O Eco-capitalista

fastinterview-tom-szaky-terracycle1.jpg

Esqueça o cara dos carpetes, esqueça todos os Bancos da Sustentabilidade e tudo de eco-empresas que você já ouviu ou viu por aqui. Essas empresas são parte do passado por simplesmente se “adaptarem”, elas já existiam quando ninguém se preocupava com meio ambiente, mudaram um pouquinho e lançaram uma nova tendência. O mais fantástico mesmo é a Terra-Cycle, uma empresa que nasceu pra ser sustentável, desde a origem da matéria-prima dos seus produtos até as embalagens.

Afinal o que tem de tão maravilhoso essa empresa?

A TerraCycle foi originalmente concebida como uma transportadora de resíduos alimentares, eles seriam pagos para remover os resíduos e dá-los a minhocas. O adubo de côco de minhoca foi apenas um bom subproduto, mas logo depois virou o produto deles. E um produto feito e embalado por resíduos, como eles não tinham dinheiro para comprar embalagens para o húmus, resolveram utilizar garrafas PETs usadas. Desde então todos os produtos partem desse princípio: reutilizar resíduos que teriam como destino o lixo. Hoje os produtos da empresa são os mais variados desde os famosos fertilizantes de côco de minhocas até repelentes, materiais de limpeza, mochilas, bolsas e materiais de escritório. Todos produzidos ou embalados com garrafas de refrigerante, leite, embalagens de salgadinhos, sacolas plásticas, jornais e etc.

Tom Szaky, um dos fundadores e CEO da empresa, possui um blog chamado The Eco-capitalist, é nascido na Hungria e largou Princeton no segundo ano para fundar a Terra Cycle. Uma das coisas que eu mais gostei de ler nas entrevistas dele é que ele sempre bate na tecla de que o interesse não é reciclar materiais, isso sai tão caro quanto usar materiais novos, a idéia principal mesmo é reutilizar lixo como matéria-prima.

Se você for parar pra pensar bem sobre essa empresa ela não tem nada de muito revolucionário, convenhamos, quem não está cansado de ver aqui no Brasil gente fazendo os mais variados objetos de garrafas PET? Vermicompostagem não é uma coisa nada nova, existe desde sempre, só que Tom Szaky profissionalizou tudo isso e vendeu muito bem a idéia, ele é um empreendendor e o que me deixa mais feliz é ver produtos eco em sua essência.

Essa empresa é ou não um exemplo do que deveriam ser negócios sustentáveis? Espero que os jovens se inspirem em Tom Szaky e daqui pra frente não almejem ser os CEOs de empresas velhas, com conceitos velhos e ultrapassados, são dessas inovações que precisamos, novos conceitos e um modo completamente diferente de se fazer negócios. Isso é um exemplo de revolução verde.

Segue o video promocional da empresa.

E alguns dos textos que li sobre a empresa e seu fundador (Todos em inglês):

http://ecofrenzy.wordpress.com/2008/08/25/broke-and-trying-to-grow-better-pot-two-ingredients-for-world-class-eco-innovation/

http://www.greenbiz.com/blog/2009/03/09/tom-szaky-writes-garbage

http://www.terracycle.net/media/08-09-02–greenbuzinnovators/08-09-02–greenbuzinnovators.html

2 Comments

  • 21 de maio de 2009 - 18:08 | Permalink

    Claudia, não dá pra esquecer a Votorantim, a Cosipa, a Vale e tantas outras empresas velhas com conceitos ultrapassados. Elas estão aí e continuarão por aí. Precisamos fazer elas se adaptarem sim. Discordo de você, se elas não se adaptarem continuarão aí esculhambando o meio ambiente e nada melhor que jovens como o sujeito do seu texto almeje ser o CEO de uma delas pra levar pra lá conceitos novos de produção sustentável e ecológicas. Obvio que é lindo ver empresas nascerem eco-Capipalistas, elas salvaria o planeta se tivessem nascido h[a 300 anos. Mas convenhamos, é tarde e não serão elas a salvar o planeta.
    Beijo

  • 31 de julho de 2009 - 00:17 | Permalink

    O Modelo de Empresas Sociais trabalha exatamente com isso,Cláudia!
    São Empresas que NASCEM desde seu princípio com alma e vontade de lucrarem e seus core-works são de impacto social. Não é como as empresas tradicionais que fazem trabalhos de sustentabilidade, que têm uma área de responsabilidade social para amenizar o estrago que seu core-work gera!
    Há muita informação sobre esse tipo de empresas no site da Fundação Artemisia: http://www.artemisia-international.org e nós da Tekoha somos um empreendimento ligado a eles, além de sermos uma empresa social! =)

  • Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado.

    Skip to content