Andrew Crosse e seus insetos elétricos II

Andrew Crosse

Andrew Crosse (1784-1855): gentleman, poeta e Frankenstein acidental.

Tudo começou em 1836, quando Andrew Crosse foi persuadido por um amigo a participar de um encontro da British Association for the Advancement of Science [Associação Britânica para o Progresso da Ciência], em Bristol. Informalmente, Crosse descreveu algumas de suas descobertas durante um jantar em Bristol, onde foi estimulado a fazer apresentações mais formais (e práticas) de suas eletrocristalizações para as seções de química e de geologia da Associação. (mais…)

>Jornalismo FAIL!

> Numa recente edição do Balanço Geral capixaba tudo ia muito bem na matéria – um tanto sensacionalista e talvez tendenciosa –sobre a apreensão de usuários de drogas numa festa rave… Mas a partir do momento 1:36 do vídeo, o apresentador resolveu se exibir da pior forma possível , jogou Leia mais…