Hulk e os Raios Gama

Depois de sofrer um acidente e ser exposto a uma altíssima dose de raios gama, o físico Bruce Banner é condenado a se transformar, em algumas situações, numa besta enorme e verde: o Incrível Hulk. Qual a explicação científica dada pela Marvel para essa transformação? Poderia acontecer algo parecido com isso no mundo real? Quais as consequências reais de se expor à radiação gama?

Este conteúdo foi produzido em vídeo, mas se preferir pode lê-lo logo depois do player!

Robert Bruce Banner era um físico nuclear que trabalhava no departamento de Defesa dos Estados Unidos e estava desenvolvendo uma bomba que prometia deixar a bomba atômica no chinelo: estamos falando da Bomba Gama.

No dia de testar essa bomba, minutos antes de detonar ela, Banner descobriu que uma pessoa tinha invadido a área de testes, onde a bomba ia explodir. O físico, então, teve um surto de bondade, de heroísmo, e resolveu salvar o estranho. Pediu pra interromperem o teste e seu superior falou “claro, deixa comigo”. O Banner, em seguida, simplesmente deixou a área de segurança e saiu correndo em direção ao lugar onde alguém tinha invadido.

O problema é que esse superior dele, na verdade, era um espião soviético. E é claro que ele não mandou o teste ser interrompido. Quando o Banner chega no lugar e vê que é um garoto, ele empurra o moleque numa vala – sabe-se lá porque – e a bomba explode.

O Banner recebe uma carga enorme de radiação gama devido à explosão, enquanto o menino sai ileso. Talvez com uma pequena escoriação, uma clavícula quebrada, mas bem de saúde. Devia ser uma vala de chumbo, pra proteger ele da radiação, mas vida que segue.

Banner recebendo os raios gama
Bruce Banner recebendo os raios gama durante a explosão da bomba e o garoto na vala

Surpreendentemente, o Bruce Banner sobrevive à explosão, nenhuma sequela foi identificada. Mas a gente sabe que um tempo depois ele descobre que a radiação tinha o condenado a se transformar, em determinadas situações, numa besta enjaulada absurdamente forte e descontrolada, o Incrível Hulk.

O que deveria ter acontecido com Banner?

A gente sabe que, no mundo real, tomar uma dose alta de radiação gama não te dá superforça e nem tem nenhum efeito positivo no seu corpo. Mas qual é o efeito da radiação afinal? Ou, em outras palavras, o que deveria ter acontecido com Bruce Banner ao receber aqueles raios gama?

Os raios gama são um tipo de radiação eletromagnética que concentra muita energia. Pra você ter ideia, essa radiação pode ter milhões de vezes mais energia que um raio ultra-violeta, que vem do Sol.

E eles têm essa alta energia, porque essa radiação tem um comprimento de onda muito pequeno, e isso permite que ela penetre muito profundamente na matéria. Só com uma placa bem grossinha de chumbo ou de concreto pra parar essa radiação.

Raios gama descontaminando uma maça. Créditos: Denis Freitas/Mundo Estranho
Raios gama descontaminando uma maça. Créditos: Denis Freitas/Mundo Estranho

Por conta dessas características, a radiação gama é muito usada pra matar micro-organismos. Dá pra usar em alimentos, pra descontaminar e aumentar o tempo de validade, da pra descontaminar equipamentos médicos, etc.

Essa radiação também é usada em radioterapias. Quando os raios gama atingem uma célula tumoral, eles provocam efeitos químicos e biológicos que levam à morte da célula (seja inativando alguma função vital da célula, seja fazendo ela perder a sua capacidade de reprodução, ou por outros fatores). Então, é uma boa arma contra células tumorais.

O problema é que ela também afeta células saudáveis, do mesmo jeito. Por isso, a radioterapia tem que ser muito bem controlada, pra não fazer mais mal do que bem.

Uma das coisas que essa radiação pode fazer quando atinge uma célula é provocar o pior tipo de dano que nosso DNA pode sofrer – as quebras de fita dupla (ou Double Stranded Break) – que é quando os dois lados da fita de DNA são quebrados.

Dano ao DNA gente, acontece o tempo todo. Só de você tomar Sol e receber radiação ultra-violeta, as moléculas de DNA de algumas células já sofre pequenas lesões. Na maioria das vezes, o próprio organismo repara esses danos. Mas quando o dano é muito severo (que é o que costuma acontecer quando a radiação é raio gama ou raio X) a célula acaba morrendo.

Se você recebe uma dose alta de radiação no corpo inteiro, como aconteceu nos acidentes nucleares que a gente conhece – Chernobyl, Goiânia, Fukushima – seu corpo inteiro vai ser destruído pela radiação e você morre em dias ou até horas.

Mas o Banner não morreu, o que que aconteceu com ele então?

Há explicação científica para o que ocorreu com Banner?

Quando ocorre uma quebra de fita dupla do DNA e a célula consegue sobreviver, ela tenta corrigir essa quebra. O problema é o seguinte, quando quebra só um lado da fita, o organismo olha o que tem do outro lado e com isso ele consegue saber qual informação tava ali no lado que quebrou. Mas e se quebra os dois, o que a célula faz? Exatamente a mesma coisa que você faz quando não sabe a matéria e não tem ninguém pra colar, você chuta.

Quebra de fita dupla (DSB) do DNA por raios gama. Créditos: https://www.lifespan.io/news/dna-damage-leads-to-epigenetic-alterations/
Quebra de fita dupla (DSB) do DNA.
Créditos: https://www.lifespan.io/news/dna-damage-leads-to-epigenetic-alterations/

A célula chuta o que tinha de informação nos dois lados da fita de DNA e coloca essa informação nova ali. Isso é uma mutação genética, porque esse chute geralmente é errado.

E eu não sei se você sabe, mas a molécula de DNA é a responsável por dar as instruções pras células, é quem diz o que as células têm que fazer. Então se você simplesmente troca a instrução das células do seu dedo e manda elas fazerem ali um dente, elas vão fazer (tá, eu posso ter exagerado, mas é só pra você entender a gravidade da situação).

Então, a justificativa da Marvel é dizer que o Hulk é uma mutação genética do Banner. Quer dizer que, através de mutações genéticas aleatórias nas células do Bruce, o organismo dele foi reprogramado pra dar origem a um monstro superforte, resistente e verde.

Se isso esse efeito da radiação no Banner já exige da gente uma boa força de vontade pra aceitar essa justificativa científica, tem um detalhe que piora as coisas. Uma vez que partes do DNA nas suas células são lesionadas e a célula faz ali uma reparação com novos genes, não tem como voltar atrás, não tem como dar um control Z. Porque diabos o Hulk então consegue voltar à forma de Banner?

Essa não é exatamente uma pergunta sem resposta na ciência. Existe sim a possibilidade de genes serem ligados e desligados em determinadas circunstâncias. Mas isso fica pra outro texto.


Lucas Miranda
Físico e divulgador de ciências
Colunista na Ciência Hoje e Editor do Ciência Nerd

Lucas Miranda

Físico e mestre em Divulgação Científica pela Unicamp. É professor no Sistema Anglo de Ensino, Colunista da Revista Ciência Hoje, Coordenador do projeto Ciência ao Bar e Cinegrafista, Editor e Tradutor na TV NUPES (Fac. de Medicina - UFJF)

3 thoughts on “Hulk e os Raios Gama

  • 29 de dezembro de 2021 em 17:01
    Permalink

    ou seja, mais um “estudioso” da unicamp tentando advinhar sobre se o hulk é plausivel ou não, quando poderia se ocupar de algo mais importante, como a cura do cancer, a cura da AIDS, ou quem sabe, usar raios gama pra deixar aquela bavaria com gosto de heineken

    Resposta
    • 30 de dezembro de 2021 em 16:49
      Permalink

      hahaha Com certeza dá pra usar raios gama pra modificar geneticamente a “saccharomyces cerevisiae” e fazer cervejas diferentes, mas não é uma área que manjo muito rsrs. Mas entendo seu ponto e muita gente pensa assim. A verdade é que cada indivíduo desempenha sua função na sociedade. Tem os que pesquisam curas pra doenças, os que pesquisam possíveis usos da radiação nuclear, os que pesquisam vacinas.
      Mas tem também os jornalistas, os comunicadores de ciência e os professores que tentam tornar as descobertas científicas mais acessíveis pra população. Sem essas pessoas a ciência ficaria restrita aos intelectuais e nunca chegaria até você. Meu trabalho em blogs e revistas (como comunicador) é o de falar de ciências pras pessoas usando artifícios diferentes, temas diferentes, sejam eles cinema, super-heróis, quadrinhos etc. Meu trabalho não é saber se o Hulk ou outros personagens são plausíveis ou não, mas usar essa e qualquer outra desculpa pra falar sobre assuntos científicos pras pessoas aprenderem algo. Entendeu? 😉

      Resposta
      • 13 de janeiro de 2022 em 11:58
        Permalink

        Rapaz, essa doeu até em mim

        Resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *