Uma sugestão

Na Conferência Ethos a Oficina que participei foi a Transformação do Consumidor para uma nova Economia Global. Na mesa de discussão chegamos a citar a vergonha da propaganda da Vale no dia Mundial do Meio ambiente e eu cheguei a pensar que quando falamos de varejo é muito fácil o consumidor se manifestar quando não está satisfeito com o posicionamento da marca, ele simplesmente não compra mais nenhum produto daquela empresa, mas e no caso de empresas como a Vale, a Petrobras, ou uma fornecedora de energia? Me disseram que a economia e as exigências de mercado fariam com que essas empresas mudassem, eu sinceramente tenho minhas dúvidas. Chegaram a afirmar também que o próprio mercado publicitário não julgaria propagandas como as da Vale como boas, mas será mesmo? Propagandas como a da Diesel ganham até Leão em Cannes…
Será que é tão difícil pra uma empresa fazer uma propaganda falando a verdade? Assumindo que não é perfeita e que está disposta a mudar para se tornar mais sustentável? Dizer que já faz e acontece, na minha opinião, é um desrespeito a inteligência das pessoas. NENHUMA empresa pode se dizer zerada com suas obrigações com o mundo.
Quer um modelo genérico de briefing pra sua campanha de sustentabilidade? Segue a minha sugestão:
1) O objetivo é comunicar para os clientes a estratégia da empresa que tem como foco principal se tornar mais responsável, mais correta e se tornar cada dia mais sustentével. O principal objetivo da campanha é ganhar a confiança dos clientes de que não se trata apenas de uma campanha de marketing ou uma maquiagem verde.
2) A ideia principal é mostrar que a empresa quer ser transparente, assumir que ela tem problemas e defeitos, mas está tentando seguir um caminho mais sustentável. A empresa tem consciência que ser sustentável é quase uma utopia, mas que não por isso deixa de ser um objetivo que não deva ser perseguido.
3) O consumidor deve ser chamado para conferir as ações da empresa e saber que quando optar por esses produtos/serviços ele terá certeza que fez a melhor escolha. O trabalho da empresa na busca de mais responsabilidade em suas ações será a maior propaganda de convencimento do consumidor. As ações da empresa falam mais alto que seus produtos/serviços.
# Não subestime a inteligência do consumidor, seja ele de qual classe for.
# Humildade e vontade de mudar da empresa devem estar nítidos.
# Não diga para o consumidor: “Compre meu produto/serviço pois eu sou responsável”. E sim: “Eu sou responsável, você sabe, vê e percebe isso e por isso vai escolher meu produto/ serviço.”
Eu não sou publicitária, segui um modelo de briefing qualquer que achei na Internet, mas acho que deu pra ter uma ideia boa, né?
É lógico que se a sua empresa não tem ações de sustentabilidade reais pra divulgar não adianta nada esse briefing porque vai ser uma mega maquiagem verde, como tantas que se vê por ai, essa ideia só vai funcionar e convencer alguém se suas ações forem de fato concretas e possam falar mais alto até que a sua marca. Não é trabalho pra qualquer um, é um caminho árduo, longo e difícil, ou você acha que respeito, admiração e relevância você consegue da noite pro dia?
Se você conhece alguma propaganda que já siga esses princípios, por favor, me mostre!

7 Comments

  • 22 de junho de 2009 - 12:00 | Permalink

    A idéia em tratar o alvo, seja num comercial seja numa manifestação política, ou em tantos outros casos, é sempre a mesma:
    “O sujeito, no qual a mensagem chegará (o alvo), não tem o direito de conhecer a fundo do que se trata, é ‘burro’ o suficiente para não poder tomar decisões próprias, e portanto, tudo deve ser passado já muito bem mastigado para que as conclusões finais sejam facilmente absorvidas.”
    O problema é: conclusões de quem?
    Apesar de ser um insulto imperdoável, isso passa despercebível pela maioria. Uma pena!
    Parabéns pela iniciativa. Um esforço, ao meu ver, no caminho certo.
    Um grande abraço,
    Alessandro

  • 22 de junho de 2009 - 16:00 | Permalink

    (…) e eu cheguei a pensar que quando falamos de varejo é muito fácil o consumidor se manifestar quando não está satisfeito com o posicionamento da marca, ele simplesmente não compra mais nenhum produto daquela empresa, mas e no caso de empresas como a Vale, a Petrobras, ou uma fornecedora de energia? (…)

    Pois é… E qual é o público-alvo dessa propaganda da Vale? Ou antes: o que a Vale pretende com essa propaganda? Que mais donas de casa comprem minérios da Vale? Ou que um bancário, entusiasmado com a “verdice”, deixe de fumar e passe a comprar ações da Vale?
    Essas tentativas de greenwashing só enganam quem não se interessa pelo assunto…

  • 30 de junho de 2009 - 23:17 | Permalink

    Obrigada, Alessandro!

  • Halmer
    6 de julho de 2009 - 13:53 | Permalink

    Mandei um e-mail para Vale, através do Fale conosco no site sobre o assunto, mostrando a inha indignação, acredito que se todos fizerem isso, eles terao que se desculpar publicamente e falar a verdade. Está na hora de nós brasileiros sairmos da passividade e não aceitarmos as mentiras, vamos mostrar que não somos burros…

  • 8 de julho de 2009 - 14:27 | Permalink

    A tal maquiagem verde acaba, sim, enganando parte dos consumidores. O outro lado da moeda é que quando o consumidor se dá conta acaba criando aversão pela empresa e os produtos dela.
    Interessante a oficina a Transformação do Consumidor para uma nova Economia Global. Acredito em soluções locais, personalizadas. São experiências assim que acabam dando resultados positivos e virando movimentos como as Transition Towns (http://www.verbeat.org/blogs/facaasuaparte/2007/08/transition_towns.html).
    Sobre o seu comentário sobre a qualidade da água na Europa, tenho a impressão de que não conseguiria viver em Londres. 🙂
    Abs
    Allan
    Colaborador do ‘Faça a sua Parte’

  • 9 de julho de 2009 - 22:06 | Permalink

    Claudia, acho que o mais difícil não é fazer a campanha. É, antes, ter os motivos certos para propagandear.
    Umas semanas atrás eu analisei uma campanha legal (já que você pediu! =). Era uma promoção da Lipton. Detalhes e minhas opiniões estão aqui: http://serenacalejon.wordpress.com/2009/04/02/publicitarios-da-sim-para-fazer-uma-campanha-legal-de-sustentabilidade/.
    Em tempo: eu acho que os canais “fale conosco” são mesmo uma ferramenta valiosíssima. Ponto para quem bota a boca no trombone!

  • 10 de julho de 2009 - 19:56 | Permalink

    Oi
    parabéns pela classificação no top 100 do Top Blog.
    Blogs dedicados a sustentabilidade e meio ambiente merecem sempre estar em destaque na internet.
    Cleisson

  • Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado.

    Skip to content