Ensinar ciências da computação pode ser fácil? (V.1, N. 1, 2015)

 

Já imaginou aprender conceitos de programação de computadores de forma divertida e prazerosa? Este é um dos objetivos da Hora do Código, um projeto global que visa expandir o ensino de Ciências da Computação.  O projeto é dedicado para qualquer pessoa entre 4 e 104 anos, e está disponível em mais de 40 idiomas.

As alunas da Engenharia da Computação da Unicamp Larissa Dominique Garcia e Maria Bolina Kersanach e a professora Letícia Rittner (FEEC, Unicamp) abraçaram pela segunda vez a oportunidade e realizaram no dia 14/11/15 um evento da Hora do Código em um dos laboratórios da FEEC, na Unicamp. Com a contribuição de cerca de 20 voluntários, foram recebidas cerca de 40 interessados, sobretudo crianças entre 4 e 13 anos. Ou seja, apesar da grande extensão etária, as crianças representam a grande concentração de interessados.

12233313_833050150148760_626299195_n

Hora do Código, realizada em um dos laboratórios da FEEC (Unicamp) no dia 14/11/2015.

Por assim dizer, foi um barato! Como voluntário, uma das crianças que acompanhei nas atividades foi o Paulo, um garoto de 7 anos, cheio de motivação e confiança para resolver os quebra cabeças computacionais de um divertido jogo chamado Angry Birds.

12231579_833049476815494_1936354934_n

Paulo e a irmã com os certificados pela participação na Hora do Código.

Fabiana trouxe a filha de 11 anos, que por sinal já havia participado no ano anterior e já conhecia alguns jogos. Eis que o desafio selecionado foi o Lightbot (se estiver ocupado com outras atividades, não clique!). Trata-se de um robô, que deve ser controlado por comandos ao longo de um mapa. O número de instruções é restrito, e diversos conceitos de programação são abordados de forma estimulante.

12233242_833049206815521_313082826_n

Parece pouco desafiador? Certamente não é!

Após os trabalhos sou tomado por uma sensação incrível. Sinto estar fazendo a minha parte como fomentador da ciência, ainda que de forma indireta. Não é novidade que nosso país sofre de um déficit de cientistas e engenheiros. Boa parte disso tem relação com uma educação básica precária. Uma das formas de mudar esse cenário é exatamente através de projetos que motivem crianças e adolescentes tanto pela física e matemática (através de feiras, olimpíadas, etc) bem como pela computação! Como relatado em um dos depoimentos do vídeo acima:

As crianças estão aprendendo como as coisas são criadas em um mundo tecnológico. Este é o mundo delas, e é o mundo que está por vir.

 

 

 

Johann Eduardo Baader

Johann Eduardo Baader é aluno de doutorado na Faculdade de Engenharia Elétrica e Computação da Universidade Estadual de Campinas. Realiza pesquisa com magnetismo em aceleradores de partículas junto ao Laboratório Nacional de Luz Síncrotron (LNLS).

Você pode gostar...