismos de reparo que as células têm para corrigir os erros.

E cada um descobriu um tipo de reparo, j√° que pra cada tipo de dano tem um tipo de reparo. √Č como um carro que se levou uma batida voc√™ leva no funileiro, se for motor, no mec√Ęnico, e se for el√©trico, s√≥ resolve uma autoel√©trica. No caso do DNA os danos s√£o reparo por excis√£o de bases (base excision repair), reparo por mau pareamento (mismatch repair), e reparo por excis√£o de nucleot√≠deos (nucleotide excision repair).

O infogr√°fico que eu fiz al√≠¬†acima mostra quem descobriu qual tipo de reparo. Claro que tem muito mais gente pesquisando sobre isso. Ali√°s, qualquer coisa sobre c√Ęncer pode apostar que tem muita gente pesquisando, porque √© um assunto importante, complexo e muito interessante.

A própria organização do prêmio Nobel fez esquemas para mostrar como funciona cada tipo de reparo, o que eu achei bem legal da parte deles.

base excision repair

mismatch repair

nucleotide excision repair

E aqui um infográfico de um site muito bacana, o Compound Interest, que só faz infográficos de química. Muito bons e nada chatos, mas em inglês.

2015-Nobel-Prize-in-Chemistry

Publicado originalmente em inglês no blog do Mind the Graph

Saiba mais:

Reportagem da Revista FAPESP

http://www.compoundchem.com/nobel2015/

Nobelprize.org

Ferramente de infografia que usei: Mind the Graph