Glossário

  • Ciência

    O que o Google nos responde quando pedimos a definição de ciência?

    Destaquei alguns trechos: Em vermelho (linha contínua): definições de ciência como formas de conhecimento sobre as coisas; Em azul (pontilhado): descrições de como essas formas de conhecimentos são obtidas; Em verde (tracejado): visão filosófica da constante evolução da ciência; questionamentos sobre sua própria origem, seus métodos e suas finalidades;
  • Ciência (reflexões)

    Para pensar um pouco mais:

    "A natureza da ciência tem sido objeto de um vigoroso debate ao longo dos séculos – um debate conduzido por cientistas, filósofos, historiadores e outras partes interessadas" (Saiba mais em: O Que é Ciência?). “(...) a ciência não surgiu de repente ou foi inventada num dado momento. Ela evoluiu ao longo do tempo, à medida que as pessoas descobriam novas ferramentas e técnicas, adotavam novos hábitos de comportamento e desenvolviam novas maneiras de pensar na tentativa de explicar os fenômenos à sua volta. E essa evolução não parou; a ciência continua a evoluir” (Saiba mais em: A Origem do Pensamento Científico). "Para discernir criticamente, precisamos conhecer a ciência como método, e não somente seus fatos consolidados". (Saiba mais no blog Ciência e Biotecnologia. No post "O que é Ciência?", o autor faz ótimas analogias para explicar sobre o pensamento científico).
  • Conhecimento científico x senso comum

    O conhecimento científico é a informação e o saber que parte do princípio das análises de fatos cientificamente comprovados; exige base teórica e comprovações a partir de experimentações; é racional, objetivo, analítico, explicativo, acumulativo, entre outros fatores relacionados a investigação metódica.  Já o conhecimento do senso comum é pautado principalmente nas crendices populares, ideias e conceitos que são transmitidos através das gerações por meio de “heranças culturais”. Geralmente essas ideias surgem a partir de relações aparentes de causas e efeitos que nunca foram cientificamente testadas e comprovadas. Quem nunca ouviu frases do tipo: "Olha esse vento nas costas, menino!"? (É... nossas avós sempre preocupadas com nossa saúde! hehehe) Se algum dia esses conhecimentos do senso comum forem investigados, testados e analisados, e tiverem suas causas e efeitos comprovados de forma racional, podem se transformar em conhecimentos científicos (muitas vezes com as devidas correções e atualizações).
  • Cronotipo

    Ritmo corporal interno relacionado às preferências individuais de horários para dormir/acordar e para a realização das atividades diárias. O ramo da ciência que estuda essas características temporais dos organismos é chamado de cronobiologia. Em geral, as pessoas que se sentem mais dispostas realizando suas atividades durante o dia e preferem dormir cedo e também acordar cedo, são consideradas matutinas. As pessoas que têm melhor aproveitamento em suas atividades mais para o período da tarde/noite e preferem dormir tarde e acordar tarde, são consideradas vespertinas. Já as pessoas que conseguem adaptar com maior facilidade seus horários de sono e atividades têm um cronotipo indiferente (ou intermediário).
  • Estereótipos

    Generalizações ou pressupostos que as pessoas fazem sobre comportamentos ou características de determinados grupos sociais, tipos de indivíduos ou situações. Exemplo: estereótipos de gênero - ideias preconcebidas sobre a aparência e os comportamentos que seriam "mais apropriados" para pessoas dos gêneros feminino e masculino (leia sobre o estereótipo de gênero na ciência).
  • Método científico

    Método científico é o conjunto das normas básicas que devem ser seguidas para a produção de conhecimentos (novo conhecimento, atualização ou correção); é um método usado para a pesquisa e comprovação de um determinado conteúdo. Mais informações:

    Steps of the Scientific Method