>

O hábito de fumar tabaco nem sempre existiu — na verdade, nem é tão antigo: data do século XVI —, então é possível saber quem foi o primeiro fumante.
O tabaco foi levado à Europa em 1518 (ou 1523) pelos espanhóis que o descobriram na América. Por volta de 1559, o embaixador da França em Portugal, Jean Nicot (donde nicotina), enviou as primeiras amostras do que considerava uma planta medicinal para Paris. De lá, o fumo se espalhou pelo continente, mas era mascado ou moído e cheirado (rapé). Copiando os índios norte-americanos, Sir Walter Raleigh foi o primeiro a fumar tabaco em um cachimbo. Evidentemente, ele não foi muito compreendido:
O tabaco foi introduzido na Inglaterra por Sir Walter Raleigh. Por cuidado, ele manteve às escondidas o hábito de fumar, pois não pretendia ser copiado. Mas certo dia, durante profunda meditação e com um cachimbo na boca, ele chamou seu empregado, pedindo-lhe uma pequena caneca de cerveja. O servo, ao entrar em seu quarto, jogou toda a bebida na face de seu mestre e saiu correndo pelas escadas, gritando: “Fogo! Socorro! Sir Walter estudou até incediar sua cabeça! Ele solta fumaça pela boca e pelo nariz!”

— William Keddie [editor], Cyclopaedia of Literary and Scientific Anecdote, 1854
Em tempo: por incrível que pareça, o fumo chegou ao Japão antes de alcançar a França. Marinheiros portugueses levaram a planta para a terra do sol nascente em 1542.

0 comentário

Patentes Patéticas (nº. 112) | ScienceBlogs Brasil – Blogs de Ciência · 30 de junho de 2013 às 18:31

[…] gueto de fumantes cinicamente chamado de fumódromo, você não pode fumar. Quase sempre você não é compreendido. Seria muito melhor se fumar fosse um ato individual, mas — a não ser que você use um […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *