A vacinação é direito de todos, inclusive das plantas!

Fonte: Plant-Based Vaccines Group, University of Cape Town

A corrida pela busca e aprovação da vacina contra a COVID-19 trouxe à tona a importância da vacinação.

A vacinação é um dos mecanismos mais eficazes para proteção do nosso organismo contra agentes infecciosos, como vírus e bactérias. 

Como diz o ditado: “É melhor prevenir do que remediar!”. Então, depois de ler esse post, tire um minutinho do seu dia e reveja sua cartilha de vacinação, mantenha ela sempre atualizada, sua saúde agradece e a sociedade também!

Mas, aqui no Descascando a Ciência, nós falamos sobre plantas e agricultura, não é mesmo? Então por que eu estou falando sobre vacinação?

Muito simples, porque as plantas também podem ser “vacinadas”.

Indução de resistência

Como já vimos em outro post, as plantas, assim como os humanos, possuem respostas de defesa a microrganismos invasores.

E assim como ocorre nos animais e seres humanos, alguns microrganismos  são capazes ativar as respostas de defesa das plantas. Este fenômeno é conhecido como indução de resistência em plantas. Vírus, bactérias e fungos podem induzir a resistência das plantas contra o ataque de microrganismos fitopatogênicos.

Eles agem como alarmes, e preparam as plantas para um eventual ataque de um patógeno. Quando a planta está com seu sistema de defesa ativo, há uma maior rapidez na produção de substâncias contra os fitopatógenos. Consequentemente, a própria planta é capaz de impedir o progresso da doença.

MICRORGANISMO: são organismos que só podem ser vistos ao microscópio. Incluem as bactérias, os protozoários, as algas unicelulares, fungos (as leveduras unicelulares assim como os demais fungos pluricelulares). Muitos microrganismos são agentes patogênicos, mas muitos são benéficos para outras espécies.

PATÓGENO:  Organismos que são capazes de causar doença em um hospedeiro.

Leveduras

Dentre esses microrganismos estão as leveduras, que são tipos de fungos formados por uma única célula.

E além de servirem para fazer cerveja, as leveduras também são capazes de proteger as plantas!

Alguns pesquisadores observaram que a aplicação destas leveduras era muito mais eficiente quando aplicados antes da presença do patógeno. Essa observação levantou a hipótese de que as leveduras poderiam induzir processos de resistência na casca das frutas, como laranjas.

É possível que as leveduras produzam substâncias que ao interagirem com a laranja, desencadeiem respostas de defesa, deixando ela preparada para atacar o patógeno.

Bactérias

As bactérias também podem agir como indutores de resisência em plantas. Por sso, caro leitor, não pense que todas as bactérias possam causar doenças nas plantas, pois algumas podem protegê-las.

É o caso, por exemplo, da bactéria Bacillus subtilis. Quando aplicada no solo e nas folhas de plantas de tomate (tomateiro), as plantas ativam a produção de uma enzima (peroxidase) relacionada com a defesa das plantas, e impedem o desenvolvimento de doenças causadas por Alternaria solani (pinta preta) e Phytophthora infestans (requeima).

O Futuro

Apesar de serem resultados promissores, ainda não foram observadas evidências diretas da capacidade dessas substâncias em inibirem a infecção e o desenvolvimento dos patógenos. Por isso, pesquisas ainda precisam ser conduzidas, para quem sabe um dia, haja uma “vacina” contra doenças de plantas.

Até mais!

Escrito por Tatiane da Cunha e Diogo Manzano Galdeano

Referências

Spadaro, D., & Droby, S. (2016). Development of biocontrol products for postharvest diseases of fruit: the importance of elucidating the mechanisms of action of yeast antagonists. Trends in Food Science & Technology47, 39-49.

Araujo, F.F. & Menezes, D.. Indução de resistência a doenças foliares em tomateiro por indutores biótico (Bacillus subtilis) e Abiótico (Acibenzolar-S-Metil). Summa Phytopathologica, v.35, n.3, p.169-172, 2009.

Sobre Descascando a ciência 65 Artigos
O objetivo do Descascando é deixar conteúdos sobre o mundo agrícola e a ciência mais fáceis de serem entendidos. Queremos facilitar o "cientifiquês", para que todos tenham acesso à informação.

4 Comentários

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*