Não use a ignorância como desculpa

ignorancia

Esse post vai ser bastante polêmico, acredito eu, mas é o que estou pensando sobre o assunto agora, acho até que estou pegando pesado demais, mas pode ser que eu mude de idéia, ou não.

Meu amigo Francisco deixou o seguinte comentário no post das lixeiras de shopping: “Posso estar enganado, mas muitas vezes, os próprios consumidores não sabem direito como agir diante da opção de coleta seletiva. Por exemplo, muitas pessoas podem ficar em dúvida na hora de descartarem um guardanapo totalmente sujo com alimentos. A pessoa pode pensar: "será que posso jogar este papel com restos orgânicos na cesta de lixo reciclável?" Eu, como não sou especialista neste assunto tenho este tipo de dúvida e acredito que a maioria da população leiga como eu também.”

Quando conversei sobre o assunto com o Chico eu falei claramente: “Chico, pra mim ignorância não é desculpa.” E nesse caso de coleta seletiva e lixo reciclável não aceito de forma alguma alguém dizer que não separa o lixo porque não sabe, ainda mais num shopping.

Por que eu penso assim? As pessoas que frequentam um shopping são pessoas que podem muito bem se informar a respeito e não ficar por muito tempo com a dúvida de onde jogar o lixo, se elas não se interessam pelo assunto e não procuram saber a respeito são outros quinhentos e o argumento é outro. As pessoas tem plenos direitos de simplesmente não se importarem em separar o lixo e achar que isso não é necessário. Pronto, fim, eu não faço pois não me importo e não por que não sei.

Ah, mas e as pessoas mais humildes que não tem acesso a educação, internet e etc? E não tem pra quem perguntar? Bom, posso estar sendo simplista demais mas eu chego a duvidar se realmente existem pessoas que não tem acesso a internet, todo mundo que eu conheço tem orkut, como assim existem pessoas que não tem acesso a internet? E outra, MUITAS mas MUITAS mesmo, dessas pessoas ditas excluídas digitalmente fazem o que? São catadores de lixo, de sucata e quem melhor do que eles pra saber qual lixo serve pra reciclar e qual não serve? Se elas não souberem desculpe, para tudo porque tá tudo errado mesmo.

Gente, mais uma vez eu peço aqui: vamos assumir a hipocrisia! Não utilizem argumentos falsos, fracos e sem sentido pra justificar uma coisa que você não se importa. Se você não sabe como fazer melhor a sua parte na hora de ser mais sustentável, mais responsável assuma que você não sabe isso porque nunca procurou saber, não por que não te ensinaram e ponto final. Isso é dar uma de João sem braço. E isso não serve só para o lixo que você não separa, mas também para a sacola plástica que você não substitui, a economia de água e energia que você não faz, o carro que você não consegue nunca deixar na garagem e etc, etc etc.

Outro dia comentei com o Vitor que eu tenho o péssimo costume (estou me policiando para acabar com ele) de querer defender as pessoas delas mesmas, apostar que as pessoas não sabem é exatamente isso. A ignorância é uma benção e as pessoas gostam de ser agraciadas por ela e muitas vezes optam que assim seja e não há nada que ninguém possa fazer a respeito. Eu poderia ficar aqui até amanhã argumentando sobre isso, mas esse não é o tema do blog.

 

Em tempo: Guardanapos, lenços de papel, papel higiênico usados são lixo orgânico, na verdade nem sei se é correto utilizar essa definição mas isso quer dizer não-reciclável. Se você não sabe o que fazer com algum determinado resíduo você tem 2 opções: 1) guardar o lixo até ter certeza para onde encaminhá-lo ou 2) descartá-lo como lixo orgânico que irá para um aterro sanitário, o que não é de todo ruim uma vez que uma parcela muito pequena do lixo no Brasil é de fato reciclada.

 

Imagem: http://www.flickr.com/photos/arycolorize/3702752024/

5 Comments

  • 23 de setembro de 2009 - 11:02 | Permalink

    esse lance de separar o lixo me lembrou de um episódio de quando estava no aeroporto de curitiba.
    enquanto esperava a hora pro embarque fiquei sentado próximo a umas lixeiras que eram separadas em uns 3 tipo de materiais (papel, plástico e outros, se não me engano) e eis que passou dois funcionários recolhendo o lixo.
    sabe o que fizeram? eles tiraram a tampa do lixo e foram colocando um saco dentro do outro… e pronto!
    mesmo que as pessoas tivessem separado tudo direitinho, todo o esforço (que não deveria ser muito) foi por água abaixo.
    para que a coleta seletiva ocorra corretamente, não basta ter lixos separados, nem pessoas educadas corretamente (ou “conscientizadas”, como é cunhada no “eco”-modismo atual), é necessário que todos os passos desse processo estejam de acordo, se não de nada adianta.
    mudanças de cima pra baixo poucas vezes tem efeito. é necessário que as mudanças ocorram na base do pensamento do brasileiro (e isso leva tempo).

  • 23 de setembro de 2009 - 11:15 | Permalink

    Concordo com você totalmente.
    E se querem mesmo separar o lixo, por que não uma plaquinha em cima das lixeiras escrita “Não sabe o que fazer? Deixe na bandeja que nossos funcionários separam para você!”?

  • 23 de setembro de 2009 - 14:39 | Permalink

    OK… consideremos que as pessoas não estejam a fim de procurar a informação… Não seria mais útil obrigá-las de alguma forma a acharem essa informação? Fácil, colocando o que deve ser jogado lá na própria lixeira e o que não deve ser jogado e pronto? Ou simplesmente como o Igor falou, deixando que os funcionários sejam encarregados pela separação?
    Hipocrisia não é mesmo justificativa. Mas a gente não pode se conformar com a hipocrisia alheia. Pode?

  • 23 de setembro de 2009 - 16:02 | Permalink

    Concordo plenamente com o Glenn.
    Do que adianta termos latas de lixo separadas em todos os shoppings do Brasil se apenas uma milionésima parte é realmente levada para ser reciclada? Isso é mais do que uma hipocrisia, é uma mentira deslavada. Isso mostra como o ambientalismo hoje é só moda e nada mais do que isso. Se eles realmente quisessem reciclar alguma coisa tratariam de colocar um sistema realmente efetivo de coleta e separação do lixo reciclado.
    Ficar separando em casa para depois ir tudo para o mesmo saco serve apenas para o ambientalista dormir mais feliz.

  • 30 de setembro de 2009 - 05:23 | Permalink

    Pois é, reciclagem no Brasil ainda tá muito fraquinha. Mas mais que questão de conscientização, eu acho que é mais questão de costume mesmo.
    Aqui no Japão, não somente em shoppings e restaurantes fast-food, mas também o lixo que você joga fora na sua casa tem que ser separado. O caminhão de lixo passa em dias diferentes de acordo com a divisão, que muda de acordo com a área. Aqui onde eu moro, a divisão nem é tanta: um dia pra latinhas, garrafas pet e garrafas de vidro, outro dia pra coisas grandes que possam ser reutilizadas, como livros, rádio, tapete, roupas… E outro dia pro resto. Há lugares onde até esse resto é subdividido em produtos orgânicos, plástico e tal.
    Aqui no Japão, você se acostuma. Tanto que quando eu tô no Brasil imediatamente me dá pena quando eu jogo uma garrafa pet no lixo junto do resto. Me acostumei.
    Ainda assim, o Japão ainda é um dos países mais responsáveis pela poluição de oceanos no planeta, jogando um monte de plástico lá… Essa coleta seletiva toda tá adiantando?

  • Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado.

    Skip to content