O caso Kotzwara

Há pessoas que, mesmo com alguma fama, só entram para a História quando saem da vida. Ou pela forma como saem da vida. Frantisek Kotzwara, por exemplo. Nascido em 1730 em Praga, na então Boêmia, Kotzwara (Kočvara em checo) foi um compositor e virtuoso baixista que viajou por toda a Europa com diversas orquestras antes de se estabelecer na Inglaterra em 1775. Suas obras incluem canções, serenatas, trios e quartetos para cordas e umas duas dezenas de sonatas. Sua composição mais popular foi The Battle of Prague, sonata baseada na batalha travada por prussianos e Habsburgos em sua terra natal em 1757.

Ironicamente, Kotzwara ainda é mais lembrado pela sua causa mortis bizarra do que por seus acordes. Em 2 de fevereiro de 1791, o compositor boêmio (literalmente) acordou meio masoquista e foi procurar alguma diversão do tipo na Vine Street, em Londres. Lá ele encontrou-se com uma meretriz chamada Susannah Hill e convidou-a para um lauto jantar. Após os comes-e-bebes, ele perguntou — assim como quem não quer nada — se ela simplesmente não poderia castrá-lo. Hill negou-se, é claro, pois há propostas indecentes que ofendem até uma dama da noite. Mas Kotzwara insistiu (ou pagou) tanto que eles conseguiram chegar a um acordo — brincar de asfixia erótica! (mais…)