A Chapada Diamantina e a questão Palestina (V.8, N.8, 2022)

Para aquelas pessoas que abriram este texto por causa do título, aviso de antemão que o fio que segue não é sobre política. Este post é um breve relato de viagem, no estilo daqueles que vez ou outra costumo fazer por aqui no blog e que pode até ser útil como um pequeno guia para […]

Websérie produzida por moradores do Vale do Ribeira/SP aborda uso sustentável da água, agrofloresta e comunidades tradicionais

No Dia Mundial da Água, 22 de março, foi lançada a série “Cuidadores das Águas”. Os vídeos abordam temas como proteção de nascentes, agrofloresta, crescimento urbano, disponibilidade hídrica, comunidades tradicionais e uso sustentável da água. O material foi produzido por moradores do Vale do Ribeira, pelo Fundo Brasileiro de Educação Ambiental (FunBEA) e pelo Comitê […]

Precisamos de cidades mais preparadas para os riscos climáticos (V.8, N.2, 2022)

As cidades representam o palco principal dos efeitos das mudanças climáticas. Neste início de 2022, as já conhecidas notícias sobre enchentes se tornaram mais frequentes e trágicas, com milhares de desalojados em Minas Gerais e Bahia. A onda de calor no sul do Brasil e a queda de rocha em Capitólio com vítimas fatais provam […]

Capitólio e o Capitalismo: fatalidade ou tragédia anunciada?

Arte por Júlia Silva

 Se este texto fosse sobre o Capitólio, casa legislativa dos Estados Unidos, seria menos triste. Mas o homônimo tratado aqui é o município brasileiro do estado de Minas Gerais onde ocorreu recentemente uma tragédia. Nos cânions alagados, cuja procura por turistas se intensificou nos últimos anos, um imenso pedaço de rocha desabou sobre alguns barcos […]

Nosso país tem nome de árvore

O pau-brasil é uma árvore brasileira que foi muito explorada ao longo dos séculos e está ameaçada de extinção. De madeira nobre e avermelhada, a espécie deu origem ao nome do nosso país (embora não seja totalmente consenso entre os estudiosos).

“São as águas de março?” (V.8, N.3, 2022)

Manchetes parecidas não? “Temporal alaga”, “As fortes chuvas/causaram”, “Chuva provoca” e “Chuvas provocam/ e deixam”. A similaridade encontrada nas palavras reside nos sentidos impregnados nos discursos político e midiático que circulam e nos chegam como enxurradas outras aos nossos sentidos. 

Precisamos de cidades mais preparadas para os riscos climáticos (V.8, N.2, 2022)

As cidades representam o palco principal dos efeitos das mudanças climáticas. Neste início de 2022, as já conhecidas notícias sobre enchentes se tornaram mais frequentes e trágicas, com milhares de desalojados em Minas Gerais e Bahia. A onda de calor no sul do Brasil e a queda de rocha em Capitólio com vítimas fatais provam […]