Carro híbrido no Brasil

Toyota Prius 2010

 

 

 

 

 

Prius da Toyota

A Toyota vai começar a vender o famoso Prius no Brasil, só que ele é importado, só com essa informação já dá pra imaginar que não vai ser muito barato. E pior o carro vem pro Brasil como “carro conceito”, ou seja, puro marketing da Toyota para dizer que é uma empresa preocupada com a sustentabilidade… Mereço? A velha história de fazer somente uma linha de produtos sustentáveis e achar que assim já pode ser considerada sustentável, verde, amiga do meio ambiente e o que mais você quiser.

Eu sei que o mundo hoje não pede mais carros, que mesmo carros híbridos não são um solução sustentável e que a solução passa pelas ciclovias e transporte coletivo. Mas enquanto o mundo ideal não acontece e tudo que a indústria me apresenta são os carros híbridos é deles que eu vou falar. Ou melhor é sobre eles que vou questionar.

O Prius é um carro com 2 motores, um elétrico e um a combustão, a energia proveniente da desaceleração, que seria dissipada em forma de calor, é aproveitada para alimentar o motor elétrico. É uma opção super econômica, pelo menos em relação aos carros beberrões americanos, aqui no Brasil seria se ele fizer os 21,6 km/l na cidade como prometido, mas não comprovado em alguns test-drive. Perfeito mesmo seria se ele fosse ainda flex, mas pra isso acontecer ainda demora um tempo.

Bom, o que me intriga mesmo é a real razão da vinda desse carro pro Brasil. Por que cargas d’água inventam “coisas” sustentáveis que é só para os ricos usarem? Eu sei que tudo depende da escala e talz, mas uma vez que o governo incentiva tanto as montadoras no Brasil, custa incentivar direito? Ou pelo menos de uma forma menos pior? Se é que nesse caso temos uma alternativa menos pior…

6 Comments

  • 7 de dezembro de 2011 - 21:21 | Permalink

    Andei em um Ford Fusion híbrido. O carro estava na cidade (Bagé) para demonstração. Não fui dirigindo pq não estou acostumado com câmbio automático e tenho a carteira faz pouco tempo.
    O carro é bem caro e cheio de frescuras. Por enquanto é um brinquedo para poucos.

  • 9 de dezembro de 2011 - 11:25 | Permalink

    Como boa parte das iniciativas “sustentáveis”. Para poucos. O povão mesmo quer comprar um carro porque o transporte público é caótico. E irá comprar qualquer carro desde que ele consiga pagar, independente de ser híbrido, gasolina, diesel, etc.

  • 28 de dezembro de 2011 - 21:04 | Permalink

    O Luiz Bento falou tudo.
    É economicamente mais interessante para o governo atrair montadoras que vendem este e outros tipos de engodo do que investir no que realmente interessa, transporte público. Mas se o problema fosse só o transporte público nas cidades daria para resolver a médio prazo. Infelizmente nosso país tem um problema bem maior instalado na logística nacional, já que trasportamos quase tudo por rodovias, de pessoas a alimentos e de combustíveis a venenos. Eu poderia falar de portos e aeroportos que também estão muito aquém do que poderíamos ter, mas tínhamos uma malha ferroviária razoável e potencial para investir mais nisso, pois trata-se de um transporte muito mais eficiente, seguro e até ecológico, mas o governo acabou com o pouco que tínhamos e não se mexe quanto a isso. Por quê?
    Temos uma política engessada por interesses econômicos que só favorecem quem sequer conhece o Brasil.

  • TyrBalder
    29 de fevereiro de 2012 - 19:18 | Permalink

    Tem engenheiro brasileiro com boas idéias, porém aqui há vários entraves para boas idéias! Tem gente colocando motor elétrico na roda traseira de carros com freio a tambor, por ficar espaço, porém o desempenho é fraco devido os imãs… Pelo menos ele gera bastante energia sem gastar cavalos; mas mesmo assim, não há no brasil interesse de investir em quem realmente teria uma solução para o público geral; preferem investir em projetos que foram feitos para demorarem eternidade…

  • Armando Nuno de Fiuza Lopes
    7 de abril de 2012 - 18:56 | Permalink

    Na minha opinião o Hibrido no Brasil com ou sem incentivo é um grande passo no bom caminho, o Prius é o modelo de entrada no mercado mais “natural” pelo simples fato de ser o mais vendido no mundo e o primeiro a ser produzido em escala comercial. Relativamente ao Flex que me perdoem os amantes da “tecnologia” mas ela é um grande erro politico. Etanol, sim, gasolina misturada com etanol, ok, mas cada combustivel devidamente padronizado e cada motor desenhado para um exato combustivel, essa filosofia é simples e significa eficiência, algo que o motor FLEX jamais será. As montadoras sabem bem disto mas preferem ficar caladas…

  • 29 de julho de 2014 - 11:33 | Permalink

    Bom dia

    É possivel exportar do Brasil e legalizar em Portugal um carro hibrido?

  • Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *