“Mercado mais verde requer profissionais com visão estratégica”

Leia essa notícia aqui. Essa reportagem faz parte da série de reportagens que eu já citei nesse post há 1 ano. Na verdade achei essa pior, bem pior. Impressionante como ela se contradiz sem o menor pudor!!
Na primeira parte da reportagem conta todas as vantagens que tem um profissional preocupado com sustentabilidade e aspectos ambientais e sociais, fala o quanto eles estão na frente dos outros profissionais que não sabem de nada do assunto. Ai na segunda parte mostra uma pesquisa que diz que 70,9% dos processos seletivos não faz perguntas ao candidato sobre sustentabilidade, 59% afirma que é indiferente a participação do candidato em organizações ambientais e 42,4% nem pergunta se os candidatos participam de atividades ou programas sociais. Me diz onde o candidato leva vantagem se ninguém questiona-o sobre o assunto?
Outra coisa que me tira do sério é esse blábláblá de empregos verdes. Alguma alma generosa por favor me explica que raios são os empregos verdes? Jogador do palmeiras tem um emprego verde? A mulher samambaia tem um emprego verde? Ou seria o jardineiro que tem emprego verde? Ta, ta bom eu fui ignorante, mas dá pra colocar no mesmo balaio o catador de lixo reciclável, o engenheiro de produção de uma usina de álcool e diretor de sustentabilidade de uma multinacional? Ai vem a imprensa e solta que estão sendo gerados não sei quantos mil empregos verdes. Ta, mas em que nível? Pra quem? Onde? Ninguém fala… Essas reportagens são um desserviço, por que pra mim qualquer emprego pode ser verde ou nenhum emprego é verde se não quiser.
Jornalistas por favor, sejam coerentes e específicos, ajudem a educar as pessoas, de notícias pra enganar bobos estamos cheios e eu prefiro ler fofocas de artistas!

10 Comments

  • 13 de fevereiro de 2009 - 01:53 | Permalink

    Claudia, antes de mais nada gostaria de dizer que sou seguidor do seu blog e fão, pois vc tem trazido bons temas e aprimorado sua escrita a cada dia que passa. Em relação ao tema aqui comentado acho de grande importância ressaltar o perigo do tema da sustentabilidade virar manchete de tablóide sem conteúdo no artigo. Como é o segundo nessa semana, tomei a liberdade de transcrever suas palavras no meu blog pra ilustrar o assunto. Caso vc não fique contente com meu copy/paste descarado, peço que me avise para que eu tire do ar… um abraço!
    http://rambodiariodebordo.blogspot.com/2009/02/o-desservico-da-desinformacao.html

  • 13 de fevereiro de 2009 - 04:58 | Permalink

    O pior, Clau, ‘e que o “verde” pra uma empresa, nao ‘e o “verde” pra ativista.
    O Verde virou um discurso coorporativo, areas ‘obrigatoria’ mas com pouca gente coerente.
    E, mais, acho que verde de tao na moda que esta’, ‘e visto como arvore. Ninguem relaciona, o post da Paula sobre bilhete unico a alguma coisa verde, pois criou-se uma visao reducionista da coisa.
    Triste.
    E, acho que ser mulher samambaia deve ser legal. Ela deve receber bem mais doque agente, e ainda trabalhar bem menos.

  • 13 de fevereiro de 2009 - 09:13 | Permalink

    Convenhamos, o discurso ‘verde’ da indústria nunca foi sério. Foi apenas como apelo mercadológico, ‘marketing’ mesmo. Ou alguém viu algum modelo produtivo mudar? Tomemos como exemplo a indústria de automóveis. É aceitável continuarmos aproduzir veículos sem uma estrutura adequada de reciclagem daqueles obsoletos? Enquanto o modelo produtivo não adotar uma forma séria de fechar o circuito, um ‘ciclo de vida’, nada muda.

  • 14 de fevereiro de 2009 - 20:12 | Permalink

    Ah, vai ver ela não tinha oq escrever e colocou qualquer coisa, só pra aproveitar a onda verde que tem tomado o meio empresarial, que como o Romulo Viel disse logo acima, esse discurso nunca foi sério, é apenas uma jogada de marketing para um novo publico que tem surgido: aqueles realmente preocupados com o meio ambiente…o negócio é criar uma outra onda de contatos e por tal, influencias, de denuncia dessas empresas hipócritas.
    qualquer coisa, to nessa! conte com o ciber-ativista!
    abraços
    Daniel

  • 15 de fevereiro de 2009 - 10:53 | Permalink

    Concordo total!! Tá td mundo se iludindo achando q é possivel ser verde, sustentavel e resposavel sem mudar nada. Qdo as pessoas vao se tocar disso? Aliás, será q um dia se tocarão?

  • 15 de fevereiro de 2009 - 10:54 | Permalink

    Bom saber q temos mais gente preocupada MESMO com o futuro! 🙂

  • 15 de fevereiro de 2009 - 19:59 | Permalink

    Muito bem colocado Claudia.

  • 16 de fevereiro de 2009 - 22:28 | Permalink

    Mandou bem, enquanto não mudar o paradigma, essas representações (energia limpa, ecoeficiência, sustentabilidade, empregos verdes) não nos servem para nada e o carro desgovernado seguirá em direção ao precipício. O duro dessa trajetória é ter que aguentar a elite iluminada dizendo que sabe o que fazer para deter a queda… Sabe? Duvido. Mal se lembram que são elos de uma cadeia de vida. Sem humildade, não dá para engoliar.
    bjs Hugo

  • Laila Rocha
    5 de maio de 2009 - 11:14 | Permalink

    Olá Claudia!
    Primeiramente, parabéns pelo seu blog, adicionei aos meus favoritos!
    Este tipo de coisa me dá uma tristeza, pois estou me formando em administração de empresas (escolhi este curso pois não sabia o que fazer da vida aos 17 anos), quero direcionar meu curso para a área de sustentabilidade, e devido à incoerência da minha formação e experiência profissional (até hoje estágios na área financeira por necessidade de pagar as contas), sei que vou ter que penar muito através de cursos e processos seletivos para talvez não conseguir nada…
    Ou talvez conseguir um “emprego verde” totalmente voltado para marketing e sem nenhuma preocupação real por parte da empresa… estou perdida…
    bjs

  • 5 de maio de 2009 - 11:47 | Permalink

    Olá Laila! Bem-vinda ao mundo real! Mas nao desanime, tem q começar de algum jeito, né? Nem q seja no mkt e na sustentabilidade de mentira… é preciso pessoas q pensem de maneira mais inteligente a sustentabilidade nas empresas, seja do jeito q for.
    Obrigada pelo comentário!

  • Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado.

    Skip to content