Com licença, eu tenho uma dúvida…

Será que alguém tem resposta para a minha dúvida? Hoje em dia o negócio são fontes alternativas de energia, biocombustíveis, biomassa, energia eólica, energia solar e etc, etc.

Falar em petróleo é sacrilégio ou qualquer outra fonte de energia não renovável é suicídio e nesse bolo as pessoas incluem o gás natural. Mas eu não acho que o gás natural seja tão terrível assim, tá tudo bem, não é uma fonte renovável, mas não dá pra colocar no mesmo bolo uma vez que ele é menos poluente… Bom, pelo menos foi o que eu ouvi a minha vida inteira e pra confirmar fui atrás de equações químicas que pudessem comprovar isso e se eu ainda tenho algum conhecimento de química guardado acho que não estou tão errada assim… Vamos lá…

Equação de combustão do Gás Natural
CH4 + 2O2 -> CO2 + 2 H2O

Equação de combustão do Etanol
C2H5OH + 3 O2 -> 2CO2 + 3H2O

Equação de combustão da Gasolina
2 C8H10 + 21 O2 -> 16CO2 + 10H2O

Infelizmente não achei a equação de combustão de biomassa, mas acho que deve ser alguma coisa entre a combustão do gás natural e do etanol.

Vamos a minha dúvida… O que compensa mais, você utilizar etanol, que emite mais CO2 mas é renovável ou utilizar Gás Natural que emite menos CO2 mas não é renovável? Até acho que nesse caso o etanol compense, mas e no caso de por exemplo quem queima madeira ao invés de Gás Natural? Não acredito que a queima de madeira seja igual ao do Gás Natural e será que todo o carbono fixado pelas árvores em vida compensa o que será emitido quando elas forem queimadas? Na melhor das hipóteses acho que sai elas por elas e não ajudamos a diminuir o aquecimento global… Ficamos empatados…

Li numa reportagem outro dia que o Al Gore recomendou que um produtor brasileiro de café, fornecedor do Wal Mart nos EUA, que não troque sua fonte de energia renovável (madeira) por gás natural… Eu queria ver esse balanço de carbono pra ver se realmente compensa, não dá pra desconsiderar que usar madeira leva a monocultura e talvez até desmatamento de matas nativas pra plantar “energia”, o que será que compensa?

Será que tudo isso é levado em consideração quando as pessoas saem por ai proclamando que a energia tem que ser renovável e pronto? Por que da mesma forma que a economia não leva em consideração que todos os recursos que usamos da natureza são finitos porque agora eles levariam esses dados em conta agora?

Eu tenho muito cuidado na hora de dizer que a melhor solução pra um problema é apenas uma, porque acredito que não exista solução única para os problemas, assim como não podemos depender única e exclusivamente dos combustíveis fósseis também não podemos depender apenas de plantações. Não vamos cometer o mesmo erro novamente e basear toda uma economia apenas em uma fonte de energia.

3 Comments

  • Leandro
    10 de dezembro de 2007 - 09:27 | Permalink

    Cara Claudia,Realmente não é uma questão muito simples de resolver.O fato de o etanol ser renovável é realmente muito importante, assim como o fato do aproveitamento do gás natural também o ser. (até muito tempo atrás, as jazidas de petróleo misto – com gás – tinha o GN deliberadamente solto ou queimado)Há que se considerar ainda que o etanol, assim como o gás, demandam e liberam muitocarbono no tranporte.Mais um ponto negativo do etanol – depredação ambiental e incontáveis casos de uso de trabalho em condições análagos à escrevidão.Acredito, Claudia, que devemos diversificar a matriz energética e o GN e o etanol tem suas vantagens e devem ser explorados.Até que tenhamos estudos e técnicas suficientes para responder à essa complexa questão.Saudações Leandro Henrique

  • andrea
    11 de dezembro de 2007 - 15:55 | Permalink

    oi cláudia!bacana seu blog!escrevo para saber se você não me ajuda a divulgar o meu… outra questão de sustentabilidade:Nossos copos de vidro ‘gratuitos’ estão com os dias contados. Mais da metade das marcas de requeijão já mudaram para as embalagens de plástico. Em breve esse copo tão brasileiro será apenas uma memória! Participe desta ação fotografando seus copos de requeijão ou escrevendo sua história e enviando para publicar no blog: http://projetorequeijao.blogspot.com/Registre sua apropriação dessa embalagem-objeto e comente, envie relatos, poste suas idéias no blog (de preferência até dia 12/12, antes da exposição). De quebra você ajuda a comprovar que o copo de requeijão é um fenômeno único do design de embalagem brasileiro. Por favor espalhem!!

  • Paula Signorini
    13 de dezembro de 2007 - 14:25 | Permalink

    Oi Claudia…Até onde eu saiba, o negócio é o seguinte:O gás natural é uma mistura complexa de vários gases e as proporções de cada gás são diferentes para cada “jazida”. Mas, basicamente, temos metano, etano, propano, butano e hidrocarbonetos pesados. A quantidade de carbono presente em biomassa é em geral ainda menor do que a presente em gás natural, embora a composição da biomassa também seja bastante variada.Quando fazemos uma média, o fator de emissão associado ao gás natural é maior do que o associado a biomassa. E deve-se considerar que a biomassa fixou todo o carbono que ela libera no momento da queima, ou seja, não está adicionando carbonos extras a atmosfera, assim como acontece com o gás natural.Outro problema do gás natural são as chamadas emissões fugitivas, que podem ocorrem durante a extração, o transporte e o uso. E isso é metano liberado na atmosfera, com 23 x mais “potência” do que o CO2.Espero ter ajudado com seus questionamentos. E obrigada pela indicação do link que vc me passou!

  • Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado.

    Skip to content