Gostaria de indicar neste domingo de calor africano uma leitura bem interessante. O artigo intitulado “Solução global, problema local” do nosso vizinho de Scienceblogs Brasil Igor Zolnerkevic publicado na ótima revista de divulgação científica Unesp Ciência.

cana_nitrogenio_etanol.jpg
O artigo do Igor fala sobre um dos vários problemas consequentes de um plantio em monocultura de larga escala e que são mascarados quando só olhamos para o problema ambiental da moda, no caso, o Aquecimento Global. Somente uma pequena parte do nitrogênio adicionado via fertilização é absorvido pelas plantas, fazendo com que os agricultores tenham que usar cada vez mais fertilizantes para obterem um crescimento satisfatório. Este nitrogênio em excesso pode ser lixiviado pela água da chuva para os ecossistemas aquáticos adjacentes ou ser emitido para o ar. O excesso de nitrogênio em ecossistemas aquáticos resulta em um processo já bem conhecido, chamado de eutrofização artificial. Mas a emissão de nitrogênio em forma gasosa pode resultar na chamada “chuva seca” de fertilizantes, transferindo o nitrogênio para regiões bem distantes de onde eles foram inicialmente alocados. Para entender melhor este processo, nada melhor do que ler o artigo do Igor e visualizar o extremamente bem feito infográfico sobre o assunto. Também tratei um pouco sobre o efeito do excesso de nitrogênio em um post bem antigo aqui no blog. 
Para quem ainda não entendeu o ponto de interrogação no título do post, o objetivo foi ressaltar o meu ponto de vista que os biocombustíveis de plantas terrestres estão longe de serem “a” Solução global para os nossos problemas ambientais. E isso é um assunto para uma série de posts que está sendo preparada.
Todos os artigos da revista Unesp ciência são disponibilizados em pdf, então recomendo a leitura deste bom exemplo de jornalismo científico brasileiro.