Zarya, o navio não-magnético

Em uma baía do Pôrto de Leningrado oscilava lentamente um veleiro de três mastros. Despojado das velas, entre as driças correm fios metálicos de antenas. À proa do veleiro destacam-se as letras “Zaria” (“Alba” em russo). Dir-se-ia um pequeno iate, com seu madeiramento envernizado, suas cabines apaineladas e sem sem Leia mais…