Débito ou Bola de Neve?

Em 1 ano, dívida de R$ 1 mil no cartão de crédito vira R$ 5 mil.

Você tem ideia de quão altos são os juros do cartão de crédito? Pra ter noção, imagine que uma dívida de R$ 1.000 no cartão pode aumentar 5 vezes em um ano, se nada for pago. Uma verdadeira bola de neve, não é mesmo? Isso se deve à taxa de juros cobrada pelas instituições no cartão de crédito, que está na média de 13% ao mês (junho de 2020).

Pagando apenas o valor mínimo da fatura (15% do total da dívida a cada mês), em um ano, o consumidor terá pago por volta de R$ 1.550 e ainda faltaria cerca de R$ 640. Somente de juros ele teria desembolsado em torno de R$ 1.200.

Uma alternativa geralmente utilizada quando o consumidor percebe que não vai conseguir pagar os gastos no cartão, é trocar a dívida por outra com juros menores. Ao fazer, por exemplo, um empréstimo pessoal, a taxa média a ser paga é de 5% ao mês. Assim, utilizando valores aproximados, o empréstimo de R$ 1.000 seria pago em 12 parcelas de R$ 110, totalizando R$1.320 – 70% a menos do que o valor pago no cartão de crédito.

Será que invertendo a situação, ao invés de pegar dinheiro emprestado, “emprestar dinheiro para o banco”, deixando numa conta poupança, terá o mesmo rendimento? A conta do Nubank, por exemplo, tem rendimento de 0,18% ao mês. Ou seja, o usuário que deixar R$1.000 nessa conta, terá, após um ano, R$1.017,74 . Sim, meros 17 reais e 74 centavos.

É importante se planejar em relação às parcelas e juros a serem pagos ao fazer uma compra, pois mesmo para quem paga suas contas em dia, o peso dos juros é muito alto. Para não se surpreender após alguns meses com o valor atualizado da dívida, é legal calcular tudo antes.

Essa noção de planejamento que envolve conceitos de juros compostos, deve ser desenvolvida no Ensino Médio, como consta no documento da BNCC (Base Nacional Comum Curricular):

(EM13MAT203) Aplicar conceitos matemáticos no planejamento, na execução e na análise de ações envolvendo a utilização de aplicativos e a criação de planilhas (para o controle de orçamento familiar, simuladores de cálculos de juros simples e compostos, entre outros), para tomar decisões.

Os dois recursos da coleção M³ abaixo exploram a temática da matemática financeira, abordando as questões de juros, porcentagens e progressões. As duas mídias tratam de situações em que o personagem economiza dinheiro para investir, e, além disso, a segunda se estende para um contexto mais complexo, em que além de economizar, é necessário também fazer um empréstimo.

O enredo do vídeo traz um pai que decide guardar dinheiro para pagar a faculdade do filho no futuro.

Enquanto o software funciona como um simulador para a aquisição de uma moto, e é uma aplicação do conteúdo de Progressão Geométrica.

Clique na imagem acima para abrir o software

Se interessou em utilizar os recursos com os alunos? Temos materiais que podem auxiliar. Os guias do professor contam com explicações e sugestões de atividades. Abaixo estão os links para os recursos completos.

https://m3.ime.unicamp.br/recursos/1092

www.mais.mat.br/m3/moto

Se gostou, tem alguma dúvida ou crítica, poste nos comentários, ficaremos felizes em respondê-los.

Imagem de capa adaptada de mohamed Hassan por Pixabay

Autora: Letícia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *