O Horário de Verão e as Economias de Energia

O Horário de Verão e as Economias de Energia

Durante as próximas semanas vou publicar neste blog uma série de análises considerando a operação de equipamentos residenciais durante dias típicos de verão. Vamos simular a operação dos mesmos em duas situações: considerando o horário normal e horário de verão. Com a maior disseminação de aparelhos de ar condicionado e maiores temperaturas, é necessário conhecer os impactos do HV nas contas de energia dos consumidores e também os efeitos para o sistema elétrico nacional. Estou também planejando estudar os efeitos no setor de comércio e serviços logo mais.

O horário de verão foi instituído há cerca de 30 anos para aproveitar os dias mais longos desse período do ano. Com essa medida buscava-se economizar energia elétrica para a iluminação e também deslocar o uso dos chuveiros, principal equipamento que contribuía para a formação do pico de demanda de eletricidade no Brasil até então. A coincidência do uso da iluminação com os chuveiros das residências no período das 18-21 horas, especialmente no Sudeste e Sul do país era a principal justificativa para o HV. E, de fato, as economias de 1% de energia durante toda a vigência do HV e uma redução de até 4% da carga no período de pico confirmavam os benefícios da medida

Fonte: climatempo

.

 

 

 

 

 

No entanto, esses valores vem caindo nos últimos anos. Novos hábitos de consumo e posse de equipamentos tem sido incorporados nos diversos segmentos de mercado de energia e ainda não temos pesquisas detalhadas o suficiente para estudar seus efeitos no sistema interligado nacional (SIN) e, especialmente importante, seus reflexos para o planejamento energético no médio e longo prazos.

O clima também vem mudando com períodos mais quentes, coincidindo com a estiagem e perdas de reservas de energia nos reservatórios do sistema elétrico.

As estimativas que apresentaremos aqui tem o objetivo de contribuir para melhor entendimento e eventuais adaptações de medidas de economias de energia que melhor capturem as transformações de hábitos de uso e posse de equipamentos dos consumidores.

 

Sobre Gilberto

Professor Titular em Sistemas Energéticos do Departamento de Energia, Faculdade de Engenharia Mecânica da UNICAMP (Universidade de Campinas), Pesquisador Sênior do Núcleo Interdisciplinar de Energia da UNICAMP (NIPE-UNICAMP). Diretor Executivo da International Energy Initiative-IEI, uma pequena, organização não-governamental internacional, independente e de utilidade pública conduzida por especialistas em energia, reconhecidos internacionalmente e com escritórios regionais e programas na América Latina, África e Ásia. O IEI é responsável pela edição do periódico Energy for Sustainable Development, da editora Elsevier.