Quanto vale um animal selvagem?

jararaca

 

Os pais do meu namorado encontraram uma cobra no sítio. Colocaram-na numa garrafa PET e não sabiam o que fazer com o animal. Ligaram no bombeiro e eles disseram que não recolhem esse tipo de animal e na maioria das vezes as pessoas matam. Ai eles passaram o telefone de uma pessoa que geralmente recolhe cobras, só que essa pessoa estava em outra cidade, mais ou menos uns 60km de distância.

Pois bem, ligamos para a pessoa e ele rodou os 60km para ver a cobra, nós rodamos mais uns 15km do sítio até o centro da cidade para levá-la. Descobrimos que se tratava de uma jararaca  (Bothrops jararaca) e por ser bastante venenosa não era recomendado solta-lá novamente no sítio por causa dos outros animais (cachorros, vacas, galinhas, cavalos). O estudioso de cobras a levou embora dizendo que a entregaria num laboratório de uma Universidade da cidade que ele residia.

Só essa brincadeira de levar e trazer cobra foram rodados 150km, emitidos alguns quilos de gás carbono no ar e outros poluentes que qualquer carro emite… E ai? Uma cobra vale tudo isso? Matar teria sido a melhor solução? (Confesso que essa foi a minha primeira ideia). Ou será que soltá-la novamente na natureza e correr de perder outros animais seria o mais correto? Uma cobra vale mais que uma vaca? Não sei… Qual a melhor conduta numa situação como essa? Existe um o certo a fazer? Se alguém tiver a resposta, por favor me fale para que possamos agir corretamente numa outra ocasião.

 

P.S.: Eu sei que hoje é o dia Mundial da Água como já disse aqui, não me sinto na obrigação de escrever nada nessas datas comemorativas, já escrevo o ano todo sobre isso.

 

Foto: http://www.fiocruz.br/biosseguranca/Bis/infantil/jararaca.jpg

10 Comments

  • Sibele
    23 de março de 2010 - 09:27 | Permalink

    Parece que para a indústria farmacêutica, certos animais selvagens valem muito: no caso de cobras, a Bristol-Myers Squibb faturou muito com o veneno da jararaca na produção do Capoten (o genérico captopril).
    Segundo um artigo na revista Pesquisa Fapesp, “O uso de toxinas naturais na fabricação de novas drogas é uma tendência internacional que pode ser observada no alto número de aplicações de veneno de vários organismos, como cobras, escorpiões e aranhas, registradas no Escritório de Marcas e Patentes dos Estados Unidos (US Patent e Trademark Office – USPTO)“.
    Sei que o Instituto Butantan, em São Paulo, recebe espécimes levados pela população. O problema é quando se está longe desse centro de pesquisas, como você bem relatou. E não rola mandar pelo correio, né? 😛

  • 23 de março de 2010 - 11:14 | Permalink

    E por quê a gente teria que fazer ALGUMA COISA com a cobra? Não é melhor apenas deixá-la livre (talvez deixando-a bem longe)?
    Ou tem a cobra menos direito sobre o local do quê a vaca?

  • 23 de março de 2010 - 12:48 | Permalink

    Cara Claudia,
    Em geral, universidades, zoológicos ou instituições de pesquisa aceitam doações de cobras e animais similares. Em São Paulo, por exemplo, o Laboratório de Herpetologia do Instituto Butantã (Av. Vital Brasil, 1500 – (11) 3726-7222) recebe esse tipo de doação. No interior do estado de São Paulo, provavelmente alguns campi da UNESP fazem o mesmo tipo de trabalho. Não sou biólogo, mas me parece que, caso você não ache correto gastar tempo e combustível tentando doar o animal, o mais adequado mesmo é devolvê-lo à natureza, num local bem distante de habitações humanas (como um parque natural ou uma reserva). Pelo menos é o que eu já vi biólogos fazendo…
    Um abraço!

  • 23 de março de 2010 - 17:23 | Permalink

    na prática, se isso vale a pena ou não, depende das suas prioridades.
    por um lado matar um animal selvagem poderia constituir um crime ambiental, mas é preferível fazê-lo se isso coloca vidas humanas em risco.
    o ideal era que cada cidade tivesse um órgão responsável por esse tipo de material, mas sabemos todos que esse é um discurso utópico demais, o que nos faz cair novamente nesse dilema que v. enfrentou.
    a soltura de animais em outras áreas pode ser nociva se não for feita apropriadamente, mas em áreas antropizadas esses conceitos acabam não tendo tanta eficácia.
    de qualquer forma, parabenizo a opção que fez de resgatar o animal e encaminhá-lo a alguma instituição competente mesmo quando pensamentos “herpetocidas” tenham passados por sua cabeça.
    afinal, quem disse que não há desvantagem em se viver próximo da natureza? são os riscos que assumimos ao escolher viver num lugar assim.

  • 23 de março de 2010 - 19:57 | Permalink

    Stephen, na verdade eu dei sorte de encontrar um cara bem entendido de cobras (inclusive ele ja até trabalhou no Butantan) e disse q esse tipo de cobra (a jararaca) qdo chega lá eles logo matam pq recebem aos montes.

  • Neri Xavier
    11 de abril de 2010 - 20:53 | Permalink

    Claudia, o fato de você ter preservado a vida do animal (cobra), já contribuiu com a vida do planeta. Todo o Ser, sob o sol, tem uma função especifica no Planeta. Parabéns pelas palavras do Gabriel (comentário 2). Seria mesmo esse o destino do réptil em questão.
    Fui Bombeiro Militar por 30 anos e, assim como valorizava a vida humana, jamais deixei de preservar qualquer vida animal ou, mesmo, vegetal.
    Todo cidadão deve exigir, EXIGIR, do poder público o socorro, destino, preservação e/ou encaminhamento de qualquer animal, em risco de vida ou oferecendo perigo,seja ele silvestre ou doméstico, No seu caso o Bombeiro deveria (obrigatoriamente) atender seu pedido, encaminhando-o para: Polícia Ambiental, IBAMA, Escolas Superiores de Cursos que estudam a vida animal, Insitutos ou qualquer outra Instituição de Proteção. São obrigados, por Lei, a tomar as devidas providências e dar atensão ao cidadão e ao animal. Se não fizerem isso, não há motivo para a existência dessa Catrefa. Matar jamais. Se isso acontecer denuncie.
    Um abraço – Neri – Lages SC

  • Neri Xavier
    11 de abril de 2010 - 21:03 | Permalink

    Claudia, o fato de você ter preservado a vida do animal (cobra), já contribuiu com a vida do planeta. Todo o Ser, sob o sol, tem uma função especifica no Planeta. Parabéns pelas palavras do Gabriel (comentário 2). Seria mesmo esse o destino do réptil em questão.
    Fui Bombeiro Militar por 30 anos e, assim como valorizava a vida humana, jamais deixei de preservar qualquer vida animal ou, mesmo, vegetal.
    Todo cidadão deve exigir, EXIGIR, do poder público o socorro, destino, preservação e/ou encaminhamento de qualquer animal, em risco de vida ou oferecendo perigo,seja ele silvestre ou doméstico, No seu caso o Bombeiro deveria (obrigatoriamente) atender seu pedido, encaminhando-o para: Polícia Ambiental, IBAMA, Escolas Superiores de Cursos que estudam a vida animal, Insitutos ou qualquer outra Instituição de Proteção. São obrigados, por Lei, a tomar as devidas providências e dar atensão ao cidadão e ao animal. Se não fizerem isso, não há motivo para a existência dessa Catrefa. Matar jamais. Se isso acontecer denuncie.
    Um abraço – Neri – Lages SC

  • cleonete pereira
    1 de novembro de 2010 - 18:23 | Permalink

    achei um cagado perto de casa ele ja e domesticado mas eu gostaria que ele voltasse para natureza presciso de ajuda

  • Paulo
    18 de janeiro de 2011 - 11:08 | Permalink

    Olá claudia, belo desabafo, precisamos de mais desses…
    gostaria de saber a região que vc vive, algumas prefeituras fazem um trabalho de coleta e futura doação a qualquer um com registro no Ibama, não precisa ser uma instituição.
    Recentemente coletei uma jararaca e tive o mesmo problema que o seu, liguei para alguns orgãos e fui direcionado ao Ibama, de la fui direcionado ao Corpo de Bombeiros, e com a serpente em mãos eles disseram que não coletavam??? enfim soltei em uma área que não terpa tanto problema…
    Estou fazendo alguns estudos para criar uma ONG para defesa de repteis em minha cidade, já faço um trabalho de concientização no meu bairro, mas é tudo muito dificil em se tratando de orgãos governamentais…
    OBS: gostaria de saber que cara é esse que disse que no butantan eles matam as serpentes… é uma acusação séria e se não for provada constitui crime. Cuidado ao repassar
    essas informações.
    OBS: quem aconseha morte, pense mais a respeito, o animal so coloca em risco a vida humana se for colocado em risco primeiro… o medo do desconhecido leva a morte muitos animais de importancia médica extrema, vc que sofre de problemas de pressão lembre-se o captopril é produzido a partir no veneno da jararaca… contate-me atravez do e-mail: pauloffmz@gmail.com
    Paulo – Atibaia – SP

  • Nivaldo Pereira
    26 de janeiro de 2014 - 13:45 | Permalink

    Boa tarde Claudia…
    Infelizmente neste país de hipócritas, a natureza não passa de mera razão para angariar recursos ilícitos.
    Eu também moro em uma chácara e nesta semana capturei uma jararaca e me ví na mesma situação. Não tive nenhuma assistência para resolver o problema.
    Acho que, se tivesse mais perto do Planalto Central, eu levaria-a e soltaria lá, pois seria o lugar mais plausível para a sobrevivência dela.
    País de bosta, mesmo!!!!!!!!!!!!!!!

  • Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado.

    Skip to content