Propriedades orgânicas e trabalho voluntário

Passeando pela internet encontrei oportunidade de emprego temporário em fazendas na Nova Zelândia, já tinha ouvido falar de coisas do gênero, mas nunca procurado nada a respeito e achei uma possibilidade interessante de se conhecer esse país. Resolvi perguntar para um conhecido que mora lá sobre esse tipo de trabalho e se ele sabia de algo mais também sobre fazendas orgânicas e talz. Pois bem, ele me passou o link de uma organização sensacional a World Wide Opportunities on Organic Farms (WWOOF) (Rede mundial de oportunidades em Fazendas Orgânicas).

foto: http://tinyfarmblog.com/japan-to-the-field/

Essa rede une propriedades com produção orgânica e pessoas querendo aprender mais sobre o assunto, essas propriedades oferecem estadia, comida e as pessoas trabalham voluntariamente, simples assim.

Para você achar uma fazendoa que te receba você tem que se inscrever como membro pagando $38 a anuidade. Ai você escolhe a fazenda, entra em contato com os proprietários e combina tudo com eles.

A fundadora dessa rede que existe desde muito antes da internet (desde a década de 70) Susan Coppard conta um pouco dessa experiência na revista Vida Simples.

O casal do blog Casa na Viagem está viajando por várias fazendas brasileiras que pertence ao WWOOF e mostrando um pouco de cada uma, pelo relato deles, não consegui entender se necessariamente eles estão fazendo trabalho voluntário em cada uma delas, mas dá pra ter uma ideia de como são as fazendas e as belezas de cada uma delas.

Tô pensando seriamente em me aventurar numa fazendas dessas ao redor do mundo, alguém tem alguma experiência para contar?

6 Comments

  • amanda
    19 de setembro de 2012 - 20:36 | Permalink

    Oi Clau,

    Dia desses ouvindo uns TEDx … brasileiros achei esse … dentre outras coisas interessantes ela conta da experiencia dela numa dessas fazendas, se não me engano no Canadá.

    http://www.youtube.com/watch?v=rJIkaIneDmc

    beijos

  • suellen
    19 de setembro de 2012 - 22:24 | Permalink

    Também dá para fazer o voluntariado dentro do Brasil. No site da WWOOF tem a lista das propriedades participantes! Acho uma boa maneira dos pequenos produtores rurais ganharem dinheiro aliando conservação da natureza e bem estar!

  • Ludmila do Prado
    24 de setembro de 2012 - 19:08 | Permalink

    Claudia,
    Ano passado fiquei uma semana em uma fazenda no interior de São Paulo pelo WWOOF e nesse ano acabo de retornar de uma fazenda no interior da Inglaterra, dessa vez encontrada através de outra iniciativa semelhante à primeira, é o Help Exchange.
    É realmente uma experiência única realizar uma viagem desse tipo, primeiro pelas pessoas interessantes que se costuma encontrar nesses lugares, depois pelo aprendizado e o baixo custo da viagem.
    O que eu recomendaria a quem está interessado na aventura é escolher o local para fazer o voluntariado levando em consideração o que gosta de fazer porque o trabalho é árduo na maioria dos lugares e há horários para as atividades que precisam ser respeitados.
    Outro ponto importante é alinhar as expectativas para ninguém se frustrar, perguntar antes qual será a atividade principal a ser feita, quais horários, que refeições oferecem porque cada lugar tem suas regras.
    Na Inglaterra, por exemplo, tivemos que ajudar, em alguns dias, a arrumar casas para locação, trocar roupas de cama, limpar, enfim, nem sempre te pedem para lidar com a terra o tempo todo. Para o anfitrião se você está lá para ajudar, você é “pau para toda obra”, então tudo isso tem que ser muito bem esclarecido para evitar problemas.
    Posso dizer que gostei das duas experiências que tive, mas a que fiz no Brasil foi muito melhor porque a fazenda era mais organizada, havia uma cozinheira que preparava a refeição para todos, havia horários para integração e lazer.
    Já no exterior eu era responsável pelas minhas refeições então no horário de almoço precisava ter tempo para prepará-las e estar a tempo de volta às atividades, isso dificultava um pouco para ser feito em apenas uma hora.
    Mas valeu o aprendizado. Espero ter ajudado com essas informações.
    Tenham sorte!
    Ludmila

    • Claudia Chow
      24 de setembro de 2012 - 20:02 | Permalink

      Ludmila muito obrigada pelo seu relato!!

  • 12 de outubro de 2012 - 13:40 | Permalink

    Clau,

    Na África do Sul há muito trabalho semelhante em organizações de conservação. Há em lugares para preservar tubarões, leões… Encontrei brasileiros por lá. Não tenho muitas informações, mas parecem ser organizações sérias.

    Beijos

  • Pingback: HelpX – Mais uma opção | Ecodesenvolvimento

  • Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado.

    Skip to content