Sua roupa é sustentável?

2797166460_36ee261668

Imagem: http://www.flickr.com/photos/reiswarez/2797166460/sizes/m/in/photostream/

E um dos meus útimos posts perguntava se seu jeans era sustentável… E depois da última polêmica da semana eu resolvi perguntar de novo, seu jeans é sustentável? Se no meu post a preocupação era apenas o uso da areação para diferenciar seu jeans, agora é a qualidade da mão-de-obra utilizada para a convecção do seu jeans… E ai? Quais garantias temos de que as pessoas que costuraram nossas roupas industrializadas tiveram um mínimo de respeito? De verdade, na minha opinião, NENHUMA. Provavelmente 90% das roupas que eu uso são industrializadas e tenho plena certeza que nenhuma delas teve algum respeito por seus trabalhadores… E olha que eu ainda tenho a privilégio de dizer que 90% das minhas roupas são industrializadas (vamos descartar aqui a industrialização do tecido) porque tenho uma prima que costura e faz estamparia em tecido e tenho algumas blusas de lã tricotadas a mão, mas a maioria das pessoas (meu pai, meu irmão por exemplo) que tem 100% das suas roupas totalmente industrializadas e que com certeza passaram por exploração de pessoas.

Ouça o depoimento a seguir de uma costureira dessas grandes redes de roupas no Nordeste do país.

 

Como se vestir de forma mais sustentável? Comprar menos roupas? Comprar roupas de marcas menores e menos famosas? Resgatar a costureira de bairro? Não se vestir?

Eu não tenho a melhor resposta, não sei se existe uma melhor resposta para essa questão, diminuir o consumo provavelmente seja uma das alternativas, mas como convencer o mundo disso? Por que afinal, eu já normalmente compro pouquíssimas roupas, mas e quem simplesmente não se preocupada com nada disso? (temo eu que seja a maioria das pessoas) Como faz?

Esse negócio de ter mais perguntas que respostas tá me enchendo o saco…

4 Comments

  • 19 de agosto de 2011 - 09:10 | Permalink

    Olha, eu não sei se funciona, não sei mesmo se já está em uso, mas aqui na Alemanha eles querem/queriam criar uma eiqueta para os produtos, tal qual o “Bio” para produtos sem agrotóxicos. Assim, você poderia escolher empresas que tiveram sua cadeia de produção toda checada e livre de trabalho escravo ou sob condições inaceitáveis. Pessoalmente, eu acho que não funciona (mas eu sou um pessimista nesse ponto, admito), mas aqui eles acreditam que a sociedade realmente abraça a causa e procura/rejeita produtos com/sem as devidas etiquetas.

  • 19 de agosto de 2011 - 10:14 | Permalink

    É Emanuel, tb não sei se funciona, tb sou pessimista, mas como sempre digo, é um começo… Por agora é tudo que podemos. Acho q a única coisa que vai funcionar de verdade é qdo todo mundo tiver consciencia de que esse tipo de coisas não é legal de acontecer e pensar antes de consumir (seja lá o que for), mas isso demora tempo demais pra acontecer, entao, provavelmente continuará acontecendo ainda por muito tempo…

  • 19 de agosto de 2011 - 12:01 | Permalink

    O jeito é fazer como eu e usar as roupas até gastar. Aí costuro eu mesmo e continuo usando até não existir mais condições físicas da roupa se manter em um pedaço só.
    E vou resistir bravamente à necessidade de fazer a piada “meus jeans são sustentáveis pois eu uso cinto”. Prometo que não faço.

  • 19 de agosto de 2011 - 13:31 | Permalink

    Cláudia,
    Eu tendo sempre a me sentir culpada. Já deixei de comprar em várias lojas e inclusive em Natal só compro em um supermercado, justamente por questões similares.
    A melhor opção me parece juntar duas coisas: comprar menos, cada vez menos, e resgatar a costureira do bairro. Quero uma pra mim 😉
    Beijos!

  • Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado.

    Skip to content