Patentes Patéticas (nº. 44)

limpador horizontal

Quando a americana Mary Anderson (1866-1953) inventou o limpador de para-brisas em 1903, recebeu muitas críticas. A principal delas argumentava que os movimentos pendulares dos limpadores eram incômodos e poderiam até hipnotizar os motoristas. Apesar disso, mais de meio século se passaria até que alguém tentasse fazer algo melhor. No fim dos anos 1950, os engenheiros Béla Barényi (1907-1997) e Karl Wilfert (1907-1976), de Stuttgart, na Alemanha, criaram um limpador de para-brisas com varredura linear que foi simplesmente chamado de “Limpadores de para-brisas para veículos motorizados” e cujo objetivo era: (mais…)

Arqueologia automotiva

Nos Estados Unidos carros são coisas tão banais que chegam a ser praticamente descartáveis. Não é raro encontrar verdadeiros clássicos abandonados, muitas vezes após pouco tempo de uso, nas áreas rurais da “América”. Foi o que aconteceu com o autor do video a seguir, jermikey, que ao sair para um Leia mais…

Patentes Patéticas (nº. 43)

skate   giz

Ah, os anos 90… Época em que a gente se divertia com o que estivesse à mão: de um pedaço de giz a um par de patins. Mas não seria mais divertido sair por aí usando os patins para rabiscar as calçadas com giz? Parece uma ideia de criança em meio a uma brincadeira, mas se ela realmente fizer isso hoje, vai ter que pagar royalties. Aproveitando-se da febre dos patins de meados dos anos 1990, Frank William Coroneos, Dirk L. Cornelius e Sherry S. Eckholm patentearam um “Dispositivo para segurar giz em um skate [sic] in-line”: (mais…)