Supondo que a verdade seja uma mulher: para uma ética da diferença a partir de Nietzche (V.4, N.3, 2018)

Friedrich Nietzsche, filósofo alemão nascido em 1844, filho de Franziska Oehler e Carl Ludwig, não parece ser, à primeira vista, uma figura privilegiada ou mesmo diferenciada para se pensar questões referentes à discussão de gênero. Ainda que Hannah Arendt, Lou-Andreas Salomé e a pioneira da psicanálise, Sabina Spielrein, tenham lido e escrito sobre a filosofia de Nietzsche, ele permanece, até os dias de hoje, no âmbito da suspeita quando se trata de discutir o tema da mulher ou do feminino.

Você pode gostar...

Skip to content