Atomigurumis

Acho que eu sempre adorei amigurumis, embora nunca tenha coragem de gastar dinheiro comprando-os, então fico sempre na vontade. Várias vezes durante o doutorado eu já me parei em frente a armarinhos pensando se devia ou não comprar aqueles kits de amigurumis para iniciantes… mas pensava melhor e via que não teria como me dedicar a isso. Até que ano passado, soube de um curso livre de artesanato no Shooping aqui de Duque de Caxias, que ensinava entre outras coisas a fazer amigurumis… maravilha, fui no dia, aprendi a fazer aquela carreirinha básica, e depois nunca mais voltei.

Mas não porque desisti, mas depois de comprar os materiais básicos comecei a aprender pelo canal do Youtube Two Bee – Bia Moraes (ela é uma ótima professora), mas parei na segunda aula, logo depois de aprender a fazer uma bolinha (na verdade pulei da aula 2 para a aula 11 pois queria fazer uma Água-Viva). Enfim, a razão de eu não avançar da segunda aula é que quase na mesma época que eu estava terminando de aprender a fazer a bolinha, eu comecei minha Licenciatura em Química, e percebi que poderia fazer uma coisa muito legal com essas bolinhas: átomos e moléculas!

Foi um pouco antes da minha primeira aula de Química Geral I começar, que eu desenhei isso

Contudo, representar átomos e moléculas com amigurumis nem de longe é algo novo. Pensando no que poderia fazer de “diferente”, me veio a ideia de usá-los para representar um tipo específico de molécula, os isômeros.

No caso, isômeros são moléculas formadas por ligações covalentes usando o mesmo conjunto de átomos. Nos rascunhos acima, temos o Etanol e o Éter metílico, ambos formados por 2 átomos de Carbono, 6 átomos de Hidrogênio e 1 átomo de Oxigênio. Assim, mal tinha criado a primeira bolinha de Hidrogênio e já comecei a sonhar com o projeto, pensando em recrutar graduandos para trabalhar comigo em um projeto de pesquisa, e foi isso que aconteceu. Elaborei o projeto Isomeria molecular representada por amigurumis, um projeto de pesquisa sem bolsa (eu enviei antes disso dois projetos para o edital que atribuiria bolsas, foram aprovados mas sem bolsa, dai pensei, que se fosse recrutar gente pra trabalhar em projetos “chatos” precisavam receber por isso), de modo que pudesse acolher até 4 pesquisadores voluntários a nível de graduação (embora não tenham bolsas, estarão fazendo amigurumis, então não é tão chato assim para participar).

Dai o projeto foi ganhando corpo, com a ajuda professora de Química Geral I, vim a saber de questões a mais que poderiam ser exploradas na elaboração dos amigurumis, como o tamanho deles ter proporção com seu raio covalente e a cor deles seguir uma tabela específica de coloração. O projeto em si segue em andamento, atualmente tenho três orientandas trabalhando nele e o objetivo é conseguirmos construir alguns materiais e testá-los com os alunos do próprio IFRJ ou em outras escolas em que tenhamos contato direto.

O passo a passo dos amigurumis produzidos segue sendo compartilhado no perfil do instagram: atomigurumis. Seu nome procura fazer referência a “átomos” e “amigurumis”, como uma junção de ambas as palavras para representar que são amigurumis de átomos. O logo do projeto procura representar átomos conectados, sem especificar quais, ao mesmo tempo que incorpora (como em todos os outros logos dos projetos que desenvolvi) as seis cores da bandeira do Arco-Íriis.

https://www.instagram.com/atomigurumis/

Legal… mas o que isso tudo tem a ver com este blog de matemática?

Embora eu possa muito bem falar de ciências aqui sem necessariamente estar fora do escopo deste blog, há uma questão matemática “escondida” neste projeto, vamos ver se você descobre.

  • Cada átomo de hidrogênio admite uma ligação covalente;
  • Quais moléculas posso formar com átomos de hidrogênio?
  • Apenas uma, o H2.

  • Cada átomo de carbono admite quatro ligações covalentes;
  • Quais moléculas posso formar com um átomo de carbono e inúmeros de hidrogênio?
  • Apenas uma, o CH4.

  • Cada átomo de oxigênio admite duas ligações covalentes;
  • Quais moléculas posso formar com um átomo de oxigênio, um de carbono e inúmeros de hidrogênio?
  • Agora as combinações aumentam, temos o H2O, HOCH3, OCH2.

Percebe como aumentando o número de átomos com mais ligações, aumentamos nossas moléculas possíveis, e encontrar as moléculas possíveis é um trabalho complexo se não utilizarmos um pouco de análise combinatória (daí a relação de todo esse trabalho com a matemática). Por exemplo, até agora tenho 3 átomos de carbono, 2 de oxigênio e 9 de hidrogênio, e no perfil atomigurumis há 19 moléculas fofinhas feitas com eles. Contudo, nem toda combinação possível matematicamente é possível na química, e fazer essa licenciatura em Química está me ajudando inclusive, a ter uma noção intuitiva de quando isso vai dar problema (mas uma pesquisada rápida na internet antes de postar mais um atomigurumi ajuda).

Estou para terminar mais um parzinho de Carbono e Hidrogênio, e com isso conseguirei formar outro isômero (que já havia planejado lá atrás quando este projeto começou e até agora segue só no rascunho), estou falando do isobutano e do metilpropano.

Sem falar de alguns outros que provavelmente serão possíveis formar com os 4 carbonos.

Espero que tenha gostado de conhecer esse projetinho :3


Como referenciar este conteúdo em formato ABNT (baseado na norma NBR 6023/2018):

SILVA, Marcos Henrique de Paula Dias da. Atomigurumis. In: UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS. Zero – Blog de Ciência da UnicampVolume 11. Ed. 1. 1º semestre de 2024. Campinas, 17 fev. 2024. Disponível em: https://www.blogs.unicamp.br/zero/5593. Acesso em: <data-de-hoje>.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *