Quem pode se declarar realmente responsável?

Recebi várias mensagens de amigos comunicando a decisão do Conselho Nacional de Auto-Regulamentação Publicitária (CONAR) de suspender peças publicitárias da Petrobrás. Decisão inédita do Conar, foi alegado que a afirmação da empresa de que faz tudo com responsabilidade social não é verdadeira. Para maiores detalhes dessa decisão leia aqui.

Mas eu me pergunto, por que apenas os anúncios da Petrobrás foram suspensos? Não estou defendendo a empresa, mas depois de ler essa notícia o que o Conar vai fazer com esse anúncio da Vale?

Posso estar equivocada, talvez a propaganda da Petrobrás seja muito mais mentirosa que a da Vale, talvez a sutileza do texto faça toda a diferença, mas acho que devemos ser coerentes, todo mundo sabe que NENHUMA empresa é totalmente sustentável e portanto acho que TODOS os anúncios, propagandas que tivesse qualquer insinuação sobre o assunto não deveria ser veiculado, certo? Que radical, né? Mas esse foi só o primeiro pensamento que me veio a cabeça sobre o assunto, quem sabe alguém consiga me convencer de algo diferente…

Momento de profundo pessimismo

Hoje é meu aniversário e estou fazendo 27 anos e gostaria muito de estar muito contente por isso, mas diante do que eu vi e ouvi ontem isso só me faz sentir menos esperança de continuar lutando pelo acho realmente certo.

As fotos do post anterior me deixaram muito, mas muito chateada, eu tinha te uma vaga noção de que isso fosse realmente assim, mas ver a foto tornam as coisas muito mais reais e foi muito aborrecedor ver aquela imagem. Depois ainda conversando com uma amiga que trabalha na fiscalização ambiental das obras do Rodoanel ouvi que o presidente da Dersa emitiu um comunicado para todos os consórcios da fiscalização ambiental dizendo que está vetada a emissão de laudos de não-conformidade!!!!!!!!!!!!!!!!!! Quando os homens vão tomar alguma atitude real em relação a destruição que estamos levando nosso único Planeta? Até quando vamos levar o dinheiro como tudo e qualquer coisa que se precisa no mundo?

É difícil ter consciência do que acontece e poder fazer muito pouco para mudar, talvez fosse mais fácil ser uma patricinha preocupada em comprar minhas roupas Diesel que afirmam estar “preparadas” para o aquecimento global. Ou então moradora de um confim qualquer do Planeta que tem que caminhar alguns quilômetros para buscar água, outros tantos para ter acesso a comida e não se preocupar se o mundo do dinheiro esta fazendo ou não alguma coisa para melhorar aquele lugar, sobreviver é a maior preocupação.

A mesma amiga que contou essa fato surreal do Rodoanel questiona como a natureza permite a evolução de um ser a que destrói, talvez seja assim que tem que ser, a natureza cansou de lutar contra e sabe que quanto mais for destruída mais perto o homem estará da própria extinção e assim as coisas serão mais fáceis para ela. Devemos então parar de remar contra a maré e deixar o homem se extinguir? Talvez seja menos desgastante mesmo…

É um absurdo… É um absurdo


Pra variar as imagens falam mais que qualquer palavra.

Pra você saber o que são essas imagens leia aqui.

Água

É tão óbvio que água é importante que não vou discorrer sobre o tema… Acho que esse anúncio ajuda a exemplificar.

Mais atualização da lista

A lista dos meus pecados ambientais… Ela comecou aqui.

1)não sou vegetariana;
2)meu apartamento não tem água individualizada;
3)uso sacos plásticos (não biodegradáveis) para colocar meu lixo;
4)uso absorvente descartáveis; Agora uso o MoonCup
5)às vezes deixo a TV do meu quarto em stand by;
6)como em restaurantes todos os dias e por isso…
7)não faço idéia de onde vem a carne/ vegetais/ frutas que como;
8)compro revistas em papel que algumas vezes poderia ler on-line;
9)compro produtos chineses, alguns legais, outros não;
10)só ás vezes fecho o chuveiro para me ensaboar enquanto tomo banho, no inverno sem chances, não faço isso mesmo;
11)Apesar de usarmos sabão em pedra feito de óleo de cozinha para lavar a louça todos os outros produtos de limpeza da casa não são nada ecológicos.
12)nenhuma das minhas roupas são feitas de algodão orgânico;
13)descobri que a empresa que fabrica meu creme dental faz teste em animais, mas a pasta que eu compro doa uma parte do lucro para o SOS Mata Atlântica, não muda nada, eu sei…

Sobre crescimento

Até que enfim alguém falou alguma coisa que eu concordo sobre a China…

Edição 14 – Abril de 2008

José Eli da Veiga fala sobre a diferença entre crescimento econômico e desenvolvimento

Para o pesquisador e economista José Eli da Veiga, da Universidade de São Paulo (USP), o crescimento econômico não pode ser visto como um fim. Trata-se de uma das partes do processo de desenvolvimento, processo esse que inclui outros componentes essenciais normalmente relegados a segundo plano, como educação, produção científica e sustentabilidade ambiental.

EN – Quais deveriam ser as prioridades do Brasil neste momento se buscasse o desenvolvimento sustentável e não apenas o crescimento?
Veiga – Para buscar desenvolvimento sustentável qualquer país precisa priorizar a expansão das liberdades humanas que seja compatível com a melhor conservação possível dos ecossistemas que a alicerçam. Desenvolvimento e sustentabilidade são dois fenômenos multidimensionais, que não podem ser resumidos em poucas prioridades. Mesmo assim, é certeza que neste início de século 21 nada pode ser mais importante para o Brasil do que garantir ao seu povo tudo o que de melhor houver em termos de educação científica. E simultaneamente consolidar um criativo sistema de Ciência Tecnologia & Inovação, sem o qual nenhuma das demais exigências do desenvolvimento sustentável poderá ser cumprida.

EN – Muitos defendem que o Brasil cresceria mais se não fosse a lei ambiental e a postura exagerada das ONGs em relação a novas grandes obras. Respeito ao meio-ambiente é um entrave ao desenvolvimento?
Veiga – Nessa pergunta está bem clara a confusão entre crescimento e desenvolvimento. Não há dúvida de que o respeito ao meio-ambiente é entrave ao crescimento selvagem – como o Chinês – que muitos desejam. Mas ocorre o contrário com um crescimento civilizado que ajuda a atingir esse fim que é o desenvolvimento sustentável.

EN – Por causa de seu espetacular crescimento, a China tornou-se um ícone no mundo dos negócios. O país afinal não é um bom exemplo para os países emergentes como o Brasil?
Veiga – O estilo de crescimento que prevaleceu na China nas últimas décadas é um dos piores exemplos que pode ser dado a outros países, sejam emergentes ou não. É muito melhor crescer menos, mas ir em direção ao desenvolvimento sustentável, do que crescer muito e depois enfrentar uma catástrofe bélica por razões de energia ou de água, como certamente ocorrerá com a China ainda neste século.

Fonte: Revista Época Negócios

Perguntas sem respostas

Meu pai trabalha em uma plataforma de exploração de petróleo, dessas bem antigas, construídas numa época que ninguém falava de meio ambiente, reciclagem ou ainda sustentabilidade. Mas é claro que para mostrar para o mundo que a empresa é responsável eles foram atrás de 1001 certificações SMS, ISO e blábláblá. E segundo meu pai é blábláblá mesmo para inglês ver. No dia da auditoria eles arrumam a casa, deixam tudo limpo, organizado e no dia seguinte voltam ao normal sem nada das regras impostas por essas certificações. Mas sabe por que? Não é que eles não estão preocupados com o assunto ou acham tudo isso bobagem, é que simplesmente a plataforma não está preparada para as exigências dessas normas.

Imagina a sua casa hoje e de repente alguém na sua família precisa usar cadeira de rodas, sua casa está preparada para receber uma pessoa morando nessas condições? Na minha casa eu tenho certeza que uma cadeira de rodas não passa na porta do meu quarto, que dirá no banheiro pra tomar banho!! Nesse caso fazemos algumas adaptações ou mudamos de casa, caso as adaptações sejam muito complicadas e isso seja possível.

E numa plataforma? A gente joga fora e compra outra? Não, eles tentam fazer adaptações, mas imagina uma construção no meio do mar que pode abrigar 50 pessoas e de repente por causa de diversas exigências tem que abrigar 60 pessoas, como fazer? Faz um “puxadinho”? E as normas de segurança e legislações? Qual é prioridade?

Instalar uma máquina de tratamento de água num espaço restrito e cheio de poréns por motivos de segurança é complicado…

Um exemplo que eu tenho é o prédio onde eu moro. Já disse aqui que não temos água individualizada, fizeram um estudo para verificar essa possibilidade, descobriram que deveriam ser quebrado todos os apartamentos. O prédio vai fazer 3 anos, quem estaria disposto a tal incômodo? O projeto do prédio foi burro? Com toda certeza. Eu deveria ter comprado outro apartamento? Talvez, mas esse nunca vai ser o único motivo para decisão de compra de uma pessoa. Por exemplo, nesse prédio eu não preciso de carro para ir na padaria, no supermercado, no barzinho descolado da cidade, ir ao shopping, posso escolher ir a pé em 2 parques da cidade, meu irmão vai a pé para a escola e na casa da maioria dos amigos. Posso comparar os litros de combustíveis que deixei de queimar com o suposto disperdício da água que meu prédio tem? Duvido que um dia alguém possa me responder isso.

É errado as empresas “fingirem” que são corretas? Acho que sim. Ou seriam as certificações que deveriam ser mais realistas para construções antigas? Ou essas certificações só servem pra isso mesmo, as empresas fingirem que estão cumprindo? Ou deveriam existir certificações mais específicas? Como por exemplo “Certificação Ambiental de Plataformas de Exploração de Petróleo Construídas até 19XX”.

Na verdade o que rola é um círculo vicioso, as empresas são pressionadas pelos acionistas, sociedade, governo para obter certificações e cumprir normas para não perder valor, ou elas obtém essas certificações ou se comprometem e perdem mercado e para conseguir essas certificações elas tentam se adaptar e na maioria das vezes isso vira um fingimento para o auditor ver… E todos saem teoricamente felizes, achando que tal certificação sempre tem algum valor. Resumindo: o mercado manda!!

Se alguém tiver resposta para algumas das minhas perguntas, por favor, me ajude!

Sobre ScienceBlogs Brasil | Anuncie com ScienceBlogs Brasil | Política de Privacidade | Termos e Condições | Contato


ScienceBlogs por Seed Media Group. Group. ©2006-2011 Seed Media Group LLC. Todos direitos garantidos.


Páginas da Seed Media Group Seed Media Group | ScienceBlogs | SEEDMAGAZINE.COM