Escolha uma Página

 Existem maneiras mais fáceis de matar um homem-morcego.

ResearchBlogging.orgEm 2008 o Breno relatou aqui no blog o que na época era um verdadeiro mistério. Morcegos estavam morrendo de forma recorrente em usinas de produção de energia eólica e o motivo ainda era uma incógnita. Além de ser um dos motivos de porque não vemos geradores de energia eólica próximos a batcarverna, hoje sabe-se que o problema não é incomum. Nos EUA levantamentos mostram que milhares de morcegos morrem por ano devido a este problema. O presidente da Bat Convervation International foi entrevistado pelo Wall Street Journal e afirmou que “A maioria dos biólogos vão te dizer que ao longo do tempo e, cumulativamente, [morcegos] não serão capazes de sustentar essas taxas de mortalidade“. O problema da energia eólica em relação aos morcegos parece sério, mas esse não é o único problema que eles enfrentam em relação a fontes consideradas “limpas” de energia e tecnologias energeticamente mais eficientes.

 

 Fonte: For the wind

 

Uma medida importante na transição para uma sociedade energeticamente mais eficiente está na mudança em como iluminamos nossas cidades. A iluminação artificial em si já é um problema significativo, podendo alterar o hábito de alimentação (concentração de insetos atraídos pela luz) e deslocamento de espécies de pássaros. Este efeito é potencializado em animais noturnos como os morcegos e é espécie-específico. Isto significa que, dependendo da espécie, o efeito pode ser muito diferente e por isso é muito importante que estudos sejam feitos antes de uma adoção em larga escala de um tipo diferente de iluminação artificial. Estes efeitos são bastante estudados para lâmpadas incandescentes e de sódio, mas não para LED. Com a pressão recente por adoção em larga escala desta tecnologia mais eficiente, cada vez mais veremos este tipo de iluminação nas grandes cidades e em regiões próximas a parques e reservas naturais. Mas qual seria o efeito da iluminação LED nos morcegos? Seria igual ao efeito da iluminação com lâmpadas incandescentes?

Com esta ideia a pesquisadora britânica Emma Stone e colaboradores publicaram no periódico Global Change Biology o primeiro estudo sobre o impacto da iluminação artificial LED em morcegos. O trabalho foi experimental e testou a influência deste tipo de iluminação em cinco espécies de morcegos. As duas principais conclusões do trabalho foram que os efeitos da iluminação LED são espécie-específicos e que houve um efeito significativo em pelo menos duas espécies de morcego estudadas. Na teoria o efeito do LED deveria ser menor que o de lâmpadas de sódio e incandescentes nos morcegos, já que a emissão de luz ultravioleta é menor, o que atrairia menos insetos. Porém este estudo experimental mostra que o efeito da iluminação de LED foi significativo em duas espécies de morcego e similares aos causados pela iluminação por lâmpadas de sódio. Emma e colaboradores concluem então que o efeito da iluminação artificial com lâmpadas de LED pode alterar o comportamento de espécies de morcego e ter consequências para a sua conservação.

Conclusão interessante, mas para mim o que faltou neste estudo foi uma comparação direta entre os diferentes tipos de iluminação artificial nos morcegos. A conclusão que podemos chegar é que a iluminação com lâmpadas LED também podem influenciar negativamente algumas espécies de morcego, mas ainda não sabemos se de forma mais ou menos significativa do que lâmpadas incandescentes ou de sódio. Desta forma o problema principal continua sendo a iluminação artificial em si e não a tecnologia. Os  autores reforçam na conclusão do artigo que toda a nova tecnologia deve ser testada independente de objetivos econômicos, energéticos e sociais. Mas para isso não adianta dizermos que a lâmpadas LED fazem tão mal a população de morcegos quanto os outros tipos de iluminação. Temos que testar de forma comparativa e só assim poderemos ter mais um motivo para decidirmos a tecnologia de melhor custo benefício para nossa sociedade.

 

Referência:

Stone, E. L., Jones, G., & Harris, S. (2012). Conserving energy at a cost to biodiversity? Impacts of
LED lighting on bats Global Change Biology, 18, 2458-2465 DOI: 10.1111/j.1365-2486.2012.02705.x

Skip to content