Legítima defesa de quem?

Parece razoável concordar que todo mundo tem direito a viver. Mas também parece razoável que uma pessoa abre mão de seu direito à vida quando ameaça a vida de um terceiro. Para os defensores da pena de morte, nesse caso seria admissível matar o matador. Mas e quando há mais Leia mais…

Em uma palavra [170]

apótomo (a.pó.to.mo) s.m. 1. Mat. diferença entre duas quantidades incomensuráveis. 2. Mús. intervalo entre dois tons. 3. Entom. gênero de insetos coleópteros. [do grego apotomos = dividido] Não confundir com o apótema (segmento de reta que parte do centro geométrico de um polígono e faz ângulo reto com um dos Leia mais…

Patentes patéticas (nº. 122)

Ô, da poltrona! Tu acha que esse seu sofá aí, de um só lugar, é lugar de descansar? Nada disso! Tu devia usar essa poltrona onde tu abunda pra se tornar menos abundante! Vamos, vamos, pedalando! pedalando! Remando! remando! O quê? Não dá pra se exercitar na tua poltrona? Chega de desculpa! O Exercise apparatus [Aparelho de exercício] de James Curtis é a solução para transformar perdedores de controle-remoto em vencedores: (mais…)

Conflitos Esquecidos — Revolução Pueblo

De uns tempos pra cá, a historiografia latino-americana tem se esforçado para mostrar que os nativos americanos não foram tão ingênuos nem tão inocentes na Conquista da América. É verdade que algumas tribos e etnias aliaram-se aos espanhóis e portugueses durante os primórdios do período colonial. Mas isso não anula os esforços de resistência por parte de outros povos indígenas. Das diversas rebeliões de ameríndios, pode-se dizer que a Revolta Pueblo ou Revolução de Popé foi uma das mais bem-sucedidas.

Em 1680 os índios Pueblo, nativos da atual região do Novo México, levantaram-se contra os colonizadores espanhóis que haviam se estabelecido algumas décadas antes em seu território. Estimulados por uma série de condições naturais e humanas adversas, os Pueblos revoltosos mataram 400 espanhóis e expulsaram outros 2000 colonos hispânicos a partir de 10 de agosto de 1680. (mais…)

Em uma palavra [169]

babovismo (ba.bo.vis.mo) s.m. Sociol. modelo sócio-econômico divulgado pelo jornalista e revolucionário francês François Noël “Gracchus” Babeuf (1760-1797), que pregava a absoluta igualdade dos homens em termos de trabalho, direitos e deveres. babovista (ou babofista ou babuvista), adj. seguidor de Babeuf. [do antropônimo Babeuf] O babovismo (ou babofismo ou babuvismo) foi, Leia mais…

Skip to content