Planta tem dor de barriga?

As bacterioses intestinais são responsáveis por inúmeros casos de infecções (e muita dor de barriga!) em seres humanos. Elas são majoritariamente causadas por bactérias dos gêneros Salmonella e também linhagens agressivas de Escherichia coli, podendo evoluir para casos bastante graves e ocasionar, inclusive, a morte de pacientes. 

A principal forma de contágio é a ingestão acidental de alimentos de origem animal, especialmente ovos, os quais carregam estas bactérias. No entanto, nos últimos anos, uma fonte surpreendente destas bactérias tem sido frequentemente associada a casos de epidemias por bactérias como Salmonella.

Inicialmente, casos de salmoneloses decorrentes da ingestão de vegetais contaminados foram associados à possível irrigação dos mesmos com água contaminada. No entanto, estudos mais aprofundados mostraram que – surpreendentemente – estas bactérias haviam desenvolvido a capacidade de penetrar e se estabelecer no interior de plantas.

Nestes locais, protegidas da ação dos mais diversos sanitizantes superficiais (como cloro), sucessivos casos de infecções intestinais pela ingestão de vegetais foram sendo sucessivamente relatados.

E o que se sabe até o momento sobre tais bactérias?

Algumas linhagens já foram descritas tendo a habilidade de conseguir encontrar raízes, seguindo os exsudatos produzidos por tais órgãos.

Também se sabe que podem penetrar pelos estômatos (aberturas naturais presentes nas folhas). Após estas primeiras barreiras, com relação à penetração no hospedeiro, serem quebradas, o próximo desafio destas bactérias é se estabelecer em um organismo bem diferente, já que plantas e o intestino de animais são ambientes completamente distintos, não é mesmo?

Este novo campo que estuda os patógenos de humanos em plantas (“HPOP” em inglês – human pathogens on plants) tem especial interesse por esta etapa do ciclo de vida, onde bactérias devem “burlar” o sistema de defesa vegetal.

As plantas são capazes de perceber que estão sendo invadidas por bactérias, pois percebem padrões moleculares associados a estes organismos (conhecidos como “PAMPs”), como a presença de flagelina e LPS, presentes somente dentre tais micro-organismos. Ainda assim, estas bactérias conseguem enganar este sistema de defesa das plantas e colonizá-las.

Ainda não se sabe como estas bactérias de humanos conseguem fazer isso em plantas, mas acredita-se que possam confundir o sistema de defesa da planta, mas utilizando diferentes estratégias.

Se quiserem saber mais, acessem o artigo completo.

Escrito por Paula Maria Moreira Martins

Sobre Laís 27 Artigos
Bióloga, Mestre em Agricultura Tropical e Subtropical, Doutora em Genética e Biologia Molecular e Pós-doutoranda do Centro de Citricultura "Sylvio Moreira".

1 Comentário

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*