As canções perdidas do Holocausto

Vista, através do arame farpado, dos barracões de prisioneiros no campo de concentração de Flossenbürg. Flossenbürg, Alemanha, 1942. [Imagem: Bildarchiv Preussischer Kulturbesitz]

Vista, através do arame farpado, dos barracões de prisioneiros no campo de concentração de Flossenbürg. Flossenbürg, Alemanha, 1942. [Imagem: Bildarchiv Preussischer Kulturbesitz]

Nos campos de concentração, arames farpados eram as barreiras que prendiam os prisioneiros judeus. Curiosamente, foram rolos de arame que gravaram suas primeiras memórias após a libertação.

Enquanto avançavam pelos territórios ocupados pela Alemanha Nazista nos estágios finais da II Guerra Mundial, as Forças Aliadas puderam ver, ao vivo, os horrores de campos de concentração, muitos dos quais abandonados às pressas. Cientes da importância do achado, os militares aliados registraram a chocante descoberta em filmes — alguns dos quais foram usados mais tarde como prova no Julgamento de Nuremberg. No entanto, nenhum desses registros cinematográficos dava voz aos sobreviventes do Holocausto. (mais…)

Um bilhete dos ladrões

Em 1798, conta-nos Sampson em sua History of Advertising, uma casa foi arrombada e roubada em Stanhope Street, Londres. Buscando reaver os itens surrupiados, o proprietário publicou o seguinte e singular anúncio numa edição do Daily Advertiser: Mr. R—— de Stanhope Street apresenta seus mais respeitosos Cumprimentos aos Gentlemen que Leia mais…

Entre o grafite e o diamante

Durante anos, os cientistas tentaram criar uma forma intermediária entre as duas estruturas naturais do carbono — o grafite e o diamante. E agora finalmente conseguiram. Embora não seja o elemento mais comum do planeta (é apenas o 15º), o carbono é sem dúvida o mais versátil. Na atmosfera, forma Leia mais…