Evento-teste: faltou energia para a ginástica do Brasil? (V.2, N. 5, 2016)

Boa tarde pessoal! Tudo bem?

Hoje vamos falar um pouco sobre como aconteceu o Evento-Teste das ginasticas artística, rítmica e de trampolim, realizado dos dias 14 a 22 de abril, no HSBC Arena, na Barra da Tijuca, Rio de Janeiro.

 

Essa era a última oportunidade de classificação de equipes e de atletas individuais para os Jogos, que se iniciam em Agosto. Todos os que estavam por ali se encontravam em boa forma para competir e alcançar o desejo tão sonhado de estar no maior evento esportivo do mundo representando seu país.

A seleção brasileira feminina (composta por Daniele Hypolito, Jade Barbosa, Flavia Saraiva, Rebeca Andrade, Lorrane dos Santos, Carolyne Pedro e Milena Theodoro) competiu muito bem e conseguiu o primeiro lugar na competição por equipes, superando a equipe da Alemanha, da Bélgica e da França, que junto de Estados Unidos, China, Rússia, Itália, Grã-Bretanha, Japão, Canadá e Holanda, competirão nas Olimpíadas. A surpresa da competição foi a Romênia que, num dia de “apagão” de suas atletas, competiu mal de forma geral e levará apenas uma atleta para o Rio.

13010715_10154176797761388_9204426042271377335_n
Equipe campeã por equipes do Evento-Teste. Créditos: Ricardo Bufolin

No masculino, pelo Brasil, competiram apenas Arthur Zanetti (que superou o grego Eleftherious Petrounias, um dos seus atuais rivais pela medalha) nas Argolas, e também o recém-recuperado de lesão Sergio Sasaki em todos os 6 aparelhos. As equipes da Alemanha, Ucrânia, Holanda, França avançam aos Jogos. Os meninos do Brasil já haviam conseguido a classificação no Mundial do ano passado, realizado em Glasgow.

13151437_10154227951311388_4414679189627654942_n
Arthur Zanetti mais uma vez no lugar mais alto do pódio Créditos: Ricardo Bufolin

E então, com essa gama de bons resultados, fica claro que para os atletas não faltou energia não! Muito pelo contrário. Porém, não era exatamente dos atletas que o título do texto estava tentando falar…

 

Segundo reportagem de 20 de Abril publicada no Estadão , são citadas reclamações de dirigentes de federações e também da própria Federação Internacional de Ginástica, por problemas com a fraca iluminação do ambiente de competição e também contou com 5 falhas de energia em diversos pontos e datas diferentes, durante as competições de ginástica artística, o que prejudica o desempenho dos atletas e do sistema de entrega e cálculo de notas, por exemplo. Em resposta, um dos diretores esportivos do Rio-2016 admite que algumas metas não foram cumpridas, mas promete conseguir lidar com todas as demandas em agosto. Pelo visto, o Evento-Teste serviu de fato como um teste, e esperamos poder ganhar a aprovação de todos durante a realização dos Jogos, seja em termos de resultados com atletas, como na organização também.

Você pode gostar...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Skip to content